Como Utilizar os Trens na Suíça?

Veja como funciona o eficiente sistema de transporte ferroviário entre as cidades suíças e tire todas as dúvidas para o seu planejamento de viagem.

Como utilizar os trens na Suíça?

Como utilizar os trens na Suíça?

Quem vai passar alguns dias na Suíça, visitando as cidades deste belo país, certamente precisará utilizar o serviço ferroviário do país em algum momento.

Sei que muitos preferem alugar um carro para percorrer as estradas. Mas no caso da Suíça, as viagens de trem acabam sendo a opção mais atrativa, pois não dá para admirarmos todas as belezas e dirigir ao mesmo tempo. Lembre-se que há muitas estradas de serra, requerendo atenção ao volante. Isso sem contar com as eventuais neblinas e a neve, caso esteja visitando no inverno.

Por esses e outros motivos, as viagens de trem pela Suíça acabam sendo meio que tradicionais. E graças ao eficiente serviço oferecido por lá – em conjunto com as belíssimas paisagens – um simples deslocamento entre cidades se torna um passeio pra lá de especial.

Muita gente paga fortunas pelos passeios de trem panorâmico, sem saber que uma simples viagem de trem entre 2 cidades suíças também proporciona uma visão incrível dos Alpes e das paisagens do país. Inclusive, essa é uma excelente dica para economizar nessa viagem à Suíça.

Várias vezes me peguei encantada com as paisagens que vi da janela do trem, durante os meus deslocamentos pelo país. É uma ótima maneira de aproveitar esse tempo “perdido” da viagem.

Neste post trago todas as informações uteis para que você possa planejar seu deslocamento de trem pela Suíça.

Ainda não reservou seu Hotel?

A melhor forma de escolher onde se hospedar em sua próxima viagem é pesquisando em sites comparadores como o Booking e o Hoteis.com. De forma rápida você consegue comparar vários hotéis que se encaixam no seu perfil, avaliar as qualificações dadas por outros hóspedes e assim achar um local bacana que cabe no seu bolso.

Pesquisando as passagens

Para começar o seu planejamento, é preciso acessar o site da companhia que administra o serviço ferroviário da Suíça: a SBB-CFF-FFS.

Na página principal há um formulário onde você preenche o local de origem e o destino e ele te dá todas as informações necessárias.

Lá conseguimos todos os itinerários possíveis e imagináveis de deslocamento, incluindo as informações sobre horários de partida e chegada, conexões, as plataformas e até mesmo os horários de pico de movimento.

Aliás, pontualidade e precisão é mesmo uma característica suíça. Se você pesquisar um trecho com 4 ou 5 meses de antecedência (isso é possível) e lá tiver escrito que o seu trem sai da plataforma 3, às 09:27 da manhã, pode anotar com caneta porque não vai mudar.

Veja como decifrar o resultado da pesquisa... (layout de junho de 2016):

Opções de trens entre Berna e Zurique

Opções de trens entre Berna e Zurique

A coluna A traz a origem e o destino pesquisados. A coluna B traz o horário de partida e de chegada. A coluna C diz o tempo de viagem. A coluna D traz o número de conexões necessárias. A coluna E diz o pico de movimento (se tem 1 bonequinho “aceso”, há pouco movimento nos trens, se tem 2 é médio e se tem os 3, é horário de rush). Por fim, a coluna F traz o preço da passagem.

Clicando no sinal de “+” (indicado pela seta rosa) vai acontecer o seguinte...

Mais informações sobre a viagem

Mais informações sobre a viagem

Você verá mais detalhes daquele trecho selecionado, incluindo os números das plataformas de partida e chegada (letra G) e o nome do destino final daquele trem (letra H).

No exemplo acima, está sendo pesquisada uma viagem de Berna até Zurique. Mas você pode perceber que o destino final é a cidade de Romanshorn – ou seja, Zurique é apenas uma “parada” no caminho. Atenção quanto a isso lá na hora de utilizar o trem (falaremos mais adiante).

O site da SBB é o supra-sumo da precisão. A coisa chega a tal patamar que eles conseguem prever até mesmo as interdições. Programei um itinerário de Berna até Interlaken com 3 meses de antecedência e no site já estava avisando que, naquele dia, a linha não iria funcionar por problemas técnicos. E de cara me deram todas as opções de ônibus extras que me levariam até o destino.

A menos que algum imprevisto grave aconteça no dia, pode programar suas viagens com os dados do site da SBB. É uma facilidade que só mesmo a Suíça faz pela gente.

OBS: O site da SBB também traz todos os itinerários do transporte público dentro das cidades suíças, bem como os trens que cruzam as fronteiras com os países vizinhos (Itália, Alemanha, Áustria e França).

Já contratou o Seguro Viagem?

Você sabia que quando se viaja para a Europa a contratação de um seguro viagem com cobertura mínima de 30 mil euros é obrigatória? Então, faça agora mesmo uma cotação na Seguros Promo e escolha entre as melhores seguradoras sempre com o melhor custo benefício. Aproveite essa oportunidade e tenha 5% de desconto utilizando o nosso cupom: PARAVIAGEM05.

Comprando as passagens

Você pode comprar a seu bilhete pelo próprio site da SBB ou nos guichês da empresa nas estações ferroviárias.

Com exceção dos trens panorâmicos, não há reserva de assentos nos trens suíços. Portanto, não há necessidade de compra antecipada para garantir lugar.

Loja da SBB na estação de Genebra

Loja da SBB na estação de Genebra

Pouquíssimas vezes presenciei alguém viajando de pé por lá. Acredito que a variedade de horários para alguns trechos mais procurados contribua para que isso não aconteça. Mas nada impede de encontrar algum trem com todas as poltronas ocupadas.

Conforme citei no item anterior, o site da SBB assinala os horários de maior movimento daquele determinado trecho, como se informasse ao passageiro para evitar aquele trem, se quiser viajar sentado.

Há bilhetes individuais, passes de 1 dia e etc. Mas a minha DICA DE OURO, principalmente para quem vai passar vários dias na Suíça, se deslocando de trem “pra cima e pra baixo”, é comprar o Swiss Pass.

Swiss Pass

Swiss Pass

Ele é um passe exclusivo para estrangeiros que visitam o país e que oferece o uso ilimitado do transporte intermunicipal e urbano, além de descontos (e algumas gratuidades) em vários passeios e atrações na Suíça.

A menos que você vá utilizar pouco os trens, adquirir esse passe costuma ser a maneira mais barata de fazer os seus deslocamentos pelo país.

Contudo, indico a regra básica do planejamento de uma viagem: sentar e fazer as contas. Pegue o seu roteiro, veja os seus deslocamentos, pesquise os preços no site da SBB e veja se vale mesmo a pena comprar o passe no seu caso. Não se esqueça de cotar também as atrações que ele dá vantagens.

No meu caso, utilizei muito os trens e fiz vários passeios nos 8 dias que fiquei na Suíça. Por isso, o Swiss Pass me proporcionou uma economia considerável.

Para mais informações, não perca o nosso post que traz todas as informações uteis sobre esse passe e te explica como funciona o Swiss Pass.

Como fazer para pegar o trem na Suíça?

Estando com todas as informações em mãos (horários, conexões e a plataforma que sai o trem), a primeira coisa que você fará é procurar pelo painel da estação, que te informará as próximas composições que passarão por ali.

Painel com os próximos trens

Painel com os próximos trens

As placas costumam conter as informações traduzidas nos 3 idiomas oficiais da Suíça: francês, alemão e italiano. Essa foto acima é uma exceção, pois foi tirada na estação de trem do aeroporto de Genebra e, talvez por isso, o italiano tenha sido substituído pelo inglês. Mas saiba que a grande maioria não usa esse idioma.

Como falei antes, a SBB te dá tudo mastigadinho no site e as informações raramente mudam. Mas imprevistos acontecem e é sempre recomendável que você confira as informações lá na hora.

Tudo checado? Siga as placas que te levarão até a sua plataforma de embarque. Chegando a ela, você encontrará painéis semelhantes a esses aqui:

Paineis das plataformas

Paineis das plataformas

No canto inferior há o número daquela plataforma, envolvido por um quadrado e escrito “Gleis” (que significa “plataforma” em alemão). Se estiver numa cidade suíça cujo idioma oficial é o francês, geralmente há a abreviatura "Pltf".

Em destaque no alto, ao lado do símbolo do trem (regional, inter-city e etc) virá o horário que ele chegará naquela plataforma e o nome do destino final do trem (que nem sempre será a cidade que você vai saltar, como no exemplo que citei no item anterior).

Abaixo, eles listam algumas cidades importantes onde o trem irá parar durante o percurso.

No pé do painel está uma informação preciosa e que achei genial de ser passada para as pessoas que forem utilizar o trem.

Sabe aquela situação em que você chega a uma estação pra pegar um metrô ou um trem e o veículo é menor que a plataforma? Você fica ali esperando e quando a composição chega, ela é tão pequena que o vagão final fica lá em “Deus me livre” e a gente tem que sair correndo pra entrar.

A posição do trem na plataforma

A posição do trem na plataforma

Graças a essa informação no pé do painel, isso não acontece na Suíça.

Veja a foto ao lado: a seta e o retângulo de cor amarelo destacam a representação da plataforma, dividida em setores A, B, C, D, E. Já a seta rosa sinaliza a representação o trem no painel, informando exatamente onde ele se posicionará nesta plataforma.

E repare também que o desenho do trem informa a posição da primeira classe (1), a da segunda classe (2) e também o vagão-restaurante (um desenho de um garfo e uma faca).

Por toda a plataforma há placas indicando os setores A, B, C, D e etc. Se o painel diz que o trem irá parar entre os setores B e D, fique nesta posição e você não correrá o risco de ter que sair correndo atrás do último vagão. E não esqueça também de ficar na altura da classe escolhida.

Algumas placas informam ainda o número do vagão que vai parar naquele setor.

Não falei que tudo é muito preciso na Suíça? A coisa chega a ser milimétrica!

Às vezes, ao chegarmos à plataforma, logo encontramos um trem parado nela. Fique atento(a) para ver se é o seu. Não vá entrando antes de conferir, pois o movimento de trens em algumas estações é tão intenso, que tem ocasiões em que várias composições param na mesma plataforma em um intervalo de poucos minutos.

Na dúvida, há sempre um fiscal da SBB pelas imediações. Eles costumam ser bem solícitos – e poliglotas, na maioria das vezes.

Já comprou seus ingressos?

Não deixe para a última hora e muito menos para comprar durante a viagem. A Get Your Guide oferece um ambiente simples, seguro e com a garantia do menor preço para você comprar com antecedência seus ingressos para atrações, shows, espetáculos, eventos, tours, passeios e muitas outras experiências nos principais destinos do mundo, inclusive Suíça.

Como são os trens na Suíça?

Sua composição chegou? É só entrar e sentar na poltrona que quiser. Como disse antes, não há reserva de assento.

No geral, os trens são bem confortáveis, mesmo na segunda classe. Não viajei na primeira pra comparar, mas posso dizer que achei a segunda muito boa. Não há necessidade de pagar mais caro pra viajar na classe superior.

A maioria dos trens é no estilo clássico, como um ônibus bem confortável. Mas há algumas versões mais simples, como aconteceu na minha viagem até as cidades de Broc e Gruyères, e também alguns com janelões panorâmicos, como na minha viagem até Zermatt.

Alguns possuem 2 andares e muitos contam um vagão-restaurante, que pode variar desde uma simples lanchonete até um bar ou restaurante com direito a garçom e tudo mais.

Independente do trem, cada vagão possui um painel de led ou um monitor que vai anunciando as estações que o trem vai parar. Alguns apenas informam a próxima estação. Outros te dão o itinerário com as próximas paradas.

Placas dentro dos trens suíços

Placas dentro dos trens suíços

Uma voz anuncia, no alto-falante do trem, a estação que se aproxima. Mas como é geralmente em alemão ou francês, oriento guardar o nome e vigiar o monitor. A menos que você seja fluente nestes idiomas, é claro.

IMPORTANTE: Durante a viagem, esteja com a sua passagem ou seu Swiss Pass válido em mãos, pois sempre passa um fiscal pra conferir. Digo isso com firmeza, pois andei bastante de trem na Suíça e em TODAS as vezes fui abordada pela equipe da SBB para conferir meu Swiss Pass.

Se a pessoa não estiver com a passagem ou o passe válidos, leva uma multa salgada no ato. Os fiscais andam com uma máquina de cartão de crédito a tiracolo para essas ocasiões. E infelizmente, presenciei essa situação constrangedora (e desnecessária) várias vezes.

Chegou ao seu destino? Pegue os seus pertences e é só sair. Mas não demore muito, pois em algumas estações a parada do trem costuma ser bem rápida. Aconselho já ir se dirigindo para a porta quando o alto-falante anunciar a sua estação (ou então, quando estiver chegando a hora marcada para a sua chegada).

Como fazer com as bagagens dentro do trem na Suíça?

Para aqueles que são adeptos a uma viagem com malão, a notícia é ruim: não há muito espaço para bagagens grandes nos trens suíços.

O que tem sempre disponível são aquelas prateleiras que ficam em cima das poltronas, que servem para acomodar bagagem de mão ou no máximo uma mala de tamanho P, daquelas que levamos dentro da cabine de um avião.

Nas vezes que andei de trem, só vi um que tinha um bagageiro (pequeno, diga-se de passagem) que podia acomodar malas maiores. A única exceção foi no trecho entre Visp e Zermatt, cujo trem era do tipo panorâmico e mais espaçoso, porque as pessoas costumam andar nele levando equipamentos de neve, como esquis, barracas e etc.

Quem leva alguma mala maior acaba tendo que deixar encostada em algum canto próximo às portas – o que pode ser um transtorno, pois às vezes ela fica no caminho das pessoas e nem sempre há poltronas que estejam perto o suficiente para permitir que você vigie sua bagagem.

Dizem que os roubos são raros por lá, mas vai saber, né?! Eu não arrisquei e a cada estação que o trem parava, me levantava e ficava lá perto da mala. Nada aconteceu, mas foi uma chatice ter que levantar várias vezes.

E olha que não levei nenhum malão! Era só uma mala tamanho M, de mais ou menos 65 cm de altura.

Livrando-se da mala durante o deslocamento de trem pela Suíça

Para quem for fazer alguma visita durante o deslocamento entre duas cidades, há depósito de bagagens em praticamente todas as estações da Suíça (pelo menos nas que passei).

Armários para guardar a bagagem na estação de Zermatt

Armários para guardar a bagagem na estação de Zermatt

Colocando moedas na máquina (o valor depende do tamanho do armário que você irá utilizar), ela destrava a porta e te dá uma ficha redonda que você deverá guardar consigo. Guarde seus pertences e trave a porta de novo. Quando for resgatar a bagagem, basta depositar a ficha na máquina para ela abrir o seu armário.

Para quem não estiver com paciência de vigiar mala durante a viagem ou não quiser sair arrastando-a por aí, uma alternativa boa: a SBB leva a sua bagagem pra onde você quiser.

Pagando uma taxa, você despacha a bagagem numa cidade e resgata mais tarde, no destino que você escolher, podendo incluir algumas mordomias no serviço (como entrega “porta-a-porta”, por exemplo).

Na época que viajei (entre abril e maio de 2015), o serviço chamava-se “Fast Baggage” e só podia escolher destinos que estivessem dentro da Suíça para levarem a sua mala. Mas ao fazer a pesquisa no site para escrever esse post, descobri que este serviço não possui mais esse nome e agora eles também levam a sua mala até os países vizinhos à Suíça.

A vantagem é que você viaja à vontade sem se preocupar em arrastar mala pra cima e pra baixo, ter que procurar espaço para elas dentro do trem ou vigiá-las. E ainda dá pra descer em alguma cidade durante o deslocamento, sem precisar colocar a sua bagagem em armários próprios nas estações de trem.

Despacho de mala na SBB

Despacho de mala na SBB

O despacho ocorre dentro das lojas da SBB das estações ferroviárias e funciona de forma bem parecida com um check-in de aeroporto.

Eu usei o serviço em apenas 1 ocasião, quando precisei ir de mala e cuia de Berna pra Zermatt. Como programei uma parada no caminho para visitar Interlaken, não quis ter que me preocupar com a bagagem durante o passeio. Por isso, despachei de manhã cedo na estação de Berna e combinei de resgatar na estação de Zermatt no final do dia.

Deu super certo, embora eu tenha dado um furo histórico na hora de resgatar a bagagem – que costuma ficar num depósito próprio, dentro das estações. Mas não foi culpa da SBB não, foi falha minha mesmo.

O serviço é impecável, mas infelizmente caro. Na época da minha viagem custou CHF 20 por 1 mala. Mas parece que houve mudança nesse quesito também: o site informa que são CHF 12 por volume, podendo acrescentar algumas taxas de acordo com a mordomia acrescida ao serviço.

Ainda assim é um pouco caro. Mas eu já passei tanto perrengue com bagagens e trens em outras viagens, que preferi pagar pelo serviço neste dia que faria uma parada em Interlaken.

Confira todas as informações atualizadas sobre este serviço, disponibilizadas no site da SBB.

Dicas importantes para seu planejamento de viagem à Suíça

Para não entrar em nenhuma roubada na sua estada pelo país, não deixe de ver nossas dicas de sobrevivência para quem vai à Suíça.

Tá achando tudo caro? Então confira nossas dicas de como economizar em uma viagem à Suíça.

• Aqui no blog temos também outros roteiros de o que fazer em cidades suíças como Interlaken, Genebra, Berna, Lucerna, Zurique, Gruyères e Zermatt. Não deixe de dar uma conferida.

Vai fazer passeios na Suíça? Então confira nossos posts que contam tudo sobre a visita ao Top of Europe e também à fábrica de chocolate Maison Cailler.

• Prefere um roteiro completo pelo país? Confira nossa sugestão de roteiro de 8 dias pela Suíça e saiba o que visitar por lá em 1 semana de viagem.

Vai Viajar?

 Encontre o hotel perfeito para sua próxima viagem com garantia do menor preço. O nosso blog tem parceria com o Booking, serviço que te ajuda a comparar preços de hospedagem em qualquer lugar do mundo de maneira rápida e segura. Você ainda pode fazer uma reserva com a opção de cancelamento gratuito e deixar para pagar só na hora do check-in. Garanta sua reserva de hotel agora mesmo.

 Antes de alugar um carro, faça uma comparação entre as principais locadoras do Brasil e do mundo. A nossa parceira RentCars te ajuda nessa busca de preços e oferece todas as opções de forma rápida e segura. A cobrança poderá ser feita em reais, sem IOF. Divida em até 12 parcelas no cartão de crédito ou aproveite um desconto de 5% no boleto bancário. Compare os valores e economize.

 Não esqueça do seguro viagem. Economize tempo e dinheiro fazendo uma cotação na Seguros Promo. Encontre os melhores planos das principais seguradoras por preços imbatíveis. Pagamento no cartão de crédito em até 12 parcelas ou com desconto no boleto bancário. Ganhe 5% de desconto adicional comprando seu seguro com nosso cupom de desconto: PARAVIAGEM05.

 Compre um chip internacional e se mantenha conectado durante sua viagem. A Easysim4u oferece planos sob medida na Europa com conexão de internet 4G franquias proporcionais ao número de dias do pacote. Você recebe o chip em sua casa, de forma antecipada, e chega em seu destino com tudo funcionando. Compre com 10% de desconto usando o nosso cupom exclusivo: PARAVIAGEM10.

 Encontre as melhores datas para a sua próxima viagem e economize na hora de comprar as passagens aéreas. Usando a plataforma do Passagens Promo você pode pagar com cartão de crédito em parcelas sem juros e sem cobrança de IOF. A empresa conta ainda com selo de qualidade no atendimento. Agora não tem mais desculpe, partiu Suíça!

Reservando com nossos parceiros, além de garantir o menor preço e um serviço de qualidade, você também ajuda a manter o blog e nos motiva a produzir cada vez mais conteúdo.

Galeria de Fotos:

30 Comentários
  1. rose bressan

    muito bom viu….adorei suas dicas, não escondeu nada…bjs

  2. Valeria

    Estou adorando seu Blog! Quero ler tudo! Estarei em Veneza e gostaria de ir de trem para a Suiça, regiao de Lausanna. Vou com meus pais idosos e preciso saber se é tranquilo. Se da para ver a paisagem, qual empresa de trem utilizar, se o bagageiro é pequeno … Como é o tempo em abril….. Li tbm seu post sobre Veneza e ja decidi ficar proximo a Santa Lucia!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Valeria!
      Obrigada pelo elogio! 🙂
      Visitei a Suíça no final de abril e o clima é frio, mas nada absurdo. A temperatura mais baixa que peguei foi 4 graus em Zermatt, mas nas outras variou em torno de 10 a 15 graus. Isso excluindo os passeios de mirante, claro, onde a temperatura geralmente é negativa.
      Lausanne fazia parte do meu roteiro original, mas tive um imprevisto e acabei não visitando-a.
      Por isso, te digo o seguinte: ir de Veneza até Lausanne de trem vai ser meio impraticável. É muito longe! Dando uma olhada no site da Rail Europe, a opção “menos pior” leva 7 horas de um destino até outro – e com conexão (onde vc troca de trem e tem que ir arrastando mala…).
      E não: não há muito espaço pra malas grandes nos trens italianos e suíços. Leve, no máximo, uma tamanho M (de cerca de 65 cm de altura).
      A melhor opção entre Veneza e Lausanne é pegar um vôo. O ideal seria incluir esse trecho na reserva da cia aérea que vc for utilizar pra ir do Brasil pra Europa. Elas geralmente dão um belo desconto no valor final, nesses casos.
      Outra opção seria usar os vôos “low cost” que circulam dentro da Europa. O problema é a bagagem, pois as tarifas baratas são apenas para quem não for despachar mala (do contrário, a tarifa sai pelo preço convencional).
      Por fim, se vc quiser aproveitar as paisagens suíças pelo trem, uma opção é pegar um vôo de Veneza até alguma cidade Suíça (sugestões: Genebra, Berna e Zurique), visitando uma delas em 1 dia e depois indo à Lausanne. Assim, este destino estará de 1 a 2 horas de trem. 😉
      Se for utilizar o serviço ferroviário dentro da Suíça, como falei no post, é com a empresa SBB. Caso decida sair da Itália de trem, pode ser que vc utilize tb a empresa italiana de trens Trenitalia.
      Ufa! Fique à vontade pelo blog, onde trago todas as minhas dicas de viagem sobre esses destinos.
      Abs

  3. ingrid

    Vamos fazer nossa primeira viagem totalmente independente em fevereiro do ano que vem, estava desesperada atras de informações, medo de me perder. Adorei seu blog, parabéns !!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Ingrid!
      Obrigada pelo elogio!
      Te entendo perfeitamente, pois senti a mesma coisa antes de fazer a minha 1ª viagem independente. E te confesso que esse receio pré-viagem vai acontecer sempre – já estou caminhando para a minha 6ª viagem nesse estilo e ainda continuo cheia de medos antes de ir.
      Mas digo por experiência tb, que ao chegarmos lá no nosso destino, tudo dá certo. A vantagem das coisas na Europa é que elas funcionam e geralmente são organizadas, o que facilita muito a vida do turista.
      Vá sem medo, pq no final sempre dá tudo certo! E quando ocorrem os imprevistos, pode acreditar: serão as melhores histórias que vc vai trazer pra casa. 😀
      Uma ótima viagem pra vc!

  4. julio cesar

    Estarei em chamoni, na frança e gostaria de ir a genebra. o tempo de viagem até a genebra é muito, vale a pena? é um passeio tipo bate e volta.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Julio!
      O ideal pra um bate-volta é que uma “perna” da viagem dure até no máximo (estourando) 3h. Mais do que isso, vc perderá um tempo enorme do seu dia só de deslocamento.
      Segundo o site da SBB, a viagem entre entre Chamonix e Genebra dura entre 2h45 e 3h30, dependendo do trem. Se vc tentar pegar esse trem que leva menos tempo, então dá pra fazer o seu bate-volta.
      Caso contrário, acho corrido: vc perderia 7h do seu dia só com a ida + volta…
      Abs

  5. dagmilson

    Oi Fernanda, otimo seu blog. Vamos a Suica em setembro, chegando por Genebra, mas nos hospedaremos em Lausanne, entao iremos pegar um trem direto a Lausanne. Queremos assim que chegar no aeroporto, comprar o Swiss Pass. Onde posso comprar o passe no aeroporto de Genebra?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Dagmilson!
      Obrigada pelo elogio!
      A estação de trem fica dentro do aeroporto. Saindo da sala de desembarque, basta seguir as placas (indicando “train”) e logo vc chegará à estação ferroviária.
      Uma vez nela, logo irá se deparar com a loja da SBB (exatamente esta aqui) e aí é só entrar e comprar.
      Minha chegada à Suíça tb foi por Genebra. Só que segui direto para Berna (que aliás, costuma ser o mesmo trem que passa em Lausanne).
      Abs

  6. Marcel

    Fernanda, boa noite.
    Eu já tenho o Swiss Pass e gostaria de saber como faço as reservas para os trens panorâmicos.
    Obrigado
    Marcel

    • Fernanda Rangel

      Oi, Marcel!
      Tem que fazer direto com as empresas oficiais que organizam esses passeios. Sugiro acessar o site e seguir as orientações, pois cada um tem a sua política.
      Segundo soube, no geral se faz por e-mail ou por telefone, mas teria que checar isso nos sites oficiais.
      Abs

  7. eliana silva lisboa

    Fernanda , estou gostando muito de planejar minha ida a Suiça ” com você ” . Seu blog é ótimo !
    Me de uma sugestão : Chegarei por Genebra e a idéia é se hospedar em Montrex , para fazer passeios a Lausanne , a Evian , ao Chillon , a Lauvaux , a Cailler e Gruyeres , Sion , Vevey e a Genebra ; lendo os post agora estou na dúvida se não é melhor ficar em Lausanne estas 4 noites ( mais barato e mais central ?)
    No quinto dia pretendo ir para Zermatt por 2 ou 3 noites ; inicialmente planejamos ir de Zermatt a Luganno ou outra cidade da Suiça Alemã antes de seguir para Lucerna , mas desanimei com a distancia , quase 6 h de trem . Dormiria em Lugano e no outro dia seguiria para Lucerna ou Berna , onde passaremos 4 noites antes de ir para Annecy , encontrar amigos ( França) .
    que lhe parece ?
    Escolho Montrex ou Lusanne como base ?
    Arrisco ir a Luganno ?
    Talvez deixar Genebra para visitar no dia de pegar o vôo para Lisboa a noite seja mais racional . não ?
    Viria na véspera de Annecy , começaria cedo o passeio e voaria inicio da noite para Lisboa ….
    Obrigada.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Eliana!
      Eu que agradeço o elogio! 😀
      O meu roteiro original contava com Montreux e Lausanne, mas tive imprevistos lá na viagem e acabei tendo que tirá-los do meu roteiro. Mas cheguei a estudar as 2 cidades e te digo que, se tivesse que escolher entre as 2 para cidade-base, eu escolheria Lausanne. Ela é maior e tem mais opções de trens para vários pontos da Suíça (e as cidades francesas perto da fronteira, se não me falha a memória). Só não sei se seria mais barato, teria que pesquisar…
      Zermatt é uma cidade encantadora, mas é contramão para a maioria das cidades conhecidas da Suíça. Aí é pesquisar as melhores opções.
      Não visitei Lugano, mas se eu tivesse mais tempo na Suíça, colocaria com certeza. Dizem que é linda!
      Para o último dia dessa viagem, o ideal é que seja na cidade onde vc pegará o avião para o próximo destino (ou pra casa). Aí depende de onde vc sairá pra seguir pra Lisboa. Se for Genebra, é uma boa ideia sim.
      O Ricardo Freire do “Viaje na Viagem” tem uma citação muito certa: “é muita Suíça pra poucos dias”. Quanto mais dias a gente coloca na viagem, mais lugares incríveis aparece pra conhecer. Fazer um roteiro pra esse país é um desafio e tanto e entendo perfeitamente suas dúvidas. No meu caso, como era a 1ª visita ao país, priorizei as cidades mais conhecidas e deixei outras menores pra uma outra vez, já que tinha apenas 8 dias no país. Era melhor conhecer bem as principais do que colocar muita coisa e fazer tudo correndo e conhecendo “mais ou menos”.
      Abs

  8. Maria Alice

    Olá Fernanda, suas informações sobre o que fazer com a bagagem, para quem está viajando de trem, foi fundamental.
    Estou programando uma viagem para junho e entrarei de avião por Genebra, e a partir daí pegarei um passe de trem flex para rodar pela Suíça. Meu segundo ponto será Lausanne e depois gostaria de ir até Zermatt passar um dia. Você acha viável ? Tem alguma sugestão? De lá vale a pena eu direto para Berna para ir passear na região de Interlaken. Agradeço desde já sua atenção.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Maria Alice!
      Desculpe a demora pela resposta.
      Zermatt é meio contramão para a maioria das cidades suíças, pois é preciso fazer 2 baldeações de trem pra chegar lá. Mas como é também uma cidade bem pequena, dá pra fazer um bate-volta sim, desde que vc saia bem cedinho da origem, pra aproveitar bastante o seu dia.
      Quanto a Interlaken, a melhor opção é mesmo um bate-volta de Berna. Mas aí seria preciso saber qual o seu objetivo: visitar apenas Interlaken ou fazer o passeio do Jungfraujoch? Porque os 2 no mesmo dia fica meio corrido. No meu caso, fiz 1 dia só pro Jungfrau e outro visitei Interlaken no deslocamento entre Berna e Zermatt.
      Fiz um resumo da minha viagem no post Roteiro de 8 dias pela Suíça. Lá tem mais dicas que poderão ajudar a fazer sua programação.
      Abs

  9. Wellington Costa

    Olá Fernanda, estou indo para Zermatt no início de Março. Passarei apenas 2 dias e o aeroporto de saída é o de Genebra. Gostaria de saber se em Março ainda neva e também saber se tem algum trem comum e mais barato até Zermatt , e se eu comprar na hora a passagem fica mais cara?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Wellington!
      Vamos lá…
      1) Difícil saber com 100% de certeza, ainda mais com esse clima louco de ultimamente. Visitei no final de abril e estava bastante frio, mas não tinha mais neve na cidade, só lá nas montanhas mesmo. Deu pra brincar numa boa e ter contato com ela. Como vc vai em março, creio que não haverá problemas pra encontrar neve por lá.
      2) Até onde sei, é preciso fazer baldeações pra chegar em Zermatt. Teria que pesquisar, mas os trechos que vem de várias cidades suíças tem que saltar em Visp e pegar um trem panorâmico até Zermatt (que apesar de ser diferente dos trens convencionais, a passagem cobrada é a de um trem normal). O site da SBB (a cia ferroviária da Suíça) te dá todas as opções de trechos pra lá. Aí é comparar os preços…
      3) Passagem comprada na hora é sempre mais caro. Quanto maior a antecedência, mais barato.
      Aliás, dependendo do seu roteiro pelo país, a opção mais em conta costuma ser adquirir o Swiss Pass. Mas tem que fazer as contas pra cada caso.
      Sugiro uma lida nos posts abaixo, que podem te ajudar nesse quesito. Basta clicar nos links. 😉
      Abs
      Como Funciona o Swiss Pass?
      Dicas para economizar em uma viagem à Suíça

  10. Wellington Costa

    Muito obrigado pelas dicas Fernanda, me ajudou bastante. Vou dá uma lida nos posts. Muito bom seu blog! Abraço.

  11. myriam rocha

    Ei Fernanda, você conhece Spiez, perto de Interlaken? Vou a Interlaken em maio, mas vou dar uma parada lá, guardar as malas e dar um giro pela cidade, seguindo para Interlaken depois.Sabe me informar se na estação ferroviária de Spiez tem guarda volumes?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Myriam!
      Só fiz uma conexão em Spiez quando estava indo pra Zermatt. Apenas troquei de trem, de modo que não saí da área das plataformas.
      Tem uma página do site da SBB sobre a estação de Spiez. Não está claro ali se tem armários (veja aqui).
      Há alguns fóruns na internet (em inglês) em que já citaram que há sim “lockers” na estação de Spiez. Mas não sei se dá pra ter certeza sobre a veracidade dessas informações.
      Abs

  12. Adriana Barros

    Olá Fernanda, tudo bem?
    Estou programando ir de Zurique para Interlaken via Berna ( despachando as malas ). No site da SBB só encontro passagens com horário de saída marcado de Berna para Interlaken. Posso comprar a passagem Zurique – Interlaken, parar em Berna o tempo que quiser e depois pegar o próximo trem para Interlaken mesmo tendo comprado o bilhete com horário de saída de Berna?
    Obrigada desde já
    Adriana

    • Fernanda Rangel

      Oi, Adriana!
      Desculpe a demora pela resposta.
      Acho que isso só seria possível se vc tivesse o Swiss Pass. As passagens compradas avulsas, até onde sei, são com dia e hora marcados. Se vc chegar muito depois do horário previsto em Zurique, acredito que vc provavelmente terá problemas.
      Dando uma olhada no site da SBB, encontrei a opção do ticket “Multiply-Journey” que pode ser para o seu caso. Dá uma olhadinha aqui.
      Abs

  13. Renata Nogueira

    Anotei todas as dicas que você deu. Parabéns pelo post.

  14. bruno

    vou comprar uma passagem de veneza mestre, para chamonix mont blanc na frança pela sbb.

    quando eu concluir a compra eu consigo imprimir aqui no brasil a pssagem? pq eles querem cobrar 89 chf para enviar a passagem

    • Fernanda Rangel

      Oi, Bruno!
      Nunca comprei passagem pela SBB (quando visitei a Suíça, usei o Swiss Pass). Mas é estranho esse valor. Dificilmente, uma postagem sairia tão cara.
      Baseando por outras vezes que comprei passagem de trem online (Áustria, Espanha e Canadá), sempre me foi enviado o voucher por e-mail, com o código de barras ou QR Code disponível para conferência dos fiscais. E nada foi cobrado por isso.
      O que sei é que, às vezes, quem manda a passagem pelo correio é a Rail Europe. Mas achei estranho a SBB fazer isso…
      Como vc vai fazer o trajeto Itália > França, tente pesquisar o mesmo trecho pelas cias ferroviária desses países: a Trenitalia e a SNCF.
      Abs

      • Bruno

        então, eu pesquisei e não consegui achar de veneza para chamonix, só pela SBB, mas na hora de comprar nao aparece a opção e-ticket nem nada, o que eu devo fazer? me deem uma luz pq daqui 70 dias to indo e to sem passagem pra um trajeto =(

        • Fernanda Rangel

          Bruno, infelizmente não sei como te ajudar…
          Como te disse, eu usei o Swiss Pass e não fiz nenhuma compra no site da SBB.
          Tente entrar em contato com a SBB para tirar essa dúvida. Só eles poderão te dar a informação mais precisa. O canal de contato deles é esse aqui.
          Abs

Totos os direitos reservados