Dicas de Sobrevivência Para Quem Vai à Itália

Você está indo para a Itália por conta própria e está com receio do que irá encontrar? Então não perca essas dicas de sobrevivência e tire as suas dúvidas.

Itália

Uma viagem internacional, feita por conta própria, é a melhor opção para quem quer conhecer bem um lugar e ficar livre pra fazer o que bem entender, no seu próprio ritmo.

Mas por outro lado, também gera certa insegurança. Afinal, trata-se de outra cultura, outro idioma, outros costumes... Sem a segurança e o conforto de um guia turístico, a pergunta que não quer calar é: “será que conseguirei me virar sozinho(a) por lá?”.

Pensando nisso, escrevi este post com o objetivo de ajudar o leitor do blog a tirar algumas dúvidas, utilizando a minha experiência como referência.

Longe de mim querer dizer o que é certo ou errado. A intenção aqui é dar as minhas impressões para que você possa ter uma ideia do que poderá encontrar quando chegar ao seu destino.

É claro que cada um tem uma opinião. Por isso, convido os leitores do blog a fazerem seus comentários no final do post. Assim, poderemos todos ajudar aqueles que estão com viagem marcada para este maravilhoso país.

Como são os italianos?

Itália

Itália

Achei um povo extremamente simpático. E digamos... Intenso! Aquela fama de falarem alto e gesticularem muito, procede mesmo.

Mas há uma diferença entre o italiano do sul (Roma, Nápoles) e o italiano do norte (Milão, Veneza).

Os do sul são mais falantes, mais expansivos e, consequentemente, mais simpáticos. O brasileiro costuma se identificar mais com estes, já que o jeito deles é tão despachado quanto o nosso. E é o mais próximo do estereótipo do italiano que o brasileiro tem em mente.

Já os do norte são mais “europeus”. São mais contidos, falam mais baixo, não gesticulam tanto. São, no geral, mais comedidos. O brasileiro estranha um pouco mais, pois às vezes eles chegam a ser um pouco rudes, principalmente com quem chega tratando-os como se eles tivessem o jeito dos italianos do sul.

Felizmente não cheguei a ser destratada. Basta sabermos lidar com o jeito de cada um, respeitando o espaço deles.

Uma curiosidade: os cidadãos nascidos em Roma realmente se ofendem se são chamados de italianos. Eles se consideram romanos, e não italianos!

E pra mulherada de plantão: sim, os italianos são galanteadores! Naquela simpatia típica, eles vão se chegando e soltando as suas pérolas... Geram situações engraçadas, mas algumas vezes temos que nos impor, para frear os galanteios. Felizmente, os italianos costumam respeitar e entender o “chega pra lá”.

Outra coisa que me chamou muito a atenção: você não precisa nem abrir a boca pra falar, pois eles já sabem que você é do Brasil. É impressionante! Não importa o seu biotipo... Eles sabem que você é brasileiro.

Muitas vezes eles desconfiam porque reconhecem o português falado. Mas o incrível é que, mesmo sem falar uma palavra, eles já adivinham.

Passei por situações bem inusitadas. Em uma delas, entrei num restaurante em Roma (calada, diga-se de passagem) e enquanto me dirigia para uma mesa, um garçom passou por mim, levantou um dos braços e soltou “Ordem e Progresso!”. Detalhe que não estava com nenhum acessório que denunciasse minha nacionalidade.

Uma vez perguntei para um italiano (que antes do “Buongiorno”, me soltou um “Brasiliana ???”) como é que eles sabiam disso, sem eu mesmo ter aberto a boca pra falar. A resposta foi um simples: “Pelas feições”. Então tá, né...

Vai saber quais serão as feições características do brasileiro, já que somos uma mistura de raças. Mas enfim, somos totalmente reconhecidos na Itália... E, felizmente, bastante queridos por eles.

Internet no celular durante a viagem

Não dá mais pra viajar para o exterior sem internet no celular. Para fugir das altas tarifas das operadoras a melhor solução é comprar um chip internacional antecipadamente e já chegar no destino com tudo funcionando. A Easysim4u oferece planos sob medida na Europa com conexão de internet 4G franquias proporcionais ao número de dias do pacote. Compre com 10% de desconto usando o nosso cupom exclusivo: PARAVIAGEM10.

Não perca a nossa resenha no post: Utilizando o chip da EasySim4U na Europa

A comida na Itália

Mangiare!

Mangiare!

Se tem um país onde se come bem, com certeza este é a Itália.

É difícil encontrar um restaurante que não sirva uma refeição que não seja saborosa. Os italianos levam muito a sério este quesito e há uma espécie de competição entre os estabelecimentos. Cada um quer que sua comida seja melhor que a do vizinho.

E os frequentadores agradecem, pois eles vivem se superando.

O molho de tomate deles não tem igual no planeta. Aliás, o tomate italiano é o mais saboroso que já provei. Juntando o talento para a culinária que eles tem, então você pode imaginar como deva ser as delícias que eles preparam...

As massas são realmente deliciosas. Mas alguns brasileiros podem estranhar, pois elas são servidas al dente, ou seja, um pouquinho mais duras.

Pizza italiana

Pizza italiana

A pizza italiana é um capítulo à parte. Me falaram que era totalmente diferente da brasileira e muito sem graça... Minha opinião? Discordo! De fato, ela é bem diferente da brasileira, mas dizer que é sem graça... Pelo menos pra mim, não procede.

Não existe este esquema “brotinho, média e família”. Lá, a pizza tem apenas 1 tamanho. E é relativamente grande, mais ou menos uns 30 ou 40 cm de diâmetro. Em compensação, a massa é bem fina.

Não há uma grande variedade de sabores, como acontece aqui no Brasil. Você encontrará, basicamente, 2 tipos: a Margherita (tomate, manjericão e azeite) e a Marinara (tomate, alho, azeite e orégano).

A maioria não leva queijo. Talvez aí esteja a grande aversão de alguns brasileiros que experimentam as pizzas de lá. Mas isso é contornável: basta pedir para colocarem o queijo nela, geralmente com um acréscimo pequeno ao valor. E vocês pensam que eles colocam muzzarela comum? Na-na-ni-na-não... Quase sempre é muzzarela de búfala, a melhor que existe!

Também já ouvi falar que os italianos às vezes se ofendem se você pedir para colocar o queijo ou ketchup na pizza. Com relação ao queijo, pelo menos comigo, ninguém ficou ofendido (eles devem ter se acostumado de os turistas pedirem). Já o ketchup, nem me atrevi a usar. Motivo: o molho de tomate é tão bom e farto que não achei necessário utilizá-lo.

Gelato

Gelato

E o gelato (o famoso sorvete italiano)? Di-vi-no! Sempre soube da fama deles e já fui meio que achando que as pessoas exageravam um pouco. Afinal, o que teria de tão especial? E quebrei a cara, porque eles são espetaculares!

Quanto às bebidas, cada região da Itália tem sua especialidade. Mas, de um modo geral, você irá encontrar os refrigerantes, a água (frizzante ou naturale, ou seja, com e sem gás), a birra (cerveja) e, é claro, os vinhos.

Dentre as bebidas típicas, destaco o Limoncello (para quem for à região da Costa Amalfitana), o Bellini (drink de champagne e suco de pêssego, encontrado em Veneza) e o Spritz (bebida típica do norte que leva Aperol, Prosseco e laranja).

Outra coisa que não posso deixar de dizer é o ritual da refeição dos italianos. Eles comem muito bem e o processo consiste em várias etapas:

1. Antipasti – é a famosa “entrada”. Geralmente consiste em pães, frios e a bruschetta (uma espécie de torradinha com tomate picado, queijo e manjericão em cima).

2. Primo Piatto – geralmente uma massa, risoto ou sopa. É o que a maioria das vezes o turista pede.

3. Secondo Piatto – consiste em um prato de carne. E há quem ainda pede o acompanhamento (ou contorno), geralmente legumes ou salada.

4. Dolce – é a sobremesa. Geralmente um doce ou fruta.

Antipasti, Primo Piatto, Secondo Piatto e o Dolce

Antipasti, Primo Piatto, Secondo Piatto e o Dolce

Achou muito? Pois o italiano ainda acha um espacinho para o “digestivo”, que geralmente é um café expresso (forte à beça, diga-se de passagem) ou um licor.

Alguns podem ficar surpresos com tanta fartura para uma refeição. Eu confesso que, ao visitar a Itália, minha surpresa foi outra: como é que os italianos conseguem ser magros fazendo esse ritual diariamente?

O brasileiro, assim como a maioria dos turistas, não possui o hábito de fazer este ritual, digamos, extenso. Soube que, antigamente, os italianos ficavam ofendidos quando o turista pedia apenas uma das etapas (geralmente o primo piatto) e recusava o restante.

Hoje em dia isso mudou. Você pode pedir o que quiser. Talvez por estarem acostumados a receberem uma horda de turistas o ano todo, eles foram meio que obrigados a aceitar que as pessoas não possuem os mesmos hábitos (e o estômago) deles.

Se o cliente não está satisfeito, ele não consome. Se não consome, o italiano perde grande parte da freguesia. Era melhor se adaptar, não é mesmo?

Na Itália há vários tipos de estabelecimentos onde fazemos as refeições. Os que você mais irá encontrar são:

Trattoria – um pequeno restaurante, geralmente pertencente a uma família italiana. Algo parecido com o que conhecemos aqui como “cantina italiana”. As refeições geralmente possuem um preço médio.

Ristorante – são geralmente restaurantes mais finos, com preços um pouco mais caros.

Rosticcerie – é uma espécie de lanchonete, que vende “para viagem”, como pedaços de pizza (pizza al taglio), salgados, sanduíches e etc.

Pizzerie – o nome é auto-explicativo. Mas não serve só pizzas não: muitos tem massas também. Geralmente, os preços são mais em conta.

Uma coisa que achei interessante: alguns restaurantes da Itália possuem um cardápio em português. E o que é mais curioso ainda: na capa, ao invés de haver uma bandeira de Portugal (que na verdade é a pátria de onde surgiu o português), há uma bandeira do Brasil.

Como se virar com o idioma na Itália?

Parla italiano?

Parla italiano?

Eis um dos maiores motivos de insegurança para o turista que está indo por conta própria. Como se virar com o idioma?

O italiano não é uma língua difícil de entender. O problema é que os italianos falam muito rápido, e muitas vezes gesticulando. Aí acaba confundindo quem tenta entendê-los.

Quem fala inglês, mesmo que “meia boca”, costuma se virar muito bem. Até porque, o turista vai mesmo é nos lugares que geralmente são para turistas e os funcionários já estão, de certa forma, acostumados e treinados.

O inglês deles é tão básico quanto o nosso. Apesar disso, no final, acabamos nos entendendo.

Mas infelizmente, nem sempre o inglês nos salva, pois em alguns lugares eles não falam mesmo. Isso me aconteceu quando estava indo para San Gimignano. Eu precisava de uma informação e o pessoal disponível não falava nada de inglês. Eles falando devagar o italiano e eu falando devagar o português, conseguimos nos entender bem. Foi uma situação engraçada, mas acabou dando certo.

Você logo irá perceber quando for fazer as reservas de trens e de hotel: o nome das cidades italianas nem sempre se escreve ou fala da mesma forma que no português. Por exemplo, Florença é Firenze, Milão é Milano, Veneza é Venezia, Pádua é Padova, e por aí vai.

É considerado de bom tom, o turista tentar pelo menos falar alguma coisa do idioma do lugar. Imagine um estrangeiro, que esteja visitando o Brasil, chegue pra você e comece a falar um monte de coisas em inglês. Você tem a obrigação de entender e responder? Agora imagina esse estrangeiro chegar com um “Bom dia. Do you speak english?”... Você não se sentiria mais disposto(a) a ajudar?

Não há necessidade de você aprender a falar tudo em italiano. Basta começar o diálogo com algo do idioma, mesmo que o restante seja em inglês (ou, quem sabe, em português).

Para ajudar, eis algumas palavras de cortesia (com a pronúncia entre parênteses):

Buongiorno (“buondjôrno”) – é o “bom dia” deles. Pode ser utilizado enquanto o dia estiver claro, mesmo que seja manhã ou tarde (não existe “boa tarde” em italiano).

Buonasera (“buonassêra”) – é o “boa noite”. Utilizado quando for cumprimentar alguém à noite. Não utilize Buonanotte, cujo significado é “boa noite” para quem estiver indo dormir.

Grazie (“grátzie”) – é o “obrigado”. Vale tanto como agradecimento, quanto para aceitação (quando alguém te oferece algo).

Prego (“prégo”) – é o “de nada”. Não tem um brasileiro que não ache graça quando ouve essa expressão pela primeira vez, logo após falar um Grazie.

Ciao (“tchau”) – é utilizado como “oi” pelos italianos, o que muitas vezes confunde o brasileiro.

Arrivederci (“arivedêrtchi”) – é como os italianos se despedem. Se for o caso de uma despedida em que você não verá tão cedo aquela pessoa, utiliza-se Addio (ou adeus).

Mi scusi (“misscúsi”) – é a forma de pedir desculpas. Mas também é utilizado para quando abordamos uma pessoa para pedir informações.

Permesso (“permésso”) – é utilizado quando pedimos licença.

Não irei colocar aqui frases em italiano, pois além de haver vários guias para turistas nas livrarias, o post iria ficar muito extenso. Porém, algumas palavras são essenciais para que você consiga se virar no seu dia-a-dia. São estas:

Algumas Palavras

Algumas Palavras

Quanto gastar por dia na Itália?

Eis um tema delicado, já que cada um tem um objetivo e um orçamento próprios.

No geral, a Itália é um país caro. Você já irá perceber isso quando estiver fazendo a reserva do hotel (que aliás, são um dos mais caros da Europa). Fora que o câmbio do euro vem aumentando ultimamente.

As cidades mais caras são as mais badaladas: Roma, Florença, Veneza e Milão. Visitei estas e outras menores e posso dizer que tudo é mais caro nos grandes centros.

Euro

Euro

De longe, a mais cara foi Veneza. Por ser um lugar único, a gente acaba pondo a mão no bolso e encarando as despesas. Mas se colocar na ponta do lápis, é uma cidade bastante cara.

Em minhas viagens, procuro não ficar convertendo tudo pro Real. Porque senão, a gente não bebe uma água ou não compra um chaveiro. É claro que, em certos momentos, é necessário. Mas não dá pra entrar na paranoia de fazer conta pra tudo.

DICA: Crie uma meta de gasto por dia. Faça aquele dinheiro render, sem pensar muito no quanto custaria se fosse em Real. A não ser que você vá comprar alguma coisa que compraria por um preço alto no Brasil. Aí sim é bom converter pra ver se vale a pena comprar aquele item lá fora.

Ainda não reservou seu Hotel?

A melhor forma de escolher onde se hospedar em sua próxima viagem é pesquisando em sites comparadores como o Booking e o Hoteis.com. De forma rápida você consegue comparar vários hotéis que se encaixam no seu perfil, avaliar as qualificações dadas por outros hóspedes e assim achar um local bacana que cabe no seu bolso.

O transporte público varia de lugar pra lugar. Dependendo do bilhete, ele pode variar de centavos de euro até algumas dezenas. O bilhete mais caro que paguei, adivinha onde foi? Veneza, é claro! (Ainda bem que é um lugar maravilhoso...).

Não sou uma gastadora inveterada, mas confesso que não gosto de passar vontade. Se eu encontrar algum item que eu goste muito, compro mesmo (pra minha sorte, não tenho muito desses “ataques de vontade”!). Mas enfim, a minha meta diária era de 80 euros (por pessoa).

Ou seja: contando os deslocamentos, os imprevistos, as compras e a alimentação, tudo tinha que estar dentro desses 80 euros por dia. Se passasse, no dia seguinte eu teria que me policiar, pois teria menos. Se sobrasse, ótimo: eu estaria mais livre no dia seguinte.

Isso sem contar que, muitas vezes, eu comprava um bilhete de transporte que valia por 2 dias. Ou seja, eu usava a cota dos 80 euros do primeiro dia pra isso. Em compensação, no dia seguinte eu não precisava me preocupar com o gasto do transporte.

O segredo é: se programar e organizar os gastos.

A segurança na Itália

No geral, a Itália é um país seguro. Mas, é claro, necessitamos ter certos cuidados...

Viatura da Polícia Italiana

Viatura da Polícia Italiana

Da mesma forma que acontece na maioria dos países da Europa, dificilmente você verá assalto à mão armada na Itália. O que é muito visto são os famosos “batedores de carteira”. Enquanto você está lá, distraído com aqueles monumentos maravilhosos, vem um ladrão por trás e abre a sua bolsa, sem você perceber. Tem que ter atenção quanto a isso.

Não sei se felizmente ou infelizmente, o brasileiro que mora em qualquer capital ou cidade um pouco maior, está mais do que acostumado com as regras para se prevenir contra isso. O que aconselho é: não deixe esses cuidados em casa. Você vai precisar deles na sua viagem à Itália.

Outra coisa que vi bastante na Itália: as ruas do entorno das atrações principais estão cheias de vendedores ambulantes, geralmente imigrantes. E eles azucrinam a vida dos turistas!

Imagina só: você está lá, admirando o Coliseu, tirando várias fotos, e toda hora vem um deles, tentando empurrar (às vezes literalmente) alguma bugiganga pra você comprar. Alguns chegam a ter a ousadia de entrar no meio da sua foto! Você fala que não quer e daqui a 1 minuto, lá estão eles perguntando de novo. Você diz que não e dali a 1 minuto, outra vez...

O que me irritou bastante foi a insistência e o fato deles serem extremamente inconvenientes.

Isso quando não vem vários ao mesmo tempo pra cima de você. Minha mãe estava comigo nesta viagem e ela caiu na besteira de se interessar por uma echarpe que um deles estava vendendo. Pronto. Veio uma horda atrás dela e fizeram um verdadeiro rebuliço. Precisamos dar um “Fora!” aos berros pra dispersar todo mundo. Não é uma situação desagradável?

DICA: Se algum ambulante te abordar, faça cara de poucos amigos e dê um “não” bem categórico, o máximo que você conseguir. Isso geralmente dá certo. Se mesmo assim eles vierem te abordar uma segunda vez, dê um “chega pra lá” bem alto e firme. Não só funcionou comigo, como vi uma guia italiana fazer isso e deu muito certo.

Seguro Viagem para visitar a Europa: Sim, é necessário!

Para entrar na Europa, é obrigatório ter um seguro viagem à mão. Nunca me pediram pra comprovar nas imigrações que passei (Londres, Lisboa e Amsterdam), mas como é um pré-requisito para aprovar a sua entrada na UE, temos que estar sempre prevenidos e esperar que o(a) agente da imigração possa querer conferir a papelada do seguro.

Mas independente da obrigatoriedade para fazer a imigração, em qualquer viagem devemos nos preocupar também com possíveis situações de emergência.

E elas acontecem mais frequentemente do que podemos imaginar e, em alguns casos, pode até acabar com a sua viagem. Quem nunca comeu uma comida da qual não estava costumado(a) e teve uma intoxicação alimentar? Ou pegou um clima mais frio do que o esperado e acabou com uma baita gripe? Ou mesmo uma infecção importante?

No meu caso, passei por uma situação adversa na minha visita à Itália que quase colocou tudo a perder. No 4º dia de viagem (ainda teriam 14 pela frente!), a minha mãe fez uma inflamação severa nas pernas, decorrente de um inchaço pelo excesso de andanças, que me obrigou a contactar um serviço médico local. Detalhe: ela nunca manifestou qualquer sinal de má circulação no dia-a-dia no Brasil. Foi uma surpresa.

O seguro que fizemos não só nos atendeu muito bem, como prontamente enviou um médico local ao hotel que a medicou e liberou uma prescrição – que tinha remédios que eu não teria conseguido comprar sozinha, mesmo sendo médica também. Graças a Deus ela melhorou rápido e nossa viagem seguiu normalmente.

E o melhor: tudo incluído no pacote do seguro contratado! Não precisei desembolsar nenhum euro sequer. Isso foi uma facilidade e segurança indescritível. Afinal, não há nada pior do que passar sufoco com saúde e ainda ter que pagar uma grana preta depois pra cobrir as despesas, não é verdade?

Outra vantagem de se contratar um seguro é a possibilidade que algumas seguradoras dão de incluir também um seguro bagagem que te reembolsa, caso haja alguma perda.

Quem nunca teve ou soube de alguém que teve uma mala extraviada e perdida por uma cia aérea, ficando com um prejuízo incalculável?

Por isso, é necessário fazer uma boa pesquisa e procurar as melhores opções com bom custo-benefício para o seu caso.

Já contratou o Seguro Viagem?

Você sabia que quando se viaja para a Europa a contratação de um seguro viagem com cobertura mínima de 30 mil euros é obrigatória? Então, faça agora mesmo uma cotação na Seguros Promo e escolha entre as melhores seguradoras sempre com o melhor custo benefício. Aproveite esse cupom especial do Black November, disponível por tempo limitado, e garanta um desconto de 15% pagando no cartão ou economize 20% no boleto. Utilize o código: BLACK.

Se locomovendo pela Itália

Trens italianos

Trens italianos

A melhor forma de se locomover entre as cidades italianas é utilizando o TREM. O sistema liga praticamente todas entre si. É um transporte seguro, limpo, pontual e eficiente. Os bilhetes variam de preço, conforme o trecho percorrido e o tipo de trem. A Trenitalia é a empresa que administra a grande maioria das linhas que ligam as cidades italianas entre si. Inclusive, é possível comprar passagens pela Trenitalia através do site oficial.

Uma outra maneira de se deslocar entre as cidades é alugar um CARRO. As estradas italianas costumam ser boas e bem sinalizadas.

Para quem gosta de apreciar uma viagem de carro, a Itália é um ótimo lugar pra isso. Suas paisagens são de tirar o fôlego e não são poucos os motoristas que param no meio da estrada para apreciar a vista.

Mas uma coisa deve ser levada em consideração: o carro só é bem-vindo se for pra se deslocar entre as cidades. Ou seja, é desaconselhável circular de carro dentro das cidades italianas.

Os motivos são diversos: o trânsito caótico, a dificuldade de encontrar um estacionamento nos centros históricos (onde geralmente estão as atrações), o aspecto das ruas (geralmente estreitas e com trânsito restrito aos moradores e veículos credenciados)...

Quem aluga um carro, geralmente devolve à locadora ao chegar em determinada cidade ou deixa em algum estacionamento (Parcheggio), que normalmente fica fora do centro. E acaba desembolsando uma graninha para deixá-lo guardado, é claro.

Alugar um carro pode ser uma ótima opção

A melhor forma de explorar um novo destino, com liberdade total, é alugando um carro. Em muitos casos você poderá economizar, evitando despesas com translados e deslocamentos em geral. Será que vale a pena? Faça uma cotação online na RentCars e encontre as menores tarifas entre as principais locadoras. Você tem a vantagem de poder pagar em reais, sem IOF, e ainda parcelar no cartão.

Em cada cidade há um órgão que administra o transporte público. No geral, elas contam com ônibus, taxis e bondes (ou veículos sob trilhos). Metrô, somente em Roma, Nápoles e Milão (dentre as cidades que visitei).

Os ÔNIBUS geralmente são tranquilos e os pontos bem sinalizados. Alguns chegam até a oferecer o itinerário das linhas que passam por ali, o que facilita bastante a vida do turista. Em algumas cidades, há painéis de led que não só informam as linhas, como disponibilizam o horário que o ônibus vai passar. E não dá outra: na hora certa, eles chegam!

O METRÔ e os BONDES funcionam num esquema semelhante, parando automaticamente em todos os pontos assinalados no mapa que fica nas estações e no interior do veículo. Super prático para o turista.

Os TAXIS são uma opção mais cara, mas salva em algumas situações. Geralmente são confiáveis. Mas, por precaução, evite alguns horários tardios, principalmente se estiver sozinho(a). E procure sempre algum taxi que tenha algum emblema da Prefeitura daquela determinada cidade. Estes costumam ser os oficiais.

Informações adicionais

Aqui no blog temos vários artigos que poderão enriquecer sua visita à belíssima Itália.

Caso esteja planejando passear por várias cidades italianas e quer uma sugestão de roteiro completo, não deixe de conferir nosso Roteiro de 18 dias pela Itália.

Se preferir sugestões separadas por cidades, há posts bem legais com meus roteiros de viagem para Roma, Pisa, Verona, Veneza, além de outras cidades italianas.

Há também ótimos diários de viagem.

Ou então, acesse nossa página completa de destinos e confira todo nosso conteúdo sobre a Itália.

Vai Viajar?

 Encontre o hotel perfeito para sua próxima viagem com garantia do menor preço. O nosso blog tem parceria com o Booking, serviço que te ajuda a comparar preços de hospedagem em qualquer lugar do mundo de maneira rápida e segura. Você ainda pode fazer uma reserva com a opção de cancelamento gratuito e deixar para pagar só na hora do check-in. Garanta sua reserva de hotel agora mesmo.

 Não esqueça do seguro viagem. Economize tempo e dinheiro fazendo uma cotação na Seguros Promo. Encontre os melhores planos das principais seguradoras por preços imbatíveis. Aproveite esse cupom especial do Black November, disponível por tempo limitado, e garanta um desconto de 15% pagando no cartão de crédito ou economize 20% no boleto bancário. Utilize o código promocional: BLACK.

 Compre um chip internacional e se mantenha conectado durante sua viagem. A Easysim4u oferece planos sob medida na Europa com conexão de internet 4G franquias proporcionais ao número de dias do pacote. Você recebe o chip em sua casa, de forma antecipada, e chega em seu destino com tudo funcionando. Compre com 10% de desconto usando o nosso cupom exclusivo: PARAVIAGEM10.

 Encontre as melhores datas para a sua próxima viagem e economize na hora de comprar as passagens aéreas. Usando a plataforma do Passagens Promo você pode pagar com cartão de crédito em parcelas sem juros e sem cobrança de IOF. A empresa conta ainda com selo de qualidade no atendimento. Agora não tem mais desculpe, partiu Itália!

Reservando com nossos parceiros, além de garantir o menor preço e um serviço de qualidade, você também ajuda a manter o blog e nos motiva a produzir cada vez mais conteúdo.

Galeria de Fotos:

165 Comentários
  1. Ana

    Fernanda,estou em Roma e adorei tuas dicas!!!Abraço,Ana

    • Fernanda Rangel

      Oi, Ana!
      Obrigada pelo elogio!
      Abs

      • Ana Paula Peres

        Obrigada por compartilhar, as informações serão de grande relevância pra mim. Estou planejando uma viagem e não falo o Italiano.

        • Fernanda Rangel

          Eu que agradeço o elogio, Ana Paula! 🙂
          Não se preocupe: os italianos são super tranquilos e adoram os brasileiros. Também fiquei um pouco receosa quando fui, mas foi tranquilo de se comunicar por lá.
          Abs

      • Rhielli

        Fernanda, meu sonho é ir pra itália, quero ver se consigo realizá-lo em março de 2020 e teu blog está sendo essencial para melhor entendimento sobre a itália e os lugares que pretendo conhecer, parabens pela forma clara e objetiva como expõe tudo! vou acessar muitas vezes até concretizar esse soinho ♥

        • Fernanda Rangel

          Oi, Rhielli!
          Obrigada pelo elogio! 😀
          Fico muito contente pelo blog estar te ajudando a idealizar a sua viagem pra Itália – que é um país incrível!
          Eu tb sempre sonhei em conhecer a Itália e como adoro historia (tanto sobre o Império Romano quanto a período medieval e o do Renascimento), então sempre tentava ler alguma coisa antes pra poder enriquecer a viagem que eu pretendia fazer mais pra frente. Até que o dia chegou e não me arrependi: tudo o que eu li antes foi super importante para que eu pudesse dar o devido valor ao que estava visitando. A Itália tem muita riqueza cultural – além das belezas, é claro.
          Num piscar de olhos 2020 chega aí e vc vai estar realizando o seu sonho. E vai ser uma viagem inesquecível, pode acreditar! 😉
          E fique à vontade para nos visitar aqui no blog quantas vezes precisar.
          Abs

        • Rhielli

          Fer, vc chegou a fazer visitação em alguma vinícola? penso em alugar um carro num dia, pra visitar algumas vinícolas até mesmo pra poder aproveitar um pouco mais a paisagem, meu foco será verona, toscana, florença 🙂

        • Fernanda Rangel

          Oi, Rhielli!
          Não fui a nenhuma. Não dou muito fã de vinho e acabei priorizando apenas a visita à algumas cidades da Toscana.
          Mas visitei Verona, Florença e mais 2 cidades da Toscana. Contei tudo o que visitei no post: Roteiro de 18 dias pela Itália.
          Abs

  2. Gisele Mendonça

    Fernanda, estamos indo para Italia dia 16/10/14, suas informações, estao sendo importantíssimas. Bjs e obrigada!

  3. Dani

    Olá, Fernanda!
    Em alguns momentos da minha estadia na Itália estou querendo alugar um carro. Você indica alguma agência? E sobre o seguro, alguma dica?
    Desde já agradeço a sua atenção!
    E parabéns pelo site! Facilitou muito a elaboração dos meus roteiros!
    Beijo

    • Fernanda Rangel

      Oi, Dani!

      Quanto ao seguro, aqui no blog indicamos a Seguros Promo, empresa que oferece comparação de preço entre as principais seguradoras do mercado, exibindo sempre o melhor custo benefício.. É possível dividir o valor em até 12 parcelar ou ainda garantir um desconto pagando à vista.

      Não tenho muita experiência em aluguel de carros na Europa, mas indico o serviço da RentCars, uma empresa que auxilia no aluguel de veículos no exterior. O bom é que ela permite uma comparação de preços entre as empresas de locação. A principal vantagem é poder pagar o valor em reais, dividido em até 12 parcelas e sem cobrança de IOF. Dê uma olhada no site.

      Espero tê-la ajudado. E obrigada pelo elogio ao blog!

  4. Roberta

    Olá Fernanda! Excelente seu blog! Parabéns! Está me ajudando muito…
    Queria sua opinião nas seguintes questões:
    Temos 6 dias em Roma e no primeiro queria comprar roupas térmicas, já que vamos em janeiro. Vc tem algum lugar para me indicar? Pretendo fazer estas compras logo ao chegar, no primeiro dia, já que não temos roupas para o rigoroso inverno europeu.
    E nos 4 próximos dias, pretendo seguir seu roteiro. O que me faz ter 2 dias de “sobra”. Então, pensei: -” Vale repetir o Vaticano ou devo procurar um daqueles passeios guiados a Pompéia ou outros lugares? ” O que vc me aconselha?
    Desde já agradeço

    • Fernanda Rangel

      Oi, Roberta!

      Fico feliz pelo blog estar te ajudando!

      Não conheço nenhuma loja em Roma que venda alguma roupa térmica, pois fui numa época em que as temperaturas são mais amenas. Aqui no Brasil sei que tem uma loja de artigos esportivos, a Decathlon, que vende roupas térmicas para quem pratica esporte de inverno. É uma empresa mundial e tem um site em italiano. Dei uma olhada e parece que há uma filial dela no aeroporto de Roma (Fiumicino). Mas não conheço pessoalmente, era bom vc dar uma olhadinha no site. Ou então, ir a alguma Decathlon aqui no Brasil mesmo. Só não sei se as roupas térmicas vendidas aqui são tão “poderosas” como as de lá.

      Quanto aos 2 dias extras, vc pode complementar o meu roteiro. Por exemplo, acabei deixando de fora o Trastevere e a Galeria Borghese.

      Preferindo sair de Roma, eis algumas opções (alguns eu fui e outros, não):

      Os que não fui:

      Ostia Antica – são ruínas da antiga cidade portuária de Roma. Costuma ser uma ótima opção para quem não quer ir até Pompéia, pois tem ruínas que mostram um pouco como era a vida na época do Império Romano. Vá até a estação de trem Roma Lido (próximo ao metrô Piramide) e pegue um trem até a Ostia Antica. Saiba mais AQUI

      Tivoli – uma cidade serrana, próxima a Roma. Pegue o metrô em Roma até a estação Ponte Mammolo (Linha B) e de lá, pegue um ônibus direto para Tivoli. Saltando lá, você terá que pegar o ônibus 4 até o centro da cidade. Uma das atrações principais é a Villa D’Este, um palácio com belos jardins e fontes. Para mais informações sobre esta atração, clique AQUI

      Villa Adriana – são ruínas de uma antiga villa romana. Fica a 5 km de Tivoli. Saiba mais AQUI

      Os que eu fui:

      Nápoles – eu estava hospedada em Sorrento e fiz um bate-e-volta. Particularmente não gostei muito da cidade não, achei muito caótica, um pouco suja… Tem alguns castelos e uma pizza deliciosa (se for até lá, vá na Pizzaria Trianon). Saindo da estação Roma Termini, o trem comum leva cerca de 2h para chegar a Nápoles. Se for de trem de alta velocidade, é 1h apenas.

      Pompeia – também foi o mesmo esquema de bate-e-volta de Sorrento. Eu adorei a visita às ruínas, cujas construções estão relativamente inteiras. Estando em Roma, basta pegar um trem de Roma Termini até Napoles (Napoli Centrale). No subsolo da estação, pegue o trem da empresa Circumvesuviana, que é bem simples (tipo um trem suburbano) até Pompeii Scavi-Villa dei Misteri. Fica na entrada do sítio arqueológico.

      Pisa – essa fica mais perto de Florença. Mas caso você não vá até a Toscana, existem trens direto de Roma Termini até Pisa Centrale. São cerca de 2h30min de viagem.

      Espero tê-la ajudado!

      Abs

  5. Janice Sarti

    Oi Roberta, estou adorando ler as suas dicas. Meu marido e eu iremos à Itália (Roma, Costa Amaioltana, Toscana e um cruzeiro saindo de Veneza) . Vc pode dar dica da temperatura em Abril , prá eu saber que tio de roupa levar? Grata

    • Fernanda Rangel

      Oi, Janice!
      Eu visitei a Itália no mês de maio, sendo que cheguei logo no princípio do mês. Por isso, acredito que a temperatura seja semelhante a de abril.
      Peguei temperaturas bastante amenas, do tipo friozinho de manhã e à noite (algo em torno de 13 a 15 graus) e mais quente no meio do dia (em torno de 23 a 25 graus). Usava calça todos os dias e um casaco (o mesmo que uso aqui no Brasil, ou seja, nenhum casacão pesado), com uma camiseta por baixo.
      O clima do planeta anda meio louco, mas acredito que em abril não esteja um frio absurdo, como em janeiro e fevereiro. Em Roma e na Costa, o clima costuma ser bem mais ameno. Conforme vai subindo pelo país, vai esfriando um pouco.
      Eu levaria um casaco mais quente por via das dúvidas e uma echarpe pra proteger o pescoço, caso vc pegue um dia mais frio.
      Espero tê-la ajudado!
      Abs

  6. ERIKA BERNARDINO

    Fernanda, bom dia

    Você poderia me dizer se o hotel Domus 78 é bem localizado? Vou pela primeira vez para Roma com o meu marido e minha filha de 1 ano e 2 meses em março de 2015 e quero ficar em um hotel que possa caminhar e fazer as atrações a pé de preferência.
    Outra coisa você sabe me dizer como é o clima em Roma de 23/03/2015 à 27/03/2015?
    Obrigada

    • Fernanda Rangel

      Oi, Erika!

      Esse hotel fica no Trastevere, não é isso?
      Eu acho um bairro meio fora de mão, embora fique mais ou menos próximo das atrações. Mas não dá pra ir caminhando até elas, seria necessário pegar alguma condução.
      Por outro lado, vendo aqui no Booking, esse hotel fica numa avenida principal do bairro, com opções de ônibus e veículos sob trilhos (tipo um metrô de superfície). Infelizmente, o metrô não vai até o Trastevere.

      O único “porém” seria o caso de vcs utilizarem um carrinho pra sua filha. Não andei no veículo sob trilhos, mas utilizei o ônibus e não havia espaço pro carrinho neles (a não ser se for levá-lo fechado e a criança for andando ou no colo de vcs). E dependendo tb da hora que forem pegar esse ônibus (pensando no “rush”), às vezes eles vão lotados. O metrô tb não era muito prático neste sentido.

      Se esse hotel não estiver reservado, eu sugeriria ficarem hospedados no centro histórico, onde dá pra fazer muita coisa a pé e, inclusive, dá pra ir caminhando até o Vaticano e ao Monumento Vittorio Emanuelle (com o Forum Romano e Coliseu atrás). Eu fiz isso um dia: visitei a Basílica de São Pedro e fui caminhando até o Centro Histórico e passei por ele todo a pé, sem problemas.
      Claro que pode acontecer de vcs quererem visitar atrações mais afastadas um pouco, mas acredito que seja a minoria no seu roteiro. Nesse caso, se o transporte estiver inviável, é só apelar pro taxi.

      Espero tê-la ajudado!
      Abs

  7. Nazaré Leão

    Parabéns, o blog está muito bom!!!

    Você sabe me dizer qual o clima em abril na Itália?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Nazaré!
      Obrigada pelo elogio!
      Eu visitei a Itália no mês de maio, sendo que cheguei logo no princípio do mês. Por isso, acredito que a temperatura seja semelhante a de abril.
      Peguei temperaturas bastante amenas, do tipo friozinho de manhã e à noite (algo em torno de 13 a 15 graus) e mais quente no meio do dia (em torno de 23 a 25 graus).
      O clima do planeta anda meio louco, mas acredito que em abril não esteja um frio absurdo, como em janeiro e fevereiro. Em Roma, o clima costuma ser mais ameno. Conforme vai subindo pelo país, vai esfriando um pouco.
      Espero tê-la ajudado!
      Abs

  8. Jaira Grando

    Parabens pelo blog.Amei.
    Iremos a costa amalfitana,Napoli,Firenze em maio ou agosto 2016,queremos nos hospedar em Sorrento 3 dias,e visitar cidadezinhas ao redor.Vc me indica alguma praia na costa ?em Firenze quero passar 2 dias,alguma pousada para me indicar boa e em conta?obrigada

    • Fernanda Rangel

      Oi, Jaira!

      Obrigada pelo elogio!

      Já visitei a região da Baía de Nápoles e fiquei hospedada em Sorrento – o que recomedo fortemente!
      Meu roteiro foi um total de 4 dias: o 1º em Sorrento, o 2º para a Costa Amalfitana (Positano e Amalfi), o 3º para a ILha de Capri e o 4º para Pompéia + Nápoles (esse último foi meio corrido, eu sugeriria colocar um em cada dia separado).
      Particularmente não gostei muito de Nápoles e não recomendo ficar hospedada por lá. Na Costa e em Capri, os hotéis costumam ser uma fortuna, já que trata-se um balneário onde muita gente endinheirada costuma passar uns dias. Por isso, a melhor opção é ficar mesmo em Sorrento – que é uma cidade pequena, agradabilíssima e perto de tudo.
      Fiz posts com os meus roteiros em Sorrento (com dica de hotel), Costa Amalfitana e Ilha de Capri. Ainda estou preparando os meus roteiros de Pompéia e Nápoles e breve colocarei aqui no blog.

      Quanto à Florença, fiquei em hotel (falo um pouco dele no meu roteiro de 2 dias). O nosso editor Vinícius tb já foi pra lá e tem outra dica de hotel (dê uma olhada aqui)

      Abs

  9. PETRONIO

    Fantásticas suas recomendações. Embora não seja a primeira vez que viajo para a Italia individualmente, achei suas informações super importantes para quem, mesmo conhecendo bem a lingua ingleza, sómente arranho a lingua italiana.
    Continuarei sempre seguindo seus blogs.
    Cordialmente, Petronio

    • Fernanda Rangel

      Oi, Petronio!
      Obrigada pelo elogio!
      Fico contente não só por ter agradado, mas também por atingir um dos maiores objetivos do blog, que é fazer com que nossas dicas pessoais sejam de grande ajuda para aqueles que estão fazendo o planejamento de uma viagem (uma fase em que, geralmente, estamos cheios de dúvidas).
      Abs

  10. FLAVIA

    Olá, Fernanda! Estarei em Roma com meu marido em outubro, por 10 dias. Ainda estou montando nosso roteiro de passeios, mas sempre fico com tanta dúvida. Queremos andar a pé o máximo que pudermos. Estaremos hospedados no B&B Jolie, na via Palermo. Foi uma boa pedida para podermos conhecer a pé todas as principais atraçoes? Reservamos 2 dias somente para ir ao Vaticano, agora os outros dias ainda nao sei o que fazer e se seria uma boa, pela localizaçao que estamos, adquirir Romapass. Um dos dias iremos fazer um passeio de bike full day (7h) por Roma (amamos pedalar). Não curtimos sair muito a noite, preferimos aproveitar bem o dia desde cedo. O unico passeio que queremos fazer a noite é ver Roma by night. Entao, como pode ver, os outros dias tem que ser bem planejados ainda. Outra coisa, não gostaria de gastar rios de dinheiro com alimentaçao, já que vamos ficar muitos dias e somos em 2 pessoas. Quanto acha que devemos levar somente para alimentação? Podem ser lugares simples, desde que limpos e com comida honesta. Ajuda a gente, por favor? Abraçao!

    • FLAVIA

      Ah esqueci de dizer que um dos dias reservamos para visitar Florença. Chegando cedinho, ver as principais atraçoes, e indo embora por volta de 18h.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Flavia!

      Peço desculpas pela demora da minha resposta. Eu estava viajando e só retornei há poucos dias.

      Mas vamos às suas dúvidas…

      Vcs ficarão 10 dias, tempo mais do que suficiente pra conhecer bem a cidade (meu sonho de consumo é ficar esses dias todos, pois amei Roma!).

      Meu roteiro foi praticamente feito a pé, principalmente no centro histórico. Só utilizei o transporte algumas vezes mais pra ganhar tempo do que descansar as pernas. E foi basicamente diurno, pois acabava o dia destruída pelas andanças, sem a menor condição de sair à noite. Só o passeio Roma By Night que me atrevi, pq foi todo sentada num carro e com descidas rápidas em algumas atrações.

      Sua estadia está muito bem localizada, pertinho da Via Nazionale (que é bem comercial) e da Piazza della Repubblica (onde tem metrô) e o Termini (onde tem metrô, ônibus e trem).

      Fiz um post com o meu roteiro de 4 dias em Roma. Sugiro que o siga e acrescente a ele uma visita a Galleria Borguese e ao Trastevere, que ficaram de fora (isso dá 1 dia). Acrescente mais 1 dia para o passeio de bike. O restante, vcs podem curtir alguns museus extras ou então fazer passeios pra fora da cidade. Sugestões: Tivoli, Nápoles, Pisa e Florença (que vcs já cogitaram e dá pra pegar o roteiro do link e adaptar para uma visita de 1 dia).

      Da alimentação, na época (2013), um prato de massa + 1 refrigerante saía por uma média de 12 euros por pessoa nos restaurantes. As pizzas são bem baratas, uma média de 4 euros por pessoa, sem a bebida. E a pizza é tão grande que, dependendo do estômago e da fome, dá pra 2 comerem. E há tb a opção dos paninis (sanduíches prontos que eles esquentam na hora) e as pizzas ao taglio (pedaços de pizza). Ambos são uma espécie de fast food italiano.

      No geral, eu almoçava uma massa (quis muito fazer isso, pois um dos maiores atrativos da Itália é mesmo a gastronomia) e à noite fazia um lanche, com produtos comprados no supermercado. Isso ajudou a baratear a alimentação.

      Espero que tenha te ajudado a tempo!

      Abs

  11. Marcos

    Bom dia, Fernanda!
    Gostei das suas dicas e seguirei algumas, pois irei, juntamente com minha mulher, à Itália e Portugal em outubro.
    Parabéns pelo Blog
    Abração

  12. patricia

    Bom dia Fernanda, vamos para Roma em agosto, e compramos o Roma pass. Fiz nosso roteiro utilizando o Roma pass no Coliseu e no dia seguinte na Galeria Borguese. Mas hoje fiquei sabendo que devo primeiro usar meu Roma pass na Galeria. me falaram que a primeira leitura magnética deve ser na Galeria. você sabe disto? obrigada por seu post, está nos ajudando muito. abraços

    • Fernanda Rangel

      Oi, Patricia!
      Nunca ouvi falar disso.
      Dei uma olhada na FAQ do site oficial e não encontrei nada falando disso. A única ressalva que eles fazem sobre a Galleria Borghese é que, apesar da gratuidade da entrada com o Roma Pass, é obrigatório pagar a reserva à parte (é uma exigência do local, que impõe um limite de visitantes).
      Obrigada pelo elogio ao post!
      Abs

  13. Sarita Borges

    Oi, Fernanda! Tudo bem? Parabéns pelo blog, está com muitas informações importantes 🙂
    Gostaria de saber se você sabe a média de preço dos estacionamentos em Roma, Florença. Chegaremos nestas cidades de carro e teremos que deixar num lugar por 3 ou 4 dias. Obrigadaaaa!

  14. Beatriz

    oia Fernanda Boa tarde!
    acabei de comprar meu ingresso para a Última Ceia, abriu uma vaga no dia que vou, agora em Agosto, Amém!!
    Gostaria de tirar uma dúvida: você sabe se homem pode entrar de bermuda nessa visita?e para mulher tem alguma restrição, desde já agradeço.
    Bia

    • Fernanda Rangel

      Oi, Bia!
      Não saberia te dizer ao certo… No dia que visitei estava mais para o frio. Então, encontrei todo mundo de calça e de ombros cobertos.
      Dei uma pesquisada no site da atração e em outros locais e não encontrei nada referente a esse fato.
      Por via das dúvidas, eu indicaria que fosse de calça e camiseta (que cubra os ombros). Na grande maioria das igrejas da Itália isso é obrigatório (inclusive no Duomo de Milão).
      Apesar da “Última Ceia” não estar dentro da igreja propriamente dita (fica no antigo refeitório), eles são meio cheios de frescura quanto a essa visita: só entram 20 pessoas por vez, tem que passar por uma espécie de câmara de esterilização antes de visitar o local e etc. Não arriscaria…
      Abs

      • Beatriz

        Obrigada, Fernanda! você é um anjo!
        Acho que vou ficar andando com um leg e um casaquinho fino numa bolsa uahuahuahuahua
        ouvir falar isso mesmo, que eles são bem chatinhos com essas coisas, mas não queria andar de calça o dia todo pq dizem que é muuuito calor agora.
        bjão

  15. Máira

    Olá Fernanda.
    Estarei indo em janeiro pra Italia. Já comprei ingresso pra ópera, próxima a Via Nazionale e pelo mapa, vi que meu hotel estará 6 quadras dali. Estou preocupada em como voltar pois estarei sozinha e ópera costuma terminar tarde(começará às 20:30) Será que estou marcando bobeira voltando sozinha, à noite? Melhor desisitr dessa ópera?
    Obrigada pelas dicas e pela sua atenção.Abraço

    • Fernanda Rangel

      Oi, Máira!
      Sempre é um risco andar tarde da noite em uma cidade grande, ainda mais sendo estrangeira, mulher e estando sozinha.
      Numa situação dessas, eu apelaria para um serviço confiável de transfer pra me buscar no local e levar até o hotel. O problema é que o seu não fica exatamente longe da ópera e não sei se alguma empresa faria esse deslocamento.
      Eu utilizei o serviço da empresa Elmocar para outros motivos (inclusive para fazer o tour noturno deles) e fui muito bem atendida. Eles foram ótimos e recomendo, pois achei um serviço de confiança.
      Por via das dúvidas, eu entraria em contato com eles pra saber da possibilidade de te levarem até o hotel. Acho melhor do que ir andando a pé sozinha.
      Abs

      • maira

        Puxa,super boa dica…vou entrar em contato com eles…..obrigada mesmo!Sobre o Roma by night , vc teria algo pra indicar? Onde fecho esse passeio? Como funciona?Vcs comentaram e me empolguei para ir pois parece interessante….Apesar de ser a noite….Obrigada novamente.Super obrigada! Um abraço.

        • maira

          Ah…já pesquisei….A Elmocar faz o Roma by nigth…valeu a dica.ABRAÇO

        • Fernanda Rangel

          Oi, Maira!
          Vc acabou sendo mais rápida! 🙂
          O “Roma by Night” da Elmocar é ótimo! Dura 3 horas e vai em todos os pontos principais da cidade. Recomendo!
          Abs

  16. maria dinardi

    iremos para italia dia 19 de agosto ficaremos ate dia 30, ficaremos em roma 4 dias,florenca 3 dias, veneza 2 dias e Milaao 3 dias
    irei com meu marido e minha filha, adulta
    que tipo de roupa devemos levar
    obrigada, muito interessante suas sugestoes
    abracos

    • Fernanda Rangel

      Oi, Maria!
      Roupas leves, pois essa época é alto verão e o clima é bem quente – passando dos 30 graus.
      Reza a lenda que em Florença é o pior, pois dizem que é meio “abafado” por lá.
      Mas como o clima do planeta anda muito louco, por via das dúvidas, eu colocaria um casaco leve no fundo da mala. Nunca se sabe, né?!
      Abs

  17. Lays Farias

    Alguém indo pra Itália em fevereiro?????

  18. Viviane franca

    Oi, Fernanda! Irei à Itália em novembro. Suas dicas são maravilhosas. Gostaria de pedir uma sugestão. Pretendo ficar uns dias em Roma e seguir para a região da toscana, por um período de cinco dias. Nesse período, Pensei em usar Florenca como base para conhecer algumas cidades da região, de carro. Você acha uma boa ideia, ou haveria outra cidade melhor para hospedagem, considerando o custo/benefício? Obrigada. Abraços.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Viviane!
      Eu que agradeço o elogio!
      É melhor ficar em Florença mesmo. Por ser a capital da Toscana, fica mais fácil para fazer os deslocamentos para as cidades da região. Uma segunda opção seria ficar em Siena, a 2ª cidade mais importante. Mas embora tenha gostado bastante desta última, achei Florença muito mais agradável.
      Fiquei 4 dias na Toscana, sediada em Florença. Fiz um breve relato sobre essa minha estada no meu post de roteiro de 18 dias pela Itália. Sugiro dar uma olhadinha.
      Abs

  19. Ana Carolina

    Vou para Roma com marido e filha de 3 anos daqui a alguns dias e seu site está sendo muito útil, parabéns e obrigada por oferecer todo esse conteúdo valioso!

  20. PATRÍCIA PONCE

    ANA, PODERIA ME DAR ALGUMA DICA DE RESTAURANTE EM SORRENTO E ROMA. MUITO OBRIGADA. ADOREI SUAS DICAS

    • Fernanda Rangel

      Oi, Patrícia!
      Não sei se vc se referia a leitora que fez a pergunta acima, mas vamos lá… 🙂
      Em Roma comi em poucos restaurantes. Os 2 que fui (e gostei) foram o “Gran Caffe del Passeggero” (perto do Termini e onde comi a primeira massa na Itália – deliciosa!) e o “O’Pazzariello” (perto do Castelo St’Angelo).
      Já em Sorrento, há 2 ótimos na Piazza Tasso: o “Ristorante Aurora” ( muito bom!) e o Bar Fauno.
      Abs

  21. Daniela

    Boa tarde, Fernanda! Seu blog e suas dicas são ótimas. Estão ajudando muito. Qdo vc viajou, vc disse que colocou uma meta de gasto de 80 euros por dia. Nessa meta vc incluiu tudo, como transporte, estadia, alimentação? Deu para aproveitar bem a viagem com esse valor? Vc mesma que agendou sua estadia? Estou com viagem programada para o ano que vem e estou preocupada com o euro que só vem subindo.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Daniela!
      Obrigada pelo elogio! Fico contente por estar conseguindo te ajudar.
      Essa meta de 80 euros não incluiu a hospedagem e nem o deslocamento entre as cidades italianas (saiu tudo pago daqui do Brasil). Era basicamente o transporte nas cidades (quando havia), alimentação e pequenas compras (supermercado, souvenir, etc).
      Nem sempre eu chegava a gastar esses 80 euros, às vezes sobrava pro dia seguinte. Mas já teve dia que me excedi um pouco e passou alguns euros desses 80. No final, foi essa a média.
      Não sou muito consumista, mas também não passei vontade por lá. Se eu passasse numa feirinha e visse alguma echarpe ou de repente um casaco legal ou uma bolsa que eu gostasse muito, não deixava de comprar. Não fiquei procurando, mas se passasse na minha frente e eu achasse que valia a pena, comprava mesmo.
      Mas confesso que, em 2013, o euro estava beeeem mais atrativo… Lembro que o cambio turismo foi 2,65 reais na ocasião (oh, saudade…).
      Quanto a estadia, sempre faço a reserva do hotel pelo Booking. Já o utilizo há uns 6 anos, antes mesmo de escrever blog. Nunca tive problemas e considero um site bastante confiável.
      Infelizmente, a nossa economia vem rolando ladeira abaixo e o resultado é esse cambio desfavorável. O jeito é pesquisarmos bastante em busca das opções mais em conta pra tentar economizar o máximo possível.
      Abs

  22. Ana Paula Peres

    Olá, amei tds as dicas, e vou abusar queria informações, estarei indo para Firenze com conexão em Roma, chegarei por volta das 7:00 e o voou para Firenze sai as 10:00, como não falo Italiano, será que ficarei meio perdida no aeroporto?

    • Fernanda Rangel

      Oi, de novo! 🙂
      Pode ficar à vontade!
      Olha, tive pouco contato com o aeroporto de Roma. Como meu roteiro começou pela cidade e contratei um transfer com um brasileiro, logo que sai da sala de resgate de bagagens, já me deparei com o motorista e saí.
      Mas baseado em outras conexões que fiz na Europa em outros lugares e viagens, é tranquilo sim. Geralmente há funcionários do aeroporto e da própria cia aérea auxiliando os passageiros. E eles geralmente falam mais de um idioma, geralmente inglês. Acho que não haverá problemas quanto a isso.
      Abs

  23. Ana Paula Peres

    Outra coisa, durante esse período de espera, tem algo legal dentro do aeroporto? Para passar o tempo?

  24. Milton Ferreira

    Muito boas suas informações , elas são claras e precisas. Elas serão muito úteis, pois pretendo visitar algumas cidades da Italia

  25. Marilene Torres

    Oi Fernanda muito boa as suas dicas, as cidades, as atrações, mas como marinheiro de primeira viagem fica receosa em tudo, ai vou eu, tenho 51 anos vou completar 52 em maio, estou planejando minha viagem à Itália em julho ou agosto de 2016, pois bem, eu tenho opção de chegar pelo aeroporto de Milão e voltar pelo de Roma? Porque estava pensando assim, começar por Milão, de lá pegaria um trem para Veneza, de Veneza para Florença, de Florença para Roma, isso tudo fazendo com viagens de trens, em cada cidade dessas passaria 2 à 3 dias no máximo, e ainda ir conhecer Bari que pra mim é perfeito esse lugar. Dicas de hotéis muito baratos, agora com preferência de banheiro privativo e não compartilhado, eu me viro bem nas estações para pegar esses trens? Ou vou ter dificuldades a entender as informações, morro de medo de me perder em um lugar onde não sei nem o idioma, eu preciso reservar o hotel logo daqui do Brasil ou posso pra deixar marcar quando chegar lá? De preferência hotéis muito perto das estações pra não ter que pagar com o deslocamento para o hotel, Ouvi falar de um cartão que existe ai, de cada cidade tem um cartão, exemplo Firenze Card, com eles não preciso mais pagar nada pra entrar nas atrações turísticas e transportes? Está vendo como tenho muitas dúvidas? Como queria encontrar alguém que fosse no mesmo período, acredito pelo menos duas pessoas daria pra se virar muito bem, mesmo assim me ajuda ai como me virar em um lugar desconhecido

    • Fernanda Rangel

      Oi, Marilene!
      Obrigada pelo elogio! 🙂
      Vamos lá…
      1) Como sua viagem está em fase de planejamento ainda, se possível, sugeriria evitar de ir à Itália em julho e agosto. Além de ser alta temporada, faz bastante calor (o que atrapalha as andanças). Se puder, tente ir antes de julho ou lá pra setembro. São as melhores épocas.
      2) Muita gente prefere começar por Milão e vir descendo (e isso é viável). Eu preferi fazer o contrário, porque Roma é a cidade que tem mais coisas pra ver e precisa que estejamos com todo o gás pra curtir bem.
      3) Reserve o hotel com antecedência, principalmente se for entre julho e agosto (os hotéis lotam). Nunca deixe pra ver lá.
      4) Temos vários posts aqui no blog que podem sanar as outras dúvidas, como deslocamento, dicas de hoteis (na Itália eles não costumam ser muito baratos, ainda mais com o euro do jeito que tá…) e algumas outras informações. Confira a lista abaixo (basta clicar nos links):
      Roteiro de 18 Dias pela Itália
      Como funciona o Roma Pass?
      Como locomover-se em Roma
      Comprando passagem de trem pela Trenitalia
      Como locomover-se em Veneza
      Abs

  26. Marina Nakandakare

    Parabéns pelo blog e obrigada pelas excelentes dicas Fernanda!

  27. Dalila w castilho

    Muito legal suas dicas ! Um bjão obrigado

  28. Yara Olivato

    Oi Fernanda Tudo bem? estou indo para Itália em junho e gostaria de saber se o hotel Mercure Roma Corso Trieste é de fácil acesso aos pontos turísticos de Roma?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Yara!
      Olhando no Google Maps, vi que esse hotel fica um pouco fora de mão do centro. Mas por outro lado, fica perto de uma estação de metrô, o que vai te facilitar bastante, pois ele leva até às imediações de vários pontos turísticos.
      Abs

  29. Patrycia L

    Boa noite Fernanda,

    Primeiramente quero parabenizar pelo blog, deu pra clarear nossa mente rsrs…
    Então, eu e meu esposo estamos pensando em ir a Itália em maio, gostaria de saber quanto mais o menos vc acha que nos dois gastaríamos somente com almoço/lanches e entrada em pontos turísticos? Pois temos parentes que moram lá a anos, então não vamos gastar com aluguel de hotel/carros rs…. Ficarei no aguardo da sua resposta flor! Desde já obrigada pela atenção! :*

    • Fernanda Rangel

      Oi, Patrycia!
      Obrigada pelo elogio!
      Essa estimativa que coloquei no post é só para gastos diários, sem contar com hospedagem ou deslocamento de trem.
      Fui em maio de 2013 (aliás, um mês excelente pra visitar a Itália) e na época, gastava uma média de 12 a 15 euros com refeição nas Trattorias (uma espécie de “cantina italiana”) – um prato de massa + um suco ou refrigerante.
      Das atrações, algumas coisas eu já fui com ingresso comprado daqui do Brasil (ex: Santa Ceia de Da Vinci em Milão, Museus do Vaticano com Capela Sistina, Galleria dell’Accademia de Florença e etc) e isso também não contou no meu gasto diário. Em Roma usei o Roma Pass como ingresso em atrações e transporte público e também saiu comprado daqui.
      Essa estimativa foi para refeições, transporte público (exceto em Roma) e gastos extras (compras e supermercado).
      Essa é a parte mais difícil do planejamento: saber quanto gastar por dia. Cada um tem uma preferência ou orçamento e fica difícil indicar. Mas do que eu lembro, a média do meu gasto diário (pessoal) foi de 80 euros.
      Bjs

  30. vera

    Adorei suas dicas…estou indo para Italia em maio com duas irmas, ja fiz minhas anotacoes de tudo que vc compartilhou…estou agradecida.

  31. Marianna

    Oi Fernanda! Parabéns pelo blog, clarearam demais minha mente! Parabéns aos outros colaboradores também, acho que já li quase tudo da Itália!!!! Por isso vou abusar um pouquinho, pode ser? 😁 lá vai:
    1) Li (e adorei) as dicas sobre compras na Trenitalia! Já vi vários trechos para ter uma noção dos gastos, mas ainda estou com dúvidas sobre as paradas…. Ex: se eu comprar Venezia a Firenze e fizer uma paradinha em Bologna eu preciso comprar outra passagem para continuar?
    2) tem alguma dica sobre a Fábrica da Ferrari em Maranello? Meu marido está louco pra conferir, porém estou com dificuldades de programar chegadas e partidas… Se tiver umas dicas agradeço!
    Chegamos em Roma dia 11 de abril (eu e meu marido) e já comprei as entradas mais disputadas, vocês me ajudaram muito com as dicas pq sou bem organizada e sempre penso em todos os detalhes!
    Valeu mesmo!!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Mariana!
      Nós que agradecemos o elogio! Ficamos muito contentes por nossos posts estarem sendo úteis. 🙂
      Vamos lá…
      1) Infelizmente, não. A passagem (voucher ou ticket comprado na hora) tem hora de partida e de chegada e o fiscal confere isso. Não dá pra descer no caminho e subir depois. Nesse caso, será preciso comprar os 2 trechos separados (se bobear, somando os 2 deve dar mais ou menos o valor do trecho Firenze-Veneza). Eu usei o Italia Pass na Rail Europe e ele me permitiu que fizesse esse esquema que vc citou, mas não é a opção mais barata – na época da minha viagem, o site da Trenitalia estava com problemas e tive que apelar. É uma opção, mas tem que atentar para a reserva de assento (que não está inclusa no passe).
      2) Não visitei Maranello, por isso não teria como te dar dicas pessoais. Mas pra fazer essa visita, vcs teriam que ficar sediados ou em Bologna ou em Modena. Aí é casar isso no seu roteiro…
      Organização e planejamento no pré-viagem é fundamental para o sucesso dela. Tenho certeza que vai dar tudo certo pra vcs!
      Uma excelente viagem! 😉
      Abs

  32. JORGE HENRIQUE MANGUEIRA SOBRAL

    Olá, Fernanda. Em primeiro lugar, parabéns pelo seu excelente blog: bonito, prático, agradável e, sobretudo, inspirador.
    Em dezembro passado fiz uma viagem de 16 dias (excluidos os de viagem) por todo Portugal mais Santiago de Compostela, em que utilizei carro alugado para deslocamento. Foram suficientes.
    Em maio agora estamos indo (eu, praticamente sexagenário, um amigo de 72 anos e uma amiga, cinquentenária sobrevivente a um câncer) para a Itália para um roteiro de 19 dias (excluidos os de trânsito) por todo o país, incluindo a Sicília. Só que, a cada cidade que encontro no mapa e coloco no roteiro (são 58 cidades, incluindo 5 Terre, os lagos do norte, Costa Amalfitana, cidades do centro, sul, leste, oeste e todos os pontos cardeais), vejo que 19 meses, não dias, seriam ainda insuficientes. Parte da culpa confiro a você e a seu blog, tão apaixonante é a narrativa e tão bonitas são as fotos.
    Tenho total consciência da loucura que estou fazendo, tamanha é a maratona planejada.
    Já aluguei carro e reservei hotel em Roma, mas estou com duas dúvidas:
    1 – Sei que viajou de trem e não fez a maratona que faremos, mas deve ter pesquisado e lido sobre o assunto. Acha que irmos de carro será melhor que ir de trem? indicaria algum blog para leitura sobre o assunto?
    2 – Acha que seria mais indicado já viajar com todos os hotéis reservados ou pensa que, como eu, devido a loucura que faremos, será melhor deixar para procurar quando chegarmos as cidades de hospedagem? é fácil achar vaga em hotéis em maio? a intenção é ficar em até 3 estrelas, no máximo.

    Desde 2012, quando resolvi bater pernas pelo mundo, já passei por 16 países, sendo 13 da Europa, incluindo a Itália. Minha meta é 50 até as pernas não mais aguentarem. Será que chego lá?
    Abração.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Jorge!

      Adorei o seu comentário! Não só pelos elogios, mas principalmente pela alegria e vontade de desbravar o mundo – um sentimento que me identifico totalmente.
      Minha mãe foi comigo nessa viagem à Itália e ela estava com 61 anos na época. E mesmo com o joelho todo ferrado, aguentou a maratona numa boa. Segundo ela, foi a melhor viagem que fez até hoje. 😀

      Vamos às suas dúvidas…

      1- Fui de trem porque preferi me livrar do carro nas férias, pra não ter que me preocupar com atenção ao volante, estacionamento, aluguel… Pra minha preferência, achei que seria cansativo e acabou sendo uma decisão acertada, pois tinha dia que eu aproveitava a viagem do trem para tirar um cochilo e descansar para a maratona que viria a logo a seguir.
      Mas tem gente que gosta e elogia muito a viagem de carro pela Itália, principalmente na região da Toscana. Pelo pouco contato que tive, as estradas eram ótimas.
      Como não pesquisei sobre isso antes de viajar pra lá, não teria uma indicação expressa sobre “roadtrip”. Mas um blog bem legal sobre a Itália é o ItaliAna. Dê uma olhadinha se há algo do gênero por lá.

      2- Vá com tudo reservado. Não é que vcs não encontrarão vagas, mas as diárias costumam ser mais caras se feitas “em cima da hora” e também se corre o risco de só encontrar apenas opções longe do centro ou hoteis inferiores. Não aconselho chegar lá sem reservas.

      Essa viagem foi uma das mais difíceis que já preparei, pois é “muita Itália pra poucos dias”. Quanto mais pesquisamos, mais coisas interessantes aparecem pra visitar. É quase um martírio decidir o que visitar e o que deixar de fora.
      Como vc já esteve na Itália, aí fica mais fácil, pois provavelmente deve ter ido às principais, como Roma, Florença e Veneza. Se for, isso já poupa uns 8 dias do seu roteiro, a menos que queira voltar a elas (o que não seria nenhum sacrifício…).

      Meu roteiro durou 18 dias inteiros e conheci 16 cidades. Foi um esquema “carpe diem” total, daqueles que vc sai de manhã e só chega ao hotel no início da noite, quase desmaiando. Uma maratona mesmo!
      O que te aconselho é escolher os lugares imperdíveis. O restante vc coloca numa “lista B”, em ordem de preferência. E aí vai puxando para o roteiro principal conforme o tempo disponível.
      Eu queria muito ter ido à Sicília, mas realmente não tinha como. Só pra ela seriam mais uns 4 dias, no mínimo – e eu não tinha disponível.

      Continue com essa gana de conhecer o mundo. Não há nada mais enriquecedor pra nossa alma.
      E divirtam-se bastante por esse país maravilhoso!
      Abs

      • JORGE HENRIQUE MANGUEIRA SOBRAL

        Muito obrigado, Fernanda, pela pronta e completa resposta. Você já está eleita Blogueira Campeã.
        A preferência pelo carro é por um simples motivo: na primeira viagem internacional que fiz, há 4 anos atrás, que começou pela Itália e terminou em Londres, fui com uma grande mochila nas costas e voltei com uma mala chinesa na mão e a mochila arrebentada dentro dela. Andar arrastando mala foi o pior da viagem. Muita correria para pegar trens e muito tempo perdido na espera e percursos. O carro nos dá grande mobilidade e velocidade nas chegadas e saídas. Ficou comprovado isso na viagem que fizemos a Portugal.
        A dica da reserva antecipada, vou seguir. Agora, quanto a focar nos lugares imperdíveis, ah! isso está difícil de seguir. Acho que, se tivesse uma filha agora, iria chamá-la de Itália. kkk. Já mudei o roteiro três vezes em função do que leio sobre cada cidade. A Itália é um livro imperdível de história da arte em forma de bota.
        Finalmente, mais uma vez agradecendo a atenção, desejo a você e a sua mãe dezenas de futuras viagens maravilhosas. Não deixe de nos contar nenhuma, hein!

        • Fernanda Rangel

          Blogueira Campeã foi ótimo! Hahahaha!
          Tento responder o mais breve possível, de acordo com o tempo livre que a minha profissão me permite.
          É verdade o que vc falou, passei perrengue com mala justamente nesta viagem da Itália. Ela se desfez completamente no final. Mas aprendi a lição e hoje uso 2 malas menores. Deu certo: passei 23 dias rodando 4 países europeus de trem no ano passado e elas chegaram inteiras ao Brasil.
          Usar o carro é, sem dúvida, um conforto. Mas como tudo na vida, tem seus “prós e contras”. 😉
          Boa sorte na escolha do seu roteiro. A Itália é maravilhosa!
          E pode deixar: tô contando tudo o que fiz e visitei no maravilhoso Velho Continente aqui no blog. Fique à vontade para dar uma lida quando tiver livre.
          Abs

  33. Cyntia

    Fernanda,
    Eu começando a planejar minha viagem a Itália, e todas as minhas dúvidas, vc as tirou, desde o medo de viajar sem guia, até a língua. Parabéns pelo blog!!
    E obrigada pelas informações

    • Fernanda Rangel

      Eu que agradeço o elogio, Cynthia!
      Fico muito contente pelo post ter sanado suas dúvidas. Era essa a minha intenção, pois queria um post que contasse o que os guias de viagem não falam.
      A Itália é um país incrível, tenho certeza que será uma viagem tão especial quanto foi a minha.
      Abs

  34. Daina Soares

    Olá Fernanda! Estou amando teu blog e devorando tuas dicas e sugestões sobre a Itália. Final de maio estou indo passar 18 dias por lá, começando por Veneza, Milão e descendo até Roma. Meu deslocamento entre cidades será por trens mas estou com dúvidas a respeito da mala grande e de rodinhas aue pretendi

    • Daina Soares

      ..continuando… que pretendo levar. Seŕá possível transitar entrando e saindo de trens dessa maneira? Ou terei que me conter e levar o mínimo possivel? Durante o passeio com certeza a bagagem aumentará. Queachas fazer? Por isso pensei levar somente uma bem grande, que caiba tdo. Qual teu conselho?

      • Fernanda Rangel

        Oi, Daina!
        Fico muito contente do blog estar conseguindo ajudá-la! Pode apreciar tudo sem moderação! 🙂
        Passei perrengues históricos por causa de mala nos trens da Itália e contei isso no post com o meu roteiro de 18 dias pela Itália.
        Depois do que passei (levei 1 mala grande, o que foi uma péssima ideia), aconselho que as pessoas levem, no máximo, uma mala M (de 65 cm de altura). Não há muito espaço para acomodá-las no trem e ainda tem o deslocamento dentro das estações (que nem sempre tem elevadores disponíveis).
        Fiz esse esquema na minha viagem do ano passado (em que rodei 3 países de trem) e deu certo. Não passei nenhum aperto.
        Aí, o jeito é levar o mínimo de roupa possível. Ou então, levar uma mala P junto, daquelas que a gente leva dentro da cabine do avião. Ou uma “super tiracolo”, tipo as de ginástica.
        A gente sempre tende a levar a nossa casa na mala. Mas vai por mim: chegará lá, vc não vai usar nem metade do que estiver na mala.
        Abs

  35. Denise

    Olá Fernanda!!! Parabéns pelas dicas, achei ótimo,
    Estou indo para Roma no dia 27 de abril, vou só, acredito que não terei problemas, mas não falo nada de inglês ou italiano, mas acho que posso me virar.
    No primeiro dia pensei em visitar as fontes em Roma, o que acha?
    No segundo dia irei para Veneza, passar meu aniversário rsss o que sugere ? Dicas de restaurante?
    Depois passarei um dia em Verona e depois irei para Florença? O que acha? Meu roteiro está Pisa, Luca, (um dia) San Giminato , Siena, outro dia.
    Depois voltarei para Roma para conhecer o Museu do Vaticano, Basilica de São Pedro, onde posso comprar os ingressos com valores bons?
    Coliseu será em outro dia, quanto tempo gasto e onde comprar ingressos?
    E queria assistir a missa do papa.
    Acha interessante comprar vinho? onde me indica?
    Nossa quantas perguntas…rsss
    Ultima , comprei meus ingressos de trem pela internet, preciso trocar eles ou não? Li que tem que validar é isso mesmo.
    Obrigada desde já, tomarei um gelato e lembrarei de todos..rsss

    • Fernanda Rangel

      Oi, Denise!
      Eu que agradeço o elogio! E espero conseguir ajudá-la a tempo pra sua viagem!
      Vamos lá…
      1) Não entendi bem o que vc diz sobre “as fontes de Roma”, entendo que seja a Fontana di Trevi e as piazzas, certo? Sim, dá pra fazer no primeiro dia. Veja o que fiz no meu roteiro de 4 dias em Roma.
      2) Passar um aniversário em Veneza é um sonho de consumo! Certeza que será inesquecível. Não fui a nenhum restaurante específico em Veneza, pois é tudo meio caro… O único que fui era em frente ao meu hotel, mas não consigo recordar o nome. Não era nenhuma “Brastemp”, mas quebrou o galho. E fui a outro, pertinho da Piazza San Marco chamado “Beppino”.
      3) Verona não é exatamente na reta de Florença, mas dá pra fazer um passeio rápido como pit stop.
      4) Sobre os ingressos para os Museus do Vaticano, veja o post: furando fila (legalmente) para os Museus do Vaticano. Mas tá muito em cima pra comprar… (o ideal seria ter feito isso uns 2 ou 3 meses antes de ir). Basílica de São Pedro não tem ingresso.
      5) Sobre o Coliseu, veja o post: dicas para quem vai visitar o Coliseu
      6) A missa do Papa ocorre aos domingos, às 12h. É só chegar um pouco antes na Praça de São Pedro.
      7) Não ligo muito pra vinhos e não tenho dicas pra te dar… Mas a Toscana é a região onde há mais vinículas.
      8) No meu caso, utilizei o passe da Eurail chamado Italia Pass. Não era a opção mais barata, mas foi necessário porque o site da Trenitalia estava com problemas com a compra online na época do planejamento (entre 2012 e 2013). Mas o meu colega Vinícius Miranda viajou em 2014 pra lá e comprou tranquilamente no site. Ele dá mais detalhes de como proceder no post comprando passagem de trem da trenitalia.
      Espero que tenha dado tempo de ajudá-la!
      Curta bastante esse país maravilhoso!
      Abs

  36. Ana Claudia Didier

    Oi Fernanda, seu blog é muito legal, e ajuda um bocado! Parabéns pelo excelente serviço que vocês estão prestando! Meu marido e eu estamos indo para Roma, Florença (e arredores), Verona e Veneza, no período entre 13 e 28 de maio. Gostariamos de mais algumas dicas suas:
    1) Nosso voo chegará em Roma (Fiumicino) as 23:00H, e eu aluguei um flat em Trastevere. Neste horário, creio que a melhor forma de sair do aeroporto seja Taxi, certo? Há alguma dica para que possamos pegar um transporte 100% confiável?

    2) Em Florença iremos fazer bate-voltas pela Toscana: a ideia é seguir suas orientações e fazermos em um dia San Giminiano + Siena e outro Pisa + Lucca. Mas para irmos de Florença para San Giminiano (pela manhã), o melhor é pegar um trem ou há ônibus direto?

    3) Vi também que há outras cidades na redondeza, como Motelpucciano e Montalccino, Vc chegou a conhecê-las? Vale a pena esticar até uma delas?

    Obrigada

    Ana Claudia

    • Fernanda Rangel

      Oi, Ana Claudia!
      Eu que agradeço o elogio!
      Vamos lá…

      1) Eu contratei um transfer com um motorista brasileiro. Foi com a empresa Elmocar (tem site) e não só foi bem confiável, como fui muito bem atendida. Fiz também o passeio noturno deles e foi maravilhoso. Recomendo.

      2) De Florença pra San Gimignano é preciso pegar um trem até Poggibonsi e depois um ônibus até a entrada da cidade (o ponto fica bem em frente à minúscula estação de trem). Não há ônibus direto.

      3) Não visitei Motelpucciano e Montalccino, mas levando em consideração que a Toscana é maravilhosa, devem ser cidades lindas. Se vc tiver um dia sobrando, acho que vale a pena sim.

      Não sei se vc deu um giro aqui no blog, mas temos alguns posts que falam um pouco mais sobre esses pontos que vc citou na pergunta. É só clicar nos links abaixo.
      Uma ótima viagem pra vc! 😉

      Roteiro de 18 dias pela Itália
      Roteiro de Metade de 1 dia em San Gimignano
      Roteiro de 4 dias em Roma

  37. eliete rosado

    Fernanda anotei todas as suas dicas. Estou indo em Lua de Mel no fim do ano e estou devorando todas as suas informações. Nosso preocupação, minha e de meu noivo é o idioma, mas pelo visto isso não será problema. Obrigada

  38. NEIDOCA

    Oi Fê, simplesmente chocada com o nível de detalhes do seu blog….amando!!!! Até dos “perrengues” você nos previne, quer mais que isso? Acho super proveitoso saber também “o que pode não dar tão certo”.
    Adorei ter encontrado teu roteiro, que caiu como uma luva, já que meu marido quer ir lá na “ponta da bota” (Basilicata) conhecer a terra dos pais dele. Aí com a sua ajuda fizemos algumas adaptações, e lá vamos nós.
    Queria sua opinião sobre se devo ou não comprar um passeio (a pé) pelos Museus do Vaticano e Capela Sistina, pois me pareceu bem mais tranquilo, já que inclui os ingressos, tem o guia em português e sem entrar nas filas. Você acha que vale a pena, ou é um passeio light, que não necessita disso?
    Prometo depois postar um pouco da minha experiência, com o objetivo de ajudar a alguém que, assim como eu, esteja perdidinha como eu estava até encontrar seu blog. Valeu, demais!!!!! Obrigada!!!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Neidoca!
      Eu que agradeço o elogio!
      Eu visitei os Museus por conta própria e foi bastante tranquilo. Mas confesso dei uma lida por alto sobre os destaques antes de ir. Apesar de não ter contratado um guia, admito que é sempre mais interessante fazer a visita com alguém te relatando as histórias e curiosidades sobre as obras. Por outro lado, é preciso seguir o ritmo do guia, que nem sempre é igual ao nosso…
      Fico aguardando o seu relato após o retorno.
      Uma excelente viagem pra vc! 😉

  39. Jocilia Rodrigues

    Oi Fernanda, parabéns!!! Minha 2a vez na Itália. A 1a foi em 1999 , estava casada. Enfim, hoje, solteira, leve e solta, vou me aventurar sozinha por lá. Tenho família na Alemanha, onde vou todos os anos. E neste ano vou experimentar ir na Itália primeiro. Vou viajar sozinha e isso será especial. Registrei todas as suas dicas! Irei agora no começo de junho para Florença. Dicas do que vestir? Obrigada pela atenção!!!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Jocilia!
      Um dia tb voltarei à Itália, um dos países que mais amei visitar. No começo, pensei em voltar apenas para ir onde não fui (tenho uma lista grande), mas acho que se fosse hoje, visitaria as mesmas cidades de novo. 😀
      Eu visitei no mês de maio e as temperaturas variaram. O máximo que peguei foi cerca 30 graus (na Costa Amalfitana) e a mínima foi cerca de 10 graus em Milão. Mas no geral, foi uma temperatura amena para o friozinho…
      Já o nosso editor Vinícius Miranda visitou a Itália no mês de junho e passou um calor tremendo por lá, principalmente em Florença. Portanto, aconselharia levar roupas leves, porque provavelmente estará mais para o quente. Mas deixe um casaquinho na mala por desencargo. 😉
      Abs

  40. Setembrino Pizzatto

    Bom dia, Fernanda.
    Eu estou arrumando as malas pra embarcar pra Europa, em especial para Itália. Estou levando suas dicas na bagagem!
    Achei muito importante a relação de dicas. Vou adotá-las, esperando que se confirmem as expectativas quanto ao passeio.
    Sou descendente de italiano, tenho 62 anos e viajo primeira vez para a pátria quase mãe.
    Fiquei feliz por ver uma colega de profissão que se afasta um pouco da atividade normal e se dedica a ajudar outras pessoas. Esta última característica também faz parte do meu objetivo de vida. Obrigado. Curitiba, 29.05.16.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Setembrino!
      Eu que agradeço o elogio!
      Apesar de dar-me um trabalho razoável fazer o blog, acaba sendo prazeroso, pois não só me faz relembrar tudo o que vivi naqueles dias especiais da viagem contada no post, como também me faz passar adiante tudo o que aprendi na minha experiência, servindo de auxílio às pessoas que estão cheios de dúvidas na hora de fazer seus planejamentos. Acho que trouxe essa filosofia lá da nossa profissão 😉
      Tenho certeza que vc irá adorar a Itália. É um país lindo, com uma diversidade incrível de estilos, culturas e belezas. Fiz outras viagens que amei, mas a da Itália ainda ocupa um lugar cativo na minha lista de viagens “top”. Voltei de lá com o pensamento de que “faria tudo de novo”.
      Espero que a sua viagem à sua pátria quase mãe seja tão especial quanto foi a minha!
      Abs

  41. eliane braga

    olá Fernanda ! muito interessante suas informações .
    Estou pretendendo ir próximo ano para Verona ,
    na melhor companhia do meu namorado ; ele é italiano
    , de Nápoles, estamos bastante ansiosos !! espero que
    tudo dê certo. valeu pelas dica, estou tudo de lá !! rsrss
    um abraço.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Eliane!
      Obrigada pelo elogio!
      A Itália é um país incrível e lindo. Certeza que vai dar certo, ainda mais porque você vai com um italiano pra lá! 😀
      Uma excelente viagem pra vcs!

  42. Deby

    Olá Fernanda nossa vc é ótima nos textos… Seu blog é maravilhoso, To curtindo muito ler todas suas dicas e indicações estou indo p Itália em Agosto espero n me arrepender Rsrs, mas é o mês q estarei de férias… Enfim todos os anos escolho um país p viajar de norte a sul de bike vc acha um bom meio de transporte por lá, eu só conheço Milão, viajava bastante p lá a trabalho e lá era tranquilo andar de bike na cidade, mas nunca fui ao sul da Itália e não vejo muitas postagens sobre pedaladas por lá… E n pretendo alugar carro, vou intercalar as pedaladas com os trens q na Europa são uma ótima opção cm vc já disse tb

    • Fernanda Rangel

      Oi, Deby!
      Obrigada pelo elogio!
      Realmente não é comum ouvirmos falar de quem passeia de bike pela Itália – o que é super comum é esse tipo de passeio na Holanda.
      Para circular nas cidades maiores como Roma e Nápoles, por exemplo, pode ser uma boa, pois o deslocamento dentro delas é maior. Só achei o trânsito de ambas bastante caótico, eu teria medo até de dirigir. Em Roma há muita gente circulando de scooter.
      As outras cidades são mais tranquilas, porém geralmente pequenas o suficiente pra fazer tudo a pé. E Veneza é aquela peculiaridade que é só dela, como o fato de ser tudo feito de barco.
      A Itália é um país incrível. Curiosamente, Milão foi a cidade que menos me encantou, mas não que tenha detestado (pelo contrário). Certeza que não irá se arrepender, visitar o país é maravilhoso em qualquer época do ano. O único problema é que agosto é o auge da alta temporada e vc precisará se planejar bem pra não entrar em nenhuma roubada.
      Abs e uma excelente viagem! 😉

  43. Farlla

    Ei Fernanda! obrigada demais viu!
    Deus te abençoe muito pelo carinho em escrever e partilhar sua experiëncia… uhuuuuuu
    estou animadíssima!

  44. Elen Kemmerich

    Oi Fernanda!!! EStou amando seu site, de muita valia pra mim nesse momento. Viajo em 40 dias para Italia, ficando lá por 16 dias. Recem agora que estou vendo os roteiros, mas o que mais me preocupa sao os gastos. Vou precisar muito da sua ajuda para esclarecer e decidir algumas coisas. Quando vc fala em média de 80 euros p/ dia, é só com alimentação ou inclui transporte? ou ainda, ingressos? Estou indo como mochileira pela primeira vez, ou seja, sozinha e sem frescuras, preciso de hospedagem centralizada e barata, vc acha que devo encontrar hostel em média de quanto a diária, nas principais cidades como seu roteiro de 18 dias? Obrigada e parabéns pelas dicas!!!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Elen!
      Eu que agradeço o elogio!
      Esses 80 euros está levando em consideração os gastos diários (supermercado, refeições, transporte e atrações). Estão de fora a hospedagem, a passagem aérea e o deslocamento de trem entre cidades.
      Também ficou de fora o Roma Pass, a visita aos Museus do Vaticano e ao Cenacolo de Da Vinci em Milão, que comprei online com antecedência. Mas os valores dariam para incluir no gasto diário, de qualquer forma.
      Quanto à hospedagem, isso depende muito. Não tenho uma indicação expressa pra te dar e nem valores certos. Seria preciso pesquisar nos sites de busca de hotéis ou hostels para ver quais as opções com melhor custo-benefício. Aconselho fazer isso logo, porque tá meio em cima do dia da sua viagem…
      Abs

  45. RONISON SANTOS

    Excelente dicas e informações! Parabéns pelo conteúdo exposto no site!

  46. Hauana

    Blog perfeito! Parabéns!

    Estou indo agora em outubro para Roma, vou passar uns dias la, depois dois dias em Florença e mais 2 em Veneza…to precisando saber quais ingressos nessas 3 cidades devo comprar antecipadamente, você sabe dizer?
    Obrigada!!

  47. Juliana

    Olá, amei as dicas, vou a Roma,Veneza,Verona e Padova no final de novembro. Queria mesmo é sugestão de festa ou pub a noite. Obrigada. Beijinhos

    • Fernanda Rangel

      Oi, Juliana!
      Obrigada pelo elogio!
      Infelizmente, não tenho essas dicas pra te dar. Como eu perambulava muito durante o dia, chegava à noite eu e eu estava “só o bagaço”. 😀 No máximo, comia alguma coisa antes de ir pro hotel ou nem isso: às vezes passava no supermercado e lanchava no quarto mesmo.
      Mas uma dica bem bacana é checar algumas indicações com a recepção do seu hotel/pousada/hostel. Eles sempre tem dicas ótimas pros hóspedes sobre restaurantes, festas, baladas e etc. Ou então, checar com os escritórios de turismo das cidades, que também tem uma porção de indicações (até mesmo as menos turísticas) sobre eventos e festas.
      Abs

  48. Cristiane

    Olá boa noite! Estou querendo ir com meu esposo só nos dois, pra Italia, sendo que não sei qual cidade central ficar, onde a partir dela eu possa ir pra outras cidades de trem, qual vc me indica pra me hospedar?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Cristiane!
      Isso vai depender muito do seu roteiro. Se a maioria das cidades q vc for visitar ficar no sul, melhor ficar em Roma ou Nápoles. Se for visitar mais o centro do país, melhor ficar em Florença. Se for ficar mais para o norte, pode hospedar em Milão.
      Na maioria das vezes, as pessoas visitam a Itália toda e o ideal é ir migrando de cidade-base de acordo com o roteiro. Foi o que eu fiz e relatei no post sobre o meu Roteiro de 18 dias pela Itália.
      Abs

  49. Silva JB.

    Oi Fernanda!

    Adorei o seu blog, as dicas são super importantes para quem ainda não conhece a Itália. Parabéns.

  50. Regina saques

    Amei o seu blog, dicas otimas.
    Obrigada.

  51. audilene

    Oi Fernanda! Adorei suas dicas, vou em outubro , estou querendo fica em Capri 3 dias e de la visita Amalfi e Positano. O que vc acha? Uno bacio.

  52. Alda

    Oi Fernanda! Pretendo ir para Italia eu e meu marido pela primeira vez.
    Gostaria de saber se é melhor levar dinheiro em espécie(euros)
    ou cartão de credito e outra coisa, pretendemos alugar um carro
    E gostaria de saber se a nossa CNH daqui ele pode usar lá sem
    nenhum problema ou precisa de mais alguma coisa?

    Se puder me ajudar , agradeço

    • Fernanda Rangel

      Olá, Alda!
      Desculpe a demora pela resposta, pois estava viajando.
      Eu procuro sempre evitar o cartão de crédito, pois o câmbio do cartão + IOF costuma ser sempre desfavorável. O chato é ter que tomar conta do dinheiro em espécie e tentar escondê-lo como medida de segurança.
      Uma opção é utilizar os cartões de débito tipo “Visa Travelmoney” ou “MasterCard Travel”. Eles já foram mais vantajosos em termos financeiros, mas hoje eles tem taxas similares aos do cartão de crédito. A vantagem é vc poder sacar o dinheiro em caixas eletrônicos lá na Europa ou então usar como cartão de débito.
      Quanto à CNH, não dirigi lá na Itália e não tenho experiência sobre isso pra te dar mais detalhes. Mas achei um post bacana que fala sobre isso (veja aqui).
      Abs

  53. Rose campos

    As suas dicas são ótimas! Valeu!

  54. Rosangela

    Oi Ana….muito bom…..acho que vou pegar mais dicas suas….pretendo viajar em Setembro….posso contar com vc ????

  55. Ana

    Simplesmente adorei as dicas. Pretendo viajar com minha família em maio de 2018. Será nossa primeira vez na Europa.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Ana!
      Obrigada pelo elogio!
      Prepare-se, pq essa será a primeira viagem de muitas que virão pelo Velho Continente. Quem visita pela primeira vez se apaixona logo e não quer mais saber de outra vida! 😀 Ainda mais que vc irá começar pela Itália, um país maravilhoso.
      Uma excelente viagem pra vc!

  56. Eliane

    Fernanda, tudo bem???
    Se Deus quiser estarei indo para Itália em junho/2017, a princípio iria uma amiga que já foi e tudo ficaria mais fácil, agora ela não irá mais e estou indo com muito receio… rsrsrsrs Quero ir há vários lugares mas estou super insegura, queria dicas de como comprar alguns bons passeios pela internet, tens como me ajudar???

    • Fernanda Rangel

      Oi, Eliane!
      Obrigada pelo elogio!
      Eu fiz meus passeios todos por conta própria, por isso não teria uma indicação de passeio fechado ou alguma operadora de turismo que fizesse esses passeios.
      Mas uma ótima dica é cotar isso com a recepção do hotel que vc for ficar. Eles geralmente tem ótimas opções para os hóspedes.
      Abs

  57. Fortunato

    Parabéns pelo formato com que voce repassa as dicas! Exemplo a ser seguido!

  58. Italo

    EMbarcamos dia 03. Obrigado pelas dicas!

  59. Gabriela

    Olá Fernanda! Gostei muito das suas dicas. Estou planejando eu e meu marido irmos em 2018 para o Norte da Itália (Milão, Gênova, Pisa, Florença, Veneza). Estamos montando o trajeto e toda a viagem por conta própria! Morro de medo, mas acho que damos conta, né? Gostei das suas metas de gastos por dia, assim fica mais fácil de controlar os gastos.
    Te pergunto: temos 20 mil no nosso orçamento para viajar, buscaremos as hospedagens mais baratas e simples, e compras serão só com alimentação, transporte, alguns passeios de barco e nos pontos turísticos. Será que é possível com este valor? Pelo que pesquisamos pela internet é possível, mas morro de medo! Obrigada desde já! Beijos

    • Fernanda Rangel

      Oi, Gabriela!
      A parte do planejamento é fundamental para o sucesso da viagem, mas admito que dá uma trabalheira tremenda. E tb é preciso fazer muita conta para ver se a viagem vai caber no orçamento disponível. Não tem uma receita específica, é sentar e fazer as contas.
      Esse receio inicial é muito comum. Eu faço viagens por conta própria há 6 anos e até hoje fico com aquela dúvida se vai dar certo ou se o dinheiro vai dar… Faltando 1 semana, fico desesperada pensando “o que é que eu fui inventar!!!” 😀 Mas quando a gente desembarca no destino e a viagem se materializa… Vemos que tudo vale a pena! Até as coisas erradas e imprevistos, que geralmente rendem as melhores histórias. Não tenha medo! Tudo acaba dando certo.
      Minha viagem à Itália aconteceu em 2013, quando o euro era bem mais barato… Fica difícil avaliar uma viagem à Itália no cambio atual, mas creio que 20.000 reais dê pra 2 pessoas, sem fazer extravagâncias, é claro.
      O jeito é tentar comprar algumas coisas ainda no Brasil e deixar pra comprar lá apenas alimentação (incluindo supermercado), transporte e pequenos itens, como souvenir. E separar uma quantia X pra cada dia, como teto máximo de gasto diário. Se ultrapassar em um dia, economiza no outro.
      Outra opção é utilizar cartões pré-pagos (Visa TravelMoney, Mastercard Cash Passport, etc…) ou mesmo o cartão de crédito. Mas o ideal é usa-los em caso de emergência lá fora, já que as taxas e juros geralmente costumam ser altas.
      Bjs

  60. Marcelle

    Simplesmente maravilhosa sua pagina, muito esclarecedora em vários sentidos, vou pra Itália em outubro de lua de mel, se não se importa, em breve queria te fazer algumas perguntas… rsss. muito obrigada por disponibilizar suas experiencias. Marcelle

    • Fernanda Rangel

      Oi, Marcelle!
      Obrigada pelo elogio! 😀
      Todas as minhas experiências e conhecimentos sobre a Itália coloquei aqui no blog. Mas se ainda assim vc tiver alguma dúvida e eu puder ajudar, é só falar.
      Abs

  61. Ana Carolina Marcante

    Boa tarde Fernanda, boas dicas, ameiii
    Já estive de visita na Itália e amei, quero voltar para lá ano que vem, dessa vez por um bom tempo, quem sabe me mudar de vez!!!
    Porém estou muito insegura, pois não conheço ninguém no país. tem como você me dar sua opinião ou dica para que eu possa vencer essa insegurança( lugar para morar, trabalho, idioma…)
    Obrigada

    Ana Carolina

    • Fernanda Rangel

      Oi, Ana Carolina!
      Desculpe pela demora da resposta.
      Nossa especialidade é viagens de turismo, pois contamos nossas experiências para ajudar quem está indo visitar os lugares. Não temos experiência sobre moradia ou como seriam as coisas se fossemos moradores.
      O máximo de dicas que poderia te ajudar foram as que coloquei neste post, mas totalmente voltada para turistas.
      No site da RBBV há uma lista de alguns blogs escritos por pessoas que moram na Itália. Acho que eles poderiam te dar mais dicas do que vc procura. Veja a lista aqui.
      Abs

  62. Paula

    Ola Fernanda
    Parabens pelo blog. Esta me abusando mutuo.
    So encontrei un detalhe qui nao voi mensionadomencionado aqui (eu acho). A CNH brasileira eh válida nos países da União europeia MENOS Áustria, Grécia, e adivinha: Itália!.
    As locadoras até alugam o carro pra vc. Mas se o policial te parar ele tem total direito (obrigacao) de te multar. Eh necessário fazer a PID (carteira internacional) pelo Detran ou a tradução juramentada (mesmo sendo turista).

  63. Giuseppe

    Boa tarde,
    Estou pensando em visitar a Italia, mas gostaria de enfase especial em Roma. Como os pacotes comprados
    são superficiais, ou seja, passam pouco tempo na capital, acho que vou preferir ir por conta propria para visitar somente Roma. Tempo, 8 a 9 dias. Gostaria da sua opinião de vale e pena visitar somente Roma.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Giuseppe!
      Desculpe a demora.
      Eu adorei Roma! Ela está no meu Top 3 cidades que mais amei visitar até hoje. Há muitas atrações a serem vistas e encheria facilmente 1 semana inteira de visita, indo às atrações principais e também a outras menos procuradas pelos turistas em geral (e que tb são bacanas).
      É uma questão de preferência. Se vc tem vontade de ficar vários dias e desfrutar ao máximo o que a cidade tem a oferecer, então tá valendo. O importante é vc fazer aquilo que tem vontade, e não seguir o que os outros acham. O que é bom pra um pode não ser pro outro, certo?
      Mas se vc quer minha opinião (que é longe de ser regra, deixo bem claro), com tantos lugares incríveis pra visitar na Itália, acho um pouco desperdício reservar 9 dias pra Roma e diminuir o roteiro pelo restante do país. Talvez eu ficasse uns 5 a 6 dias e deixaria os outros 3 ou 4 dias que seria pra Roma para um bate-volta próximo à capital italiana (Tivoli, Villa Adriana, Nápoles…).
      Mas reforço aqui: é tudo uma questão do que a pessoa tem vontade de fazer.
      Abs

  64. Elisangela

    Boa noite,

    Obrigada por compartilhar conosco estas informares.

  65. Gabriela

    Oi Fernanda, gostaria de uma sugestão. Vou ir com uma amiga p Roma em Fevereiro. Estou querendo conhecer a costa amalfitana. Que lugar vc recomendaria para ficar em hotel? Estava pensando em Sorrento, o q vc acha? E como faço p ir visitar as cidades da costa? Qual melhor meio de transporte, e onde posso encontrar? É fácil de se locomover entre as cidades da costa? Muito obrigada

  66. Regina gadducci

    Dica:nunca, jamais, pegue as frutas no supermercado sem as luvinhas plásticas. Para eles isso é umaintoleravel falta de higiene.

  67. vania

    Fernanda, como vai?
    Estou planejando minha primeira viagem internacional para 2018 e o destino é Italia.
    Pretendo ir através de uma agencia de viagem, com pacote de 7 dias no máximo.
    Estou buscando informações..não falo inglês e arrisco algo em italiano..meu receio (já) é me ver chegando na italia sem saber o que fazer e voltar ao aeroporto para ir embora.
    Tem alguma dica? é algo assustador ou posso ir tranquila 🙂
    Obrigada

    • Fernanda Rangel

      Oi, Vania!
      Nunca entrei na Europa pelos aeroportos italianos (nessa viagem entrei por Lisboa) e, por isso, não saberia dizer como são as coisas por lá. Mas baseado em outras experiências que tive, não encontrei dificuldades. Tirando Portugal, nos outros lugares bastou se comunicar com meu inglês “capenga”.
      Sobre a questão do idioma, falei minha experiência sobre essa questão no post.
      O importante é estar em mãos a passagem de retorno, o(s) voucher(s) da hospedagem, o seguro viagem e algum dinheiro em espécie. A chance de ter problemas é remota. E ficar tranquila na hora da imigração.
      Abs

  68. Vanessa Vianna

    Olá Fernanda,

    Simplesmente excelente o seu blog! As dicas da Itália. .perfeito! Parabéns
    Estou indo para Italia com meu marido em março, vou passar muito frio? Fiz o seguinte roteiro Veneza, Milão, Gênova (Cinque Terre), Pisa, Florença, Sorrentino ( Costa Amalfitana e Capri) e Roma…serão 17 dias, exagerei nas cidades?
    Acha que vale a pena ir à Costa Amalfitana e Capri ainda sendo inverno?
    Abraços
    Vanessa V.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Vanessa!
      Obrigada pelo elogio! 😀
      Março ainda é relativamente frio na Europa. Quanto mais para o final do mês, mais tranquilo.
      Dessas cidades citadas, Milão e Veneza serão as mais frias, pois estão mais ao norte. Já as outras deverão ter um frio menor.
      O ideal pra Costa Amalfitana é entre maio e outubro, que são os meses mais quentes (há mais opções de barcos e passeios). Mas as cidades estão lá o ano todo… Rsrs… Sempre dá pra visitar alguma coisa. 😉
      Vc perguntou se exagerou nas cidades? Eu fiquei 18 dias e visitei basicamente o que vc listou (exceto Genova e Cinque Terre). Dê uma olhadinha no meu Roteiro de 18 dias pela Itália.
      Abs

  69. Creusa louro

    ola Fernanda,
    vc esta de parabens. irei a Italia em abril e estou adorando suas dicas.
    isto que ainda nao li todas.
    se tiver dicas de Atenas…
    obrigada!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Creusa!
      Obrigada pelo elogio!
      Fique a vontade pelo blog, temos vários posts sobre a Itália pra vc. Fico muito contente por eles estarem sendo úteis.
      Ainda não visitei Atenas, mas está nos planos pra muito em breve. Pena que será depois de abril.
      Abs

  70. Andrea cerqueira

    Bom dia Fernanda,

    Apaixonada pelas suas dicas. Estamos indo no dia 21/06 e retornando 05/07. Pretendemos fazer Zurique ( 3 dias ), Veneza ( 2 dias ), Florença ( 2 dias ) Roma ( 4 dias ), excluídos os dias de chegada e partida. Quando descobri suas dicas, já havia comprado as passagens, por isso começarei pela Suica, preferi por ter amigos lá.
    A minha grande dificuldade esta nos tickets dos trens. Queremos fazer Veneza/Florença, Florença/Roma de trem. Há mais de um mês estou tentando comprar, os precos da RAILEUROPE são os melhores, mas o site vive em manutenção. Vou acessar todos os seus links e te falo.
    Em Veneza ficarei no hotel Rialto, a estaçao Sta. Lúcia e a melhor opção ?
    Quero sair de Veneza após as 16h. De Florença para Pisa, da para comprar o ticket na hora?
    Em Roma, tem BUS TOUR? Usei em Londres, Paris, Madri. Gosto muito, mas vc não cita o serviço, acredito nao existir na itália.

    Muito obrigada, sinto me bem mais segura com as suas dicas, até mesmo porque viajamos eu, meu marido e meu filho de 13 anos. Os dois não tem paciência para me ajudar nas decisões, mas se algo da errado, o clima fica tenso pro meu lado. kkkk

    • Fernanda Rangel

      Oi, Andrea!
      Obrigada pelo elogio! Fico muito contente pelos posts estarem sendo úteis para o seu planejamento.
      Te entendo perfeitamente! Eu tb sou a que toma as decisões na organização das minhas viagens e isso é uma responsabilidade imensa, porque se algo der errado, a culpa é nossa. Mas pra minha sorte, minhas companhias até hoje foram compreensivas com os meus roteiros e furos… Hehehe… 😀
      Mas vamos às suas dúvidas:

      1) Olha, os preços da Rail Europe não costumam ser os mais baratos, fiquei surpresa com o seu relato. Não sei se é porque está próximo do período da sua viagem, ou porque junho e julho já ser início da alta temporada… Mas as passagens pelo site da Trenitalia costumam ser mais baratas que as da RailEurope. No meu caso, eu tive que usar o “Italia Pass” da RailEurope porque na época que planejei a viagem (final de 2012 e início de 2013), o site da Trenitalia estava causando problemas para quem comprava os bilhetes com cartões de crédito de fora da Itália. Não tive outra alternativa, a menos que contasse com a sorte e tentar comprar lá na hora (algo NADA recomendável, já que nesses trechos maiores é obrigatório a reserva de assento). Mas esse problema acabou: o meu primo Vinícius Miranda (que escreve o blog tb) viajou no ano seguinte (2014) e comprou a passagem tranquilamente no site da Trenitalia. Enfim… Se vc decidir pela RailEurope, não se esqueça das reservas para os trechos maiores (Venezia/Firenze e Firenze/Roma).

      2) Esse hotel fica de frente pra Ponte Rialto, certo? A única opção é a estação Santa Lucia, que fica na ilha. A estação “Venezia Mestre” fica no continente.

      3) O trem de Veneza até Pisa, no geral, dá pra comprar na hora sem problemas pois é um trem comum que não requer reserva de assento. Inclusive, vi gente indo a pé dentro dele quando voltei de Pisa pra Florença. Mas sempre ressalto que fui há 5 anos atrás e não sei se o esquema mudou, ou se agora eles limitam a venda dos ingressos. Por via das dúvidas, eu compraria antes pra garantir.

      4) Vc diz aquele ônibus “sightseeing”? Tem sim! Não citei no blog porque, particularmente, prefiro me aventurar no transporte público das cidades que visito, para sentir um pouco do cotidiano local. Mas Roma tem sim aqueles ônibus “Hop on -Hop off”, se não me engano tem mais de uma empresa. A mais famosa (e que tem na Europa toda) é a “City-Sightseeing”. Dá uma olhadinha no site aqui.

      Grande abraço!

  71. César

    Os europeus reconhecem a nós, brasileiros, também pelas vestimentas. Eles (assim como os americanos) possuem o costume de utilizar calças coloridas com camisas estampadas, o que não corresponde exatamente ao nosso gosto.

    • Fernanda Rangel

      É bem provável mesmo, César. O gosto para roupas dos estrangeiros é bem duvidosa (para o nosso gosto)… 😀
      Mas nas 2 ocasiões que perguntei como eles sabiam que eu era brasileira, nas 2 vezes recebi a mesma resposta: “pelas feições”. Isso aconteceu tanto na Itália quanto na Espanha.
      Abs

  72. Cristina

    Olá, semana que vem embarcamos prá Itália… primeiro Roma e depois Firenze, e então voamos para Madrid e norte da Espanha.
    Adorei ler seu blog e dicas, vc. é muito divertida, prática e direta nos seus comentários.
    obrigada!!!

  73. Greice

    “ordem e progresso”, kkkkkkk. Como eu ri! Olha eu aqui novamente Fernanda.
    Na Itália vc comprou os passe online ou comprou na hora? É possível comprar o passe na hora? Eu e meu esposo ficaremos 7 dias, o passe avulso seria o indicado?
    Eu gosto de dirigir, até cogitei fazer o deslocamento das cidades base de carro, mas me falta a coragem.
    Mais uma vez, obrigada.

    • Fernanda Rangel

      Oi novamente, Greice!
      Foi uma situação engraçada mesmo. Hahahaha! 😀
      Vc diz o passe de trem? No meu caso, comprei com uma agente de turismo (eu ainda não tinha muita experiência de comprar ingressos internacionais online, na época).
      É uma coisa pessoal, mas eu procuro sempre me livrar do carro nas minhas viagens. Porque tem a questão de se preocupar com volante na estrada, ver combustível, procurar estacionamento (algo que não costuma ser fácil nas cidades europeias)… Mas muita gente que é adepta a roadtrip tira de letra essa viagem. É questão de preferência mesmo.
      Abs

  74. Meire

    Voce é otima!
    Muito objetiva e divertida.
    Obrigada
    Bjo

  75. Marina

    Ameeeei teu blog, super completo, dias otimas, me deixou ainda mais ansiosa pra minha viagem. Obrigada!!!

Totos os direitos reservados