Dicas de Sobrevivência Para Quem Vai à Suíça

Se vai viajar pra Suíça por conta própria e tem dúvidas de como fazer pra se virar por lá, então não perca nossas dicas de sobrevivência e veja o que os guias de viagem não contam.

Suíça

Uma viagem internacional, feita por conta própria, é a melhor opção para quem quer conhecer direito um lugar e ficar livre pra fazer o que bem entender, no seu próprio ritmo.

Mas por outro lado, também gera certa insegurança. Afinal, trata-se de outra cultura, outro idioma, outros costumes... Sem a segurança e o conforto de um guia turístico, a pergunta que não quer calar é: “será que conseguirei me virar sozinho(a) por lá?”.

Pensando nisso, fiz este post com o objetivo de ajudar o leitor do blog a tirar algumas dúvidas, utilizando a minha experiência como referência – adquirida em minha estada no país em Abril/Maio de 2015.

Longe de mim, querer dizer o que é certo ou errado. A intenção aqui é dar as minhas impressões para que você possa ter uma ideia do que poderá encontrar quando chegar ao seu destino.

É claro que cada um tem um ponto de vista. Por isso, convido os leitores do blog a fazerem seus comentários no final do post. Assim, poderemos todos ajudar aqueles que estão com viagem marcada para este belo país.

Como são os suíços?

É um povo meio fechado. Sabe aquela imagem que a gente tem do europeu sério e de poucas palavras? Esse é o suíço.

Suíça

Suíça

Mas apesar disso, os achei bastante educados. Em nenhum momento presenciei algum nativo sendo grosseiro ou destratando alguém. E olha que eu passei por várias cidades, em pontos diferentes do país. Em todos os lugares, tanto nas menores quanto nas grandes cidades, encontrei o mesmo tipo de conduta por parte da população local.

O brasileiro costuma estranhar um pouco esse jeitão suíço de ser, já que somos mais expansivos e falantes. Não são poucos os relatos de quem já visitou o país e achou a população um pouco antipática.

Não compartilho dessa opinião. Os suíços não são antipáticos. São apenas “na deles”.

As únicas exceções que encontrei foram os estrangeiros que vivem por lá. A maioria é mais aberta – principalmente os imigrantes portugueses, que se mostraram bastante alegres quando encontram algum brasileiro.

Encontrei-os em Gruyères, em Zermatt e em Zurique e foi um prazer conversar com eles.

Já comprou seus ingressos?

Não deixe para a última hora e muito menos para comprar durante a viagem. A Get Your Guide oferece um ambiente simples, seguro e com a garantia do menor preço para você comprar com antecedência seus ingressos para atrações, shows, espetáculos, eventos, tours, passeios e muitas outras experiências nos principais destinos do mundo, inclusive Suíça.

Como se virar com o idioma na Suíça?

Se você está planejando ir pra Suíça por conta própria, prepare-se: lá se fala 4 idiomas!

Na Suíça se fala vários idiomas

Na Suíça se fala vários idiomas

A grande maioria do país fala alemão. Só uma parcela menor que fala francês (nas cidades que ficam mais próximas da França) e uma menor ainda fala italiano (nas cidades próximas à Itália).

Apenas 1% fala uma língua local, chamada romanche – que vem sendo considerada como "em extinção".

O mais engraçado é que, conforme você vai passeando pelo país, é preciso ligar a tecla SAP cerebral. Não são raras as vezes que você sai de uma cidade que fala alemão, faz um passeio “bate-volta” para uma cidade que fala francês e depois volta para a cidade de origem (alemão de novo).

As placas e painéis de informações espalhados pelas cidades e nas estações estão sempre nos 3 idiomas: alemão, francês e italiano.

E o inglês?

Infelizmente, não vá esperando que os suíços falem o inglês perfeitamente. Nos pontos turísticos você até encontra, mas nos estabelecimentos não conte muito com isso não. Eles “arranham” algumas palavras, no máximo!

Os únicos lugares que observei o inglês nas placas informativas foi no aeroporto de Genebra e em algumas atrações turísticas (mas não todas). Realmente, o inglês é um idioma bem secundário na Suíça.

Você já irá perceber isso durante o planejamento pré-viagem. Vários sites oficiais das atrações não possui a opção da tradução em inglês. Achei o fim da picada, já que são coisas voltadas para turistas e esse idioma é meio que universal.

Mas, calma... Dá pra se virar bem na Suíça.

A primeira coisa é tentar decorar algumas palavras básicas em alemão e francês. Não só para conseguir ler as placas, mas também porque é de bom tom o turista aprender algumas palavras de cortesia daquele país – os nativos costumam ser mais receptivos quando tentamos falar alguma coisa na língua deles.

A segunda coisa é planejar bem a sua viagem. Se for com tudo anotado e tiver mapas bem esquematizados, não terá erro: a probabilidade de você precisar ter algum diálogo com um nativo, em um idioma completamente estranho, cairá bastante.

Se mesmo assim tiver que perguntar alguma coisa a alguém, não se preocupe! Como falei acima, os suíços são bem educados e vão te ajudar. E aí não tem jeito: é jogar uma palavrinha em inglês aqui, fazer uma mímica ali e logo todo mundo se entende.

Comigo foi assim e deu tudo certo nos 8 dias que fiquei no país. E olha que não falo NADA de francês e muito menos de alemão. E para minha sorte, encontrei alguns imigrantes portugueses pelo caminho, que me ajudaram bastante.

De qualquer forma, eis algumas palavras de cortesia (com a pronúncia entre parênteses) e palavras úteis em ALEMÃO, para que você não se sinta tão perdido(a) quando estiver por lá:

Bom dia / Boa tarde = Guten Tag (gutãn tág)

Boa Noite = Guten Abend (gutãn ábent)

Obrigado = Danke (dánque)

Sim = Já ()

Não = Nein (náin)

Por favor = Bitte (bíte)

Desculpa / Com licença = Entschuldigung (ent-shul-di-gón)

Tchau = Tschüss (tchúss)

Entrada = Eingang / Einfahrt

Saída = Ausgang / Ausfahrt

Aberto = Auf / Offen

Fechado = Zu / Geschlossen

Banheiro = WC / Toilette

Farmácia = Apotheke

Partidas = Abfahrten

Próxima Estação = Nächster Halt

Plataforma = Gleiss

Agora, as mesmas expressões em FRANCÊS:

Bom Dia / Boa Tarde = Bonjour (bonjúrr)

Boa Noite = Bonsoir (bonssuárr)

Obrigado = Merci (merrcí)

Sim = Oui ()

Não = Non (non)

Por favor = S’il vous plaît (sivuplê)

Desculpa = Excusez-moi (esquizemoá)

Com licença = Pardon (parrdón)

Tchau = Au revoir (ôrrevoárr)

Entrada = Entrée

Saída = Sortie

Aberto = Ouvert

Fechado = Fermé

Banheiro = WC / Toilette

Farmácia = Pharmacie

Partidas = Départs

Próxima Estação = Prochain arrêt

Plataforma = Plate-forme

O italiano é bem pouco falado na Suíça. Se por acaso você for passar em alguma cidade que fale esse idioma, sugiro dar uma lida no item de "como se virar com o idioma italiano" no meu post sobre dicas de sobrevivência para quem vai à Itália.

A comida na Suíça

Reza a lenda que a Suíça não tem exatamente uma culinária típica, mas sim alguns pratos inspirados na gastronomia dos países vizinhos, como salsichas, pães, carnes de caça e por aí vai.

Apesar disso, ela conseguiu fazer com que vários fossem associados a sua imagem.

Um deles, de inspiração alemã, é a batata rösti – uma espécie de fritada de batatas raladas, com manteiga e acompanhamentos.

batata rösti

batata rösti

Eu já comi este prato aqui no Brasil várias vezes, assim como muita gente, e confesso que estranhei imensamente quando me deparei com a versão suíça. Comi em 2 ocasiões (em Genebra e em Interlaken) e em nenhuma das duas a batata rösti tinha a aparência que vi aqui. Chegava a ser até esquisita.

Mas é só o visual mesmo, pois o sabor estava delicioso. Nas duas vezes.

Vamos falar agora de um dos orgulhos nacionais: o queijo suíço. Considerado um dos melhores do mundo, ele deve a sua fama graças aos cuidados na criação das vacas na Suíça – que são “tratadas a pão-de-ló”, com o objetivo de produzirem um leite de qualidade que, consequentemente, gerará um queijo de qualidade.

Há vários tipos famosos, sendo os principais o Emmental (o tradicional queijo suíço cheio de buracos), o Gruyère (produzido na cidade de mesmo nome) e o Raclette.

Queijos suíços: Gruyère (esq) e Emmental (dir)

Queijos suíços: Gruyère (esq) e Emmental (dir)

Esse último gera um prato delicioso que leva o mesmo nome. Funciona assim: colocamos um pedaço de queijo raclette num aparelho especial, que possui uma resistência que o esquenta e derrete a sua superfície. Quando isso acontece, o tiramos do aparelho e arrastamos, com ajuda de uma espátula, a superfície derretida sobre alguns petiscos – geralmente batatas, pão ou alimentos em conserva. É um desbunde!

Diferentemente do que o brasileiro está acostumado, o fondue na Suíça é sempre de queijo. Eles usam geralmente o Emmental, ou o Gruyère ou os dois. E para acompanhar, fatias de pão.

Raclette (esq) e fondue de queijo (esq)

Raclette (esq) e fondue de queijo (esq)

O leite de qualidade dessas vaquinhas (que é delicioso, por sinal) também gera outra maravilha que é a cara da Suíça: o chocolate.

Muita gente já os conhece dos Duty Free dos aeroportos e sabe como eles são gostosos. Mas há outras marcas vendidas na Suíça que conseguem ser tão boas quanto ou até melhores.

Além dos clássicos Toblerone e Lindt, ainda tem a marca Frey e a maravilhosa Cailler, que hoje pertence à Nestlé – outra marca que também é suíça.

Chocolates suíços: Lindt (esq), Cailler (centro) e Frey (dir)

Chocolates suíços: Lindt (esq), Cailler (centro) e Frey (dir)

É quase impossível não comer vários durante a viagem, assim como também não dá pra resistir trazê-los pra casa. O difícil é escolher qual, pois há muitas opções e sabores, todos eles deliciosos.

Confesso que o Lindt sempre foi o meu preferido, mas depois que visitei a fábrica da Cailler na Suíça, hoje digo que esta marca passou na frente no meu ranking. Especialmente o tablete da embalagem lilás, que foi o chocolate ao leite mais gostoso que eu já comi.

Chocolate Ovomaltine

Chocolate Ovomaltine

Outro que você não deve deixar de provar é o maravilhoso chocolate do Ovomaltine, que é feito a base de pó de cacau, extrato de malte e leite, e que também é de origem suíça.

Gente, esse chocolate é espetacular! A sensação que temos é que estamos comendo um Ovomaltine sólido e não exatamente um chocolate. Uma pena que ele não é vendido no mundo todo, porque certamente ia fazer sucesso. Não deixe de experimentá-lo em sua viagem à Suíça.

Aliás, o Ovomaltine é vendido nos supermercados também na forma de pó (como no Brasil) e na versão bebida achocolatada pronta (o Ovo Drink). Impossível não provar alguma garrafinha em sua estada no país.

Placas de chocolate Läderach

Placas de chocolate Läderach

Outra marca bastante famosa na Suíça é a Läderach. A empresa fabrica chocolates finos em formato de placa, sendo vendidas em vários tamanhos e sabores diferentes.

Você certamente ira passar por algumas lojas da marca em sua estada no país e sou capaz de apostar que irá ficar hipnotizado(a) pelas iguarias nas vitrines – que, é claro, são vistosas e apetitosas.

E pra quem acha que os suíços não tinham mais o que fazer com o leite, se enganou!

A paixão pela bebida é tanta que até o soro do leite é aproveitado – ele é utilizado para fabricar um refrigerante adocicado, típico da Suíça, chamado Rivella.

Refrigerante Rivella

Refrigerante Rivella

Confesso que torci o nariz quando descobri de que era feito esta bebida, mas aí me disseram que lembrava bastante o guaraná (refrigerante) e decidi, então, experimentar pra ver.

Olha... Sei que gosto não se discute, mas vou afirmar uma coisa aqui pra você: não tem NADA a ver com guaraná! Mas não chega nem perto do sabor do nosso refrigerante.

Acho que as pessoas se deixam levar pela cor da bebida, que realmente lembra a do guaraná. Mas a semelhança acaba aí. Só bebendo pra saber.

Pelo meu paladar, detestei o sabor do Rivella. Mas como cada um tem um gosto, acho válido que você experimente a bebida, uma vez que ela é bastante consumida na Suíça e considerada um produto típico de lá.

Pra quem quiser se aventurar há vários sabores, sendo os principais: o tradicional (embalagem vermelha), o baixo teor de açúcar (embalagem azul), o sem lactose, feito a base de soja (embalagem amarela) e o com chá verde (embalagem verde).

Água grátis e boa

Água grátis e boa

DICA IMPORTANTE: Já que estamos falando em bebida, saiba que água na Suíça é grátis e pode ser bebida direto das fontes das cidades. Parece estranho, mas elas são potáveis e uma delícia: fresquinha, geladinha e sem gosto de cloro ou de sal.

Tem gente que fica com medo de arriscar e acaba comprando garrafa de água mineral no supermercado. Não faça isso: além de ser cara, não compensa, pois você pode encher sua garrafa de graça nas fontes da rua.

Quanto gastar por dia na Suíça?

Eis um tema delicado, já que cada um tem um objetivo e um orçamento próprios.

E com relação à Suíça, fica mais complicado ainda, já que é mesmo um país onde tudo é caro.

Franco suíço

Franco suíço

Quando estiver fazendo o câmbio, você verá que o valor do franco suíço é equiparado ao dólar e até mais barato que o euro. O que sempre acaba nos iludindo.

O problema não é o câmbio em si, mas o fato dos suíços cobrarem mais pelas coisas por lá.

Presenciei alguns preços abusivos durante a viagem, que me levaram a parar de converter as coisas pro real pra não sofrer. Não que eu tenha mania de fazer isso, mas algumas vezes é inevitável.

Um exemplo foi no dia que cheguei em Berna: fui comer um menu no Burger King que tinha perto do hotel e depois que eu havia pago, me dei conta que um cheeseburger + batata frita + refrigerante tinha saído por quase 40 reais. Quase perdi a fome!

Por isso digo que, numa viagem à Suíça, vale aquela máxima de que “quem converte, não se diverte”. Algumas coisas terão que ser abstraídas, pra não sofrer.

Como eu cheguei à Suíça com os hotéis previamente pagos e adquiri o Swiss Pass (o que recomendo fortemente), então não precisei contar com gasto de deslocamentos e nem uso do transporte público nas cidades. Além disso, muitas atrações saíram de graça só em mostra-lo na bilheteria. E os que não eram grátis, eu ganhei um belo desconto.

Portanto, sobraram-me apenas as despesas básicas: alimentação, supermercado, algumas poucas atrações e souvenir (que eu sei que eram caros, mas eu não podia voltar de lá sem pelo menos um imã de geladeira para a minha coleção...).

Franco suíço

Franco suíço

Para isso, minha meta máxima por dia era 70 francos por pessoa. E não me lembro de ter ultrapassado esse valor em nenhum dia.

Eu lancei mão do lanchinho na bolsa várias vezes na Suíça, mas também não deixei de fazer algumas extravagâncias em alguns dias ao comer os pratos típicos.

Era só me policiar: se eu fosse em alguma atração gratuita naquele dia, aproveitava pra comer num restaurante e economizava no restante. Se tinha uma atração a ser paga naquele dia, evitava comer no restaurante. E por aí vai...

Mais uma vez, a DICA DE OURO: em hipótese alguma converta as coisas pro real. Crie uma meta de gasto por dia e faça aquele dinheiro render, sem pensar muito no quanto custaria se fosse em real, a menos que você queira sofrer.

A única exceção é se for adquirir alguma coisa que compraria por um preço alto no Brasil. Aí sim é bom converter pra ver se vale a pena adquirir aquele item por lá. Mas baseado na minha visita, já te adianto que a chance de ser mais barato na Suíça é quase nula...

Apesar de tudo que falei aqui, também não significa que você não consiga diminuir os gastos dessa viagem. Por isso, sugiro a leitura do meu post em que trago dicas de como economizar em uma viagem à Suíça.

Como se locomover pela Suíça?

Para aqueles que adoram uma roadtrip, é possível alugar um carro em sua estada na Suíça.

Estrada suíça

Estrada suíça

No meu caso, não utilizei esse meio para locomover por lá, mas há vários relatos de que as estradas são bem conservadas e boas de dirigir.

Caso seja essa a sua escolha, nós aqui do blog indicamos a RentCars que te ajuda a comparar preços de várias locadoras e vários modelos de carro de maneira rápida e segura. O grande diferencial é que você paga o valor em reais, sem IOF, e pode dividir em até 12 parcelas no cartão de crédito ou aproveitar um desconto de 5% no boleto bancário.

Contudo, mesmo quem é adepto ao carro acaba se rendendo às viagens de trem em algum momento, já que nem sempre as rodovias suíças são bem-vindas, pois há situações que requerem bastante atenção ao volante (como estradas de serra e neblinas), impedindo do motorista usufruir das belas imagens durante a viagem.

Trem suíço

Trem suíço

De fato, os deslocamentos de trem acabam sendo um dos grandes atrativos na Suíça, pois além de serem confortáveis e pontuais, eles ainda proporcionam uma vista incrível da paisagem do país, que muitas vezes não são obtidas nas viagens pelas estradas.

Operada pela companhia SBB-CFF-FFS, o serviço ferroviário cobre todos os cantinhos da Suíça e deixam qualquer destino a poucas horas do local onde você está. E isso incluindo os países vizinhos!

Para saber todos os detalhes de como funciona o serviço ferroviário de lá, não deixe de conferir o nosso post que traz todas as informações uteis de como utilizar os trens na Suíça.

Locomover-se dentro das cidades também é muito fácil e tranquilo. Mas como muitas cidades são bem pequenas, às vezes nem precisamos do transporte público para se deslocar.

Tram (bonde) em Berna

Tram (bonde) em Berna

Só mesmo nos grandes centros, como Genebra e Zurique, eles são uma “mão na roda” no que diz respeito a poupar tempo e as pernas. E muito prático de serem usados.

É possível comprar as passagens avulsas em máquinas próprias nos pontos de ônibus e tram (ou bonde). Mas a maioria dos turistas acaba não utilizando essa opção.

Digo isso, porque as viagens de transporte público nas cidades são cobertas pelo Swiss Pass. Basta estar com ele à mão, caso seja abordado por algum fiscal.

E para quem não for adquirir o passe, uma dica: vários hotéis oferecem aos hospedes um passe gratuito de transporte, com validade equivalente ao tempo de estadia. Aconselho checar isso no ato da sua reserva.

Quanto ao planejamento das rotas pelo país (dentro das cidades e entre elas), o site oficial da SBB traz todos os itinerários que você precisa para se planejar.

Como é a segurança na Suíça?

Achei um dos lugares mais seguros que visitei na Europa. Não vi qualquer tipo de situação de perigo, furtos ou movimentações de carros de polícia nos dias que fiquei no país.

Aliás, essa “paz” parece ser uma característica deles: a Suíça é considerada, há muitos anos, um país neutro nos conflitos mundiais.

Guarda Suíça no Vaticano

Guarda Suíça no Vaticano

Reza a lenda que até há um serviço militar dentro do território, mas é mais por questões protocolares, pois não tem muito “trabalho” pra eles por lá. Quem segue carreira militar acaba mesmo indo trabalhar bem longe de casa: fazendo a segurança do Papa e do Vaticano, ao formar a lendária Guarda Suíça.

Porém, apesar de ter achado um país bastante seguro, sempre digo que nunca sabemos o que se passa na cabeça dos outros. Não podemos esquecer que somos e temos cara de forasteiro, ou seja, seremos sempre visados pelos aproveitadores de plantão.

Por isso, tenha sempre atenção com seus pertences, evite transitar pelas ruas em horários muito tardios e cuidado com os vendedores ambulantes. Vi poucos na minha estada na Suíça, mas há sempre o perigo de um deles te distrair com uma bugiganga e um comparsa vir por trás e abrir a sua bolsa ou mochila. Isso é um tipo de furto bastante comum em toda a Europa. Fique sempre atento(a).

Viatura da polícia em Genebra (esq) e em Zurique (dir)

Viatura da polícia em Genebra (esq) e em Zurique (dir)

Seguro Viagem para Visitar a Europa: Sim, é necessário!

Para entrar na Europa, é obrigatório ter um seguro viagem à mão. Nunca me pediram pra comprovar nas imigrações que passei (Londres, Lisboa e Amsterdam), mas como é um pré-requisito para aprovar a sua entrada na UE, temos que estar sempre prevenidos e esperar que o(a) agente da imigração possa querer conferir a papelada do seguro.

Mas independente da obrigatoriedade para fazer a imigração, em qualquer viagem devemos nos preocupar também com possíveis situações de emergência.

E elas acontecem mais frequentemente do que podemos imaginar e, em alguns casos, pode até acabar com a sua viagem. Quem nunca comeu uma comida da qual não estava costumado(a) e teve uma intoxicação alimentar? Ou pegou um clima mais frio do que o esperado e acabou com uma baita gripe? Ou mesmo uma infecção importante?

Aliás, para quem vai pra Suíça é bastante recomendável, especialmente se você pretende viajar para esquiar ou praticar outros esportes de aventura, seja pelo risco de acidentes ou por conta da altitude. Não são raros relatos de pessoas que sofrem de mal súbito por conta do ar rarefeito nos mirantes que ficam nos picos dos Alpes (eu mesma tive um mal estar ao visitar o Jungfraujoch/Top of Europe).

Graças a Deus nada de grave me aconteceu nesta viagem à Suíça, mas já passei um perrengue de saúde em minha viagem à Itália ao qual precisei contactar um atendimento médico às pressas e o seguro me deu toda a assistência necessária e ainda cobriu todas as despesas. Salvou a viagem!

Outra vantagem de se contratar um seguro é a possibilidade que algumas seguradoras dão de incluir também um seguro bagagem que te reembolsa, caso haja alguma perda.

Quem nunca teve ou soube de alguém que teve uma mala extraviada e perdida por uma cia aérea, ficando com um prejuízo incalculável?

Por isso, é necessário fazer uma boa pesquisa e procurar as melhores opções com bom custo-benefício para o seu caso.

Já contratou o Seguro Viagem?

Você sabia que quando se viaja para a Europa a contratação de um seguro viagem com cobertura mínima de 30 mil euros é obrigatória? Então, faça agora mesmo uma cotação na Seguros Promo e escolha entre as melhores seguradoras sempre com o melhor custo benefício. Aproveite esse cupom especial do Black November, disponível por tempo limitado, e garanta um desconto de 15% pagando no cartão ou economize 20% no boleto. Utilize o código: BLACK.

Dicas importantes para seu planejamento de viagem à Suíça

• Aqui no blog temos também outros roteiros de o que fazer em cidades suíças como Interlaken, Genebra, Berna, Lucerna, Zurique, Gruyères e Zermatt. Não deixe de dar uma conferida.

Vai fazer passeios na Suíça? Então confira nossos posts que contam tudo sobre a visita ao Top of Europe, ao Matterhorn Glacier Paradise e também à fábrica de chocolate Maison Cailler.

• Prefere um roteiro completo pelo país? Confira nossa sugestão de roteiro de 8 dias pela Suíça e saiba o que visitar por lá em 1 semana de viagem.

Vai Viajar?

 Encontre o hotel perfeito para sua próxima viagem com garantia do menor preço. O nosso blog tem parceria com o Booking, serviço que te ajuda a comparar preços de hospedagem em qualquer lugar do mundo de maneira rápida e segura. Você ainda pode fazer uma reserva com a opção de cancelamento gratuito e deixar para pagar só na hora do check-in. Garanta sua reserva de hotel agora mesmo.

 Não esqueça do seguro viagem. Economize tempo e dinheiro fazendo uma cotação na Seguros Promo. Encontre os melhores planos das principais seguradoras por preços imbatíveis. Aproveite esse cupom especial do Black November, disponível por tempo limitado, e garanta um desconto de 15% pagando no cartão de crédito ou economize 20% no boleto bancário. Utilize o código promocional: BLACK.

 Compre um chip internacional e se mantenha conectado durante sua viagem. A Easysim4u oferece planos sob medida na Europa com conexão de internet 4G franquias proporcionais ao número de dias do pacote. Você recebe o chip em sua casa, de forma antecipada, e chega em seu destino com tudo funcionando. Compre com 10% de desconto usando o nosso cupom exclusivo: PARAVIAGEM10.

 Encontre as melhores datas para a sua próxima viagem e economize na hora de comprar as passagens aéreas. Usando a plataforma do Passagens Promo você pode pagar com cartão de crédito em parcelas sem juros e sem cobrança de IOF. A empresa conta ainda com selo de qualidade no atendimento. Agora não tem mais desculpe, partiu Suíça!

Reservando com nossos parceiros, além de garantir o menor preço e um serviço de qualidade, você também ajuda a manter o blog e nos motiva a produzir cada vez mais conteúdo.

Galeria de Fotos:

24 Comentários
  1. Steiger

    Bela matéria. Sou filho de suiços e apesar de nunca ter visitado a Suiça sei que o serviço militar não é lenda, existe sim um serviço militar obrigatório para todo suiço, inclusive para aqueles que nasceram fora da suiça, desde que resolvam residir lá, sendo, salvo engano, obrigatório servir até os 40 anos. Meu irmão passou por isso.

    • Fernanda Rangel

      Olá, Steiger!
      Obrigada pelo elogio e pelo comentário!
      Eu tinha ouvido falar que não havia serviço militar na Suíça, mas achei essa história tão surreal que fui dar uma pesquisada. O fato do país ser neutro nos conflitos mundiais certamente colaborou pra criar essa lenda.
      Abs

  2. Claudia

    Parabéns pelo Site! Bem detalhado! Adorei

  3. Rafaella

    Adorei o post! Bem completo! Parabéns!

  4. Rubia Freitas

    Muito bom sua materia concerteza vai ajudar muito gente, por coincidência no ano e mês que você estava na Suiça, eu tambem estava lá, foi minha primeira vizita, queria eu ter lido essas dicas antes, obrigada por você publicar tudo isso.

  5. Ana Maria

    Oi Fernanda
    Sou médica, moro em Florianopolis e também adoro viajar sozinha .
    .. sempre de trem. Assim já atravessei o Canadá, a Austrália, a França, a Itália e Portugal.
    Penso em me basear na Suíça e durante 60 dias conhecer mais 2 países vizinhos.
    Grata por suas dicas.
    Ana

    • Fernanda Rangel

      Oi, Ana!
      Fico muito contente pelas dicas estarem lhe sendo úteis. 😀
      A Suíça é relativamente pequena e super fácil de fazer passeios para os países vizinhos. E tem uma rede de transporte muito boa e prática (uma das melhores que vi em minhas jornadas europeias), que faz conexão com os países vizinhos.
      Será uma viagem ótima!
      Abs

  6. Patrícia Gomes

    Olá! Em breve irei viajar pra Suíça e adorei suas dicas. Obrigada! Parabéns.

  7. Milton Miguel Nhataba

    Olá, você é um gênio, a sua matéria está bem explícito, e vai ajudar muita gente. Esta de parabéns.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Milton!
      Obrigada pelo elogio! 😀
      Fico muito contente pelo post ter sido útil para o seu planejamento.
      A Suíça é linda, vai ser uma viagem incrível, tenho certeza!
      Grande abraço.

  8. Pamella

    Ótimo post, Fernanda.
    Muito detalhado e esclarecedor. Vai ajudar muito!
    Parabéns e obrigada.

  9. iirene Hoffmannn

    Oii Fernanda, estou programndo uma viagem para suica este ano, por conta propia, no mes Junio, adorei suas dicas, mas ficou uma duvida, cuantos dias preciso para fazer um tour completo por toda Suica de trem? pelo que ja pesquisei o pais e pequeno mas tem muitos passeios pra fazer, e ver por la.. estava pensando em ficar pelo menos 10 ou 12 dias por la…o que vc acha?
    adorei seu post….

    • Fernanda Rangel

      Oi, Irene!
      Obrigada pelo elogio.
      A Suíça é um país pequeno, mas tem muita coisa interessante pra visitar. Costuma-se dizer que “é muita Suíça para poucos dias”… Hehehe
      A melhor coisa a se fazer é sentar e listar todas as cidades que vc deseja conhecer, tentando coloca-las numa ordem de preferência. E depois, ir encaixando no seu roteiro de 10 dias.
      A sorte é que a maioria das cidades e vilarejos exigem apenas 1 dia (ou no máximo 2 dias), o que dá pra encaixar bastante coisa nesse período.
      Há uma infinidade de opções. A minha viagem durou 8 dias e nesse período consegui visitar 7 cidades, uma fábrica de chocolate e mais o Jungfraujoch (Top of Europe). Contei tudo nesse post aqui >> Roteiro de 8 Dias pela Suíça.
      Abs

  10. Mayara Gabrielle Barbosa

    Oi Fernanda, tudo bem? Agora em maio vou viajar com meu esposo, minha sogra e um casal de amigos… e teremos que ficar em Genebra porque será o local de um congresso que meu esposo vai. Então, estou tendo muita dificuldades com os passeios partindo de genebra. Gostaria de conhecer algum lago, achas viável uma viagem de um dia, partindo de genebra?

    A segunda pergunta é: porque não preferistes conhecer o Mont Blanc, não é melhor que o que fostes? ou por questão de localização sua?

    Parabéns pelo blog! Maravilhoso!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Mayara!
      Obrigada pelo elogio!
      Como a Suíça é um país relativamente pequeno, dá pra fazer passeios de 1 dia (ou “bate-volta”) com facilidade. Fiz vários em minha estadia por lá.
      Estando em Genebra, vc já estará à beira de um dos lagos mais conhecidos da Suíça. E há várias opções de passeios por ele.
      Quanto ao Mont Blanc, não deu tempo de ir até lá. Eu visitei Genebra como um bate-volta de Berna. Então, preferi priorizar a visita à cidade.
      Além disso, eu já tinha programado 2 passeios de montanha nessa viagem (o Jungfraujoch em Interlaken e o Matterhorn em Zermatt). Mas se tivesse 2 dias em Genebra, certamente teria incluído o passeio no roteiro (Chamonix-Mont Blanc). Dizem que é muito bonito.
      Aqui no blog, nós indicamos o site Get Your Guide, que traz uma série de opções legais de passeio. Há um bem cotado que faz Charmonix-Mont Blanc em 9 horas. Dá uma olhadinha nas opções aqui.
      Abs

  11. Elisabeth

    Olá, Fernanda! Parabéns pelo
    Blog, excelente! Vou em julho com meu marido para a Suíça e estou em dúvida sobre que tipo de roupa levar. Quando acho sites falando sobre o verão suíço, pouco é falado sobre temperatura. Chove? Faz frio ou não? Poderia me ajudar? Obrigada!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Elisabeth!
      Eu que agradeço o elogio!
      Não saberia te dizer com 100% de certeza, pois visitei a Suíça entre abril e maio – quando a temperatura está mais amena, já não tem mais neve e fez um friozinho razoável no início da manhã e à noite.
      Como julho será o alto verão, então acredito que vcs não devam pegar nenhum frio extremo. Mas levem um bom casaco, especialmente para os passeios de montanha (lá em cima sempre está com temperatura negativa, independente da estação).
      Qto às chuvas, é impossível saber. Já viajei em meses que dizem ser de mais chuvas e peguei tempos lindos de sol e já viajei em épocas em que apontam que chove pouco e peguei dias nublados em toda a viagem. Não dá pra prever. É torcer pra São Pedro ser generoso nos dias que estivermos lá. Rssss…
      Abs

  12. Tânis

    Olá Fernanda , muito feliz por ter lido seu blog. Está de parabéns. Me ajudou muitíssimo, pois estou indo sozinha em janeiro com a cara e a coragem. Pretendo passar 10 dias pela Suíça e 10 dias pela Áustria. Nem imagina como me ajudou. Peguei todas as suas dicas e agora com mais alívio. 🌷❤

    • Fernanda Rangel

      Oi, Tânis!
      Eu que agradeço o elogio!
      Fiquei muito contente pelo blog ter sido útil para o seu planejamento.
      A Europa é super tranquilo para irmos por conta própria ou sozinhas. Claro que tem que ter aqueles cuidados de sempre, como evitar andar só à noite, por exemplo. Mas no geral, é bem tranquilo.
      Suíça e Áustria são 2 países lindos. Vai ser uma viagem incrível.
      Abs

Totos os direitos reservados