Roteiro de 1 Dia em Nápoles na Itália

A caótica e tradicional cidade italiana é um dos destinos mais procurados por quem está indo visitar a Itália. Confira o que fazer neste roteiro de 1 dia de visita.

Nápoles - Castel Nuovo

Nápoles - Castel Nuovo

Sendo bastante clichê, pense no estereótipo de um italiano.

O que vem à sua mente? Uma pessoa falando bem alto (quase gritando), gesticulando muito, totalmente sentimental (quase trágica), sentada em alguma cantina comendo uma deliciosa pizza ou um belo prato de massa, enquanto ouve uma Tarantella...

Imaginou? Pois se você acha que vai encontrar algum tipo assim em Roma, Florença ou Veneza, esqueça! O mais próximo desse estereótipo você só encontra em uma cidade da Itália: Nápoles.

A capital da região da Campania é uma das cidades mais antigas da península itálica e sua história é tão movimentada quanto suas ruas.

Fundada pelos gregos (que a chamaram de Neapolis, ou seja, cidade nova), ela foi conquistada várias vezes e por vários povos diferentes: Imperadores romanos, normandos, godos, franceses (tanto Napoleão Bonaparte, quanto os Bourbons), espanhóis... A “dança das cadeiras” só acabou mesmo após a unificação da Itália, no século 19.

Essa mistura de influências acabou refletindo tanto na arquitetura de Nápoles quanto nos costumes e estilo de vida de sua população.

Minha estada na cidade foi meio relâmpago. Eu gostaria de ter tirado 1 dia inteiro para conhecê-la melhor, mas eu não tinha esse tempo disponível em meu roteiro.

Eu estava sediada em Sorrento – o que indico fortemente para quem for visitar a região – de modo que reservei 1 dia inteiro para visitar Pompeia (pela manhã) e Nápoles (à tarde).

No final das contas, nem foi ruim, pois confesso que não simpatizei muito com Nápoles. Já li que esta cidade é um caso de “ame ou odeie”. No meu caso, não cheguei a odiar, mas também o sentimento passou bem longe do “amar”.

Meu único pesar foi não ter ido ao Museu Arqueológico. Não tinha como: ou eu conhecia a cidade ou ia ao museu – que costuma consumir umas boas horas do dia para poder visitar.

Neste post, preparei um roteiro de 1 dia pela cidade, colocando algumas sugestões para que você possa saber o que fazer em Nápoles. E de quebra, ainda trarei algumas dicas e impressões sobre os lugares que fui.

Como chegar a Nápoles?

TREM – A estação principal da cidade é a Napoli Centrale. Vindo de outros lugares da Itália, provavelmente você chegará a ela – que fica na Piazza Garibaldi, no centro. Há outras estações, mas das duas, uma: ou são mais afastadas ou não possuem conexão direta com as grandes cidades italianas. Quem vem de Sorrento essa é a melhor opção de transporte.

BARCO – Para quem estiver vindo de alguma das cidades da costa, como Ilha de Capri e Ischia, é possível chegar a Nápoles por este meio. Para obter mais informações sobre os itinerários, consulte o site de uma das empresas mais conhecidas por lá, a SNAV.

CARRO – Essa é outra opção, pra quem gosta de uma roadtrip. A autoestrada A1 liga Roma a Nápoles e a A3 sai de Nápoles e vai em direção a Salerno.

Alugar um carro pode ser uma ótima opção

A melhor forma de explorar um novo destino, com liberdade total, é alugando um carro. Em muitos casos você poderá economizar, evitando despesas com translados e deslocamentos em geral. Será que vale a pena? Faça uma cotação online na RentCars e encontre as menores tarifas entre as principais locadoras. Você tem a vantagem de poder pagar em reais, sem IOF, e ainda parcelar no cartão.

“BATE E VOLTA” DE ROMA POR TREM – Isso é possível, mas aconselho utilizar o trem de alta velocidade (os Freccia), que faz o trajeto em pouco mais de 1h. Os outros tipos (Intercity e Regionale) levam de 2h a 2h35 pra chegar ao destino, o que deixaria sua visita mais apertada, já que consumiria de 4 a 5 horas do seu dia só de deslocamento.

Visitando Nápoles: o que fazer por lá?

Como relatei acima, minha visita foi rápida, de apenas uma tarde. Obviamente não fui a todas as atrações da cidade – eu precisaria do dia inteiro pra conhecer o essencial. E também não utilizei o transporte público. O pouco que visitei, foi tudo a pé.

Antes de iniciarmos o roteiro, eis algumas impressões que tive sobre as “famas” que Nápoles tem mundo a fora...

Nápoles é mesmo caótica? Sim! Eu tinha achado o trânsito de Roma uma loucura, mas ainda não tinha visto nada. Os veículos de Nápoles buzinam, correm e simplesmente ignoram o sinal vermelho. Atravessar uma rua por lá se tornou uma das maiores aventuras que passei na Itália. Mas tem um macete: fique ao lado de algum nativo e quando ele começar a atravessar, siga-o! Sempre dá certo.

Nápoles é mesmo perigosa? Reza a lenda que a cidade é uma das mais violentas da Itália. Não sei se dei sorte ou se circulei em áreas menos “barra pesada”, mas não achei tão ruim assim, neste aspecto. Não é nada diferente do que um brasileiro que mora em qualquer capital (principalmente São Paulo e Rio) estaria acostumado. Inclusive, flagrei várias duplas de policiais perambulando pelas ruas.

Nápoles é mesmo suja? Achei bem menos do que me falaram. Dizem que há lixo espalhado pelas calçadas. Não vi nenhum por onde andei, mas como também não visitei a cidade de cabo a rabo, não posso afirmar totalmente.

Os italianos de Nápoles são mesmo grosseiros? Não achei. Todos com quem dialoguei por lá foram bem simpáticos e gentis. Inclusive, precisei entrar numa farmácia para comprar um antibiótico e a farmacêutica foi de uma simpatia ímpar. Foi o povo que achei mais próximo do jeitão brasileiro na Itália. Talvez a fama se deva ao fato deles serem aquele estereótipo “intenso” que falamos no início do post.

Dito isso, vamos ao nosso roteiro. Independente se você está hospedado(a) em Nápoles ou se está fazendo apenas um “bate e volta”, aconselho começar cedo, por volta das 9h.

Museu Arqueológico de Nápoles

Museu Arqueológico de Nápoles

A primeira atração será o Museu Arqueológico de Nápoles (Museo Archeologico Nazionale – Metrô: Museo – Linha 1).

Pra quem gosta do tema, este é simplesmente um dos mais importantes museus arqueológicos da Europa e do mundo. Nele, há muitas relíquias da Roma Antiga, especialmente a Coleção Farnese, que pertencia à família homônima.

Mas o grande destaque mesmo são as relíquias e mosaicos resgatados das ruínas de Pompéia e Herculano. Um ótimo complemento pra quem visitou (ou visitará) esses sítios arqueológicos.

É um museu bastante rico e com um acervo invejável. Mas como o nosso roteiro é curto, reserve de 2 a 2h30 para visitá-lo.

Para mais informações, acesse este link sobre o Museo Archeologico Nazionale.

Já comprou seus ingressos?

Não deixe para a última hora e muito menos para comprar durante a viagem. A Get Your Guide oferece um ambiente simples, seguro e com a garantia do menor preço para você comprar com antecedência seus ingressos para atrações, shows, espetáculos, eventos, tours, passeios e muitas outras experiências nos principais destinos do mundo, inclusive Nápoles.

Saindo de lá, siga caminhando pela avenida em frente ao museu (em direção à Piazza Cavour, à esquerda). Vire na Via del Duomo e siga por ela até chegar a próxima atração do dia – o Duomo.

Duomo de Nápoles

Duomo de Nápoles

Perto das outras catedrais italianas, a de Nápoles é até relativamente simples. Mas mesmo assim, é bem bonita.

Construída no século 14 e reformada no século 19 após um terremoto, ela guarda uma relíquia inusitada de San Gennaro (São Januário, em português): um frasco com uma amostra do sangue do santo. Reza a lenda que 2 vezes por ano (maio e setembro) ele milagrosamente se liquidifica.

Um parênteses aqui... Eis mais um estereótipo do italiano que nós brasileiros temos: quem nunca viu em algum filme ou novela, uma matrona italiana em agonia, rogando “al mio San Gennaro”? Mais um indício de que os napolitanos são mesmo a cara do italiano que nós temos em mente.

Continuando o passeio, siga caminhando até a Via Cesare Sersale para o almoço, que será um dos pratos mais tradicionais de Nápoles: a pizza!

Nesta rua fica uma das pizzarias mais famosas da cidade e muito procurada pelos turistas, principalmente depois do filme “Comer, Rezar e Amar”: a Pizzeria da Michele.

É um estabelecimento minúsculo e geralmente com uma fila gigantesca na porta (reza a lenda que, em determinadas épocas, pode-se ficar horas nela).

A pizza de lá deve ser realmente muito boa, senão não teria a fama que tem. Mas como nosso roteiro é curto e não há a menor possibilidade de perdermos tempo em filas (o que seria uma grande furada de qualquer maneira), eis uma ótima dica: chegando à Pizzeria da Michele, siga para a rua que está em frente, a Via Pietro Coletta, e entre na Pizzeria Trianon.

Pizza da Trianon

Pizza da Trianon

É maior que a Michele, bem menos cheia e a pizza... Maravilhosa! A melhor que comi nos 18 dias que fiquei na Itália.

Quem acha que comer uma pizza é um almoço pequeno, engana-se. Uma porção individual é bem grande (mais ou menos do tamanho de uma média aqui no Brasil) e enche.

Há algumas poucas opções de sabores, mas as tradicionais são 2: a Margherita (tomate, manjericão e azeite) e a Marinara (tomate, alho, azeite e orégano).

Reparou que não citei o queijo? As pizzas italianas não costumam levar esse ingrediente, sendo necessário pedir para adicionar (há esta opção no cardápio). E se você acha que eles colocam um queijo qualquer, errou: é utilizado logo uma muzzarela de búfala, a melhor que existe.

Pra finalizar, o melhor de tudo: o preço da pizza é ótimo, super barato. Vale muito a pena.

Acesse o site oficial da Trianon clicando aqui.

ATENÇÃO: Na época que eu fui (Maio 2013), a Trianon fechava às 15:30h e só reabria às 17h. Se você estiver seguindo o roteiro certinho, vai chegar lá bem a tempo. Se estiver um pouco atrasado(a), lembre-se deste fato.

Já contratou o Seguro Viagem?

Você sabia que quando se viaja para a Europa a contratação de um seguro viagem com cobertura mínima de 30 mil euros é obrigatória? Então, faça agora mesmo uma cotação na Seguros Promo e escolha entre as melhores seguradoras sempre com o melhor custo benefício. Aproveite essa oportunidade e tenha 5% de desconto utilizando o nosso cupom: PARAVIAGEM05.

Seguindo em frente, vá andando até a Piazza Garibaldi (cerca de 5 min de caminhada) e pegue o metrô até a belíssima e nova estação Toledo (Linha 1). Você irá dar uma voltinha rápida pelo Quartiere Spagnoli.

Quartiere Spagnoli

Quartiere Spagnoli

É uma região bem feia, mas muito característica: ruas estreitas e caóticas, com prédios de fachadas envelhecidas e varais de roupas estendidas em suas inúmeras sacadas.

Dizem (não visitei) que é bastante animada de dia.

Enquanto desce a Via Toledo, veja as vielas transversais que descrevi acima. Mesmo tendo um aspecto um pouco esquisito, é a cara de Nápoles.

Esta rua termina na ampla Piazza del Plebliscito.

Piazza del Plebliscito

Piazza del Plebliscito

Construída a mando de Napoleão Bonaparte, na época que dominou a cidade, ela possui alguns belos edifícios em destaque:

• O Palazzo Reali di Napoli, que era a antiga residência do rei da Espanha e hoje abriga um museu e uma biblioteca.

• A Igreja San Francesco di Paola, do século 19, é uma cópia do Pantheon de Roma. Nas laterais, possui uma imensa colunata semicircular, lembrando a Praça de São Pedro, do Vaticano.

Seguindo pela Via Console Cesario até a beirada da baía, vá caminhando até avistar o forte medieval que está instalado numa pequena ilha – o Castel dell’Ovo.

Bem antigo, construído no século 12, foi utilizado por vários dos governantes que dominaram Nápoles e, incrivelmente, resistiu a diversos ataques ao longo dos anos.

Castel dell’Ovo

Castel dell’Ovo

O nome inusitado se deve a lenda que ronda o castelo. Dizem que havia um ovo mágico nele, que protegia a cidade de Nápoles. Enquanto esse ovo estivesse inteiro, a cidade estaria a salvo.

E os napolitanos levavam mesmo isso a sério! No século 14, saiu um boato de que ovo tinha quebrado e a população entrou em pânico. Foi preciso um pronunciamento público dos governantes da época, desmentindo o boato, para conseguir acalmar a todos.

É possível visitá-lo, mas como o nosso roteiro é um pouco resumido, não estou contando com a entrada neste castelo. É só mesmo uma visitinha rápida e por fora.

Mas se for mesmo do seu interesse, obtenha mais informações sobre visita, acessando o link sobre o Castel dell’Ovo.

Voltando pela margem da baía, você chegará a outro castelo muito conhecido da cidade – o Castel Nuovo.

Construído no século 13, esse castelo-forte é um dos cartões postais de Nápoles.

Com torres cilíndricas e uma entrada adornada com um belo arco triunfal cheio de relevos decorativos, ele abriga um museu com obras de arte italianas de diferentes épocas.

Castel Nuovo -- Militares marchando na entrada do castelo

Castel Nuovo -- Militares marchando na entrada do castelo

O castelo até hoje é usado para atividades militares. No dia de minha visita, um grupo de soldados fazia um treinamento em frente a ele e outro grupo, no pátio interno.

Não visitei o museu, mas entrei no castelo para visitar um dos maiores atrativos dele: o terraço - de onde temos uma bela vista da Baía de Nápoles, o Vesúvio, a península de Sorrento e até a Ilha de Capri.

Vista do terraço do Castel Nuovo: o porto e o Vesúvio (à esq.) e a Península de Sorrento e Capri (à dir.)

Vista do terraço do Castel Nuovo: o porto e o Vesúvio (à esq.) e a Península de Sorrento e Capri (à dir.)

Para mais informações, acesse este link sobre o Castel Nuovo.

Ali próximo, na Via San Carlo, está a bela Galleria Umberto I. Muito parecida com a Galleria Vittorio Emanuelle de Milão, é cheia de lojas e cafés. Uma ótima opção para uma pausa das andanças.

Daqui em diante, há 3 opções:

• Se estiver fazendo um “bate-e-volta” vindo de barco, basta seguir até o porto em frente ao Castel Nuovo: a Marina (Beverello).

• Se veio de trem, basta seguir caminhando até a Piazza Giovanni Bovio e pegar o metrô Universitá (uma estação lindíssima) e seguir até Garibaldi, que fica em frente à estação ferroviária Napoli Centrale.

• Se o dia ainda estiver claro e você tiver com disposição, dê uma esticada até o Castel Sant’Elmo. Ele fica no alto de uma colina e quem vai até o seu terraço, consegue uma vista de 360 graus da cidade e de toda a Baía de Nápoles. Veja as formas de chegar até lá pelo site oficial do transporte público de Nápoles e acesse informações sobre a visita ao Castel Sant’Elmo.

Não deixe de ler também:

Onde se Hospedar em Nápoles: Dicas de Hotéis

Dicas de Sobrevivência Para Quem Vai à Itália

Roteiro de 18 dias pela Itália

Considerações Finais

Como disse no início do post, não foi uma cidade que me encantou. Mas vale a visita? Com certeza!

Pra quem deseja fazer uma visita completa à Itália, Nápoles não pode ficar fora do roteiro, pois é uma das maiores, mais famosas e importantes do país.

Eu penso que uma visita a um lugar sempre valerá a pena, mesmo que a gente acabe não gostando. A melhor opinião que podemos ter é aquela que é gerada pelo o que os nossos próprios olhos viram e as conclusões que tiramos depois disso.

Quem sabe Nápoles não te surpreende positivamente e você acabe se apaixonando pela beleza caótica dela? Só indo lá mesmo pra saber...

Quer mais dicas? Então confira meus roteiros de viagem que segui em Roma, Sorrento, Costa Amalfitana, Ilha de Capri, Florença entre outras cidades italianas.

Ou se preferir, acesse nossa página completa de destinos e confira todo o nosso conteúdo sobre a Itália.

Vai Viajar?

 Encontre o hotel perfeito para sua próxima viagem com garantia do menor preço. O nosso blog tem parceria com o Booking, serviço que te ajuda a comparar preços de hospedagem em qualquer lugar do mundo de maneira rápida e segura. Você ainda pode fazer uma reserva com a opção de cancelamento gratuito e deixar para pagar só na hora do check-in. Garanta sua reserva de hotel agora mesmo.

 Não esqueça do seguro viagem. Economize tempo e dinheiro fazendo uma cotação na Seguros Promo. Encontre os melhores planos das principais seguradoras por preços imbatíveis. Pagamento no cartão de crédito em até 12 parcelas ou com desconto no boleto bancário. Ganhe 5% de desconto adicional comprando seu seguro com nosso cupom de desconto: PARAVIAGEM05.

 Compre um chip internacional e se mantenha conectado durante sua viagem. A Easysim4u oferece planos sob medida na Europa com conexão de internet 4G franquias proporcionais ao número de dias do pacote. Você recebe o chip em sua casa, de forma antecipada, e chega em seu destino com tudo funcionando. Compre com 10% de desconto usando o nosso cupom exclusivo: PARAVIAGEM10.

 Compre ingressos para atrações, shows, espetáculos, eventos, tours, passeios e muitas outras experiências com a GetYourGuide. A empresa, presente nos principais destinos, oferece vantagens como a garantia do menor preço e a possibilidade de reserva online antecipada, garantindo seus bilhetes antes da viagem.

Reservando com nossos parceiros, além de garantir o menor preço e um serviço de qualidade, você também ajuda a manter o blog e nos motiva a produzir cada vez mais conteúdo.

Galeria de Fotos:

40 Comentários
  1. Anne Katrine

    Nápoles tem seus encantos, também adorei passear por la, fiz um roteiro bem semelhante ao seu! Em relação a violência, lá é muito violento comparado as cidades europeias, por exemplo, é um ABSURDO (assim mesmo, com letra maiúscula) o cara te roubar enquanto vc espera o sinal abrir. Tem que saber que o parâmetro é outro…
    Beijos

    • Fernanda Rangel

      Oi, Anne!
      É isso aí: pro padrão europeu, Nápoles poderia ser considerada uma cidade violenta. Embora ultimamente estou sabendo de relatos cada vez mais comuns de “trombadinhas” nos grandes centros, como Paris, Roma, Londres… Reza a lenda que a crise na Europa vem sendo apontada como uma das responsáveis pelo aumento destas estatísticas.
      Mas de qualquer forma, me senti segura andando pela cidade.
      Bjs

    • Alvaro Sousa Sousa

      Conheço bem Nápoles como quase toda a Italia. Nápoles eu gosto, pois tem um museu maravilhoso que mostra tudo ou quase tudo da cidade chamada Pompeia, tem tambem ligaçoes para a ilha de Cápri como por auto-estrada ou trens para todas as provincias de Italia . Sei que em Nápoles a máfia napolitana tem muito poder . Cidade tranquila, come-se muito bem, os napolitanos são muito simpáticos mas eu que falo italiano l, nao entendo nada, pois eles falam o napolitano tal qual os sicilianos -Bom para visitar Nápoles

  2. Vickie

    Oi Fernanda, Tudo bem?
    Primeiramente gostaria de lhe parabenizar pelo blog…Excelente!
    Amei suas dicas…e dentro do possível conseguiu fazer quase tudo que vc sugeriu… (eu estava acompanhada da minha mama que tem 66 anos…aí vc já pode imaginar…rsrsrs) mas mesmo com algumas limitações amamos a viagem!!! Passamos 14 dias aqui na Itália, na verdade ainda estamos. Embarcamos de volta ao Brasil depois de amanhã …Fomos a Roma, Veneza, Milão e Florença…E como vc mesma mencionou nunca conhecemos tudo então, voltarei COM CERTEZA!!!!
    Bjinhos 😄

    • Fernanda Rangel

      Oi, Vickie!
      Obrigada pelo elogio! 🙂
      Tenho certeza que foi uma viagem incrível, pois a Itália é um país maravilhoso. Eu vejo às vezes minhas fotos e me dá uma saudade…
      O que me conforta é que voltarei lá um dia pra conhecer o restante (e quem sabe, fazer algumas coisas de novo?).
      Bjs

  3. Rodrigo

    Fernanda, tudo bem?

    Nápoles é a última cidade do meu roteiro. De lá volto ao Rio de Janeiro.

    Meu voo é num horário meio ingrato – 06:55h da manhã de uma quarta-feira. Obviamente, terei que acordar super cedo para chegar lá e fazer o check-in. Baseado nisso que fiquei um pouco preocupado e te pediria sugestão, caso possa me dar um ideia…

    Estou pensando em sair do hotel umas 04:30h, ou algo próximo a isso…mas não sei se será fácil conseguir taxi num horário desses assim na rua…além disso, ficarei nesses B&B…então não acredito que tenha uma recepção para me chamar um taxi etc…

    tem algum sugestão?

    parabéns pelos posts! ajudam demais!

    abraço

    • Fernanda Rangel

      Tem vários B&B que tem recepção sim. Dá uma olhadinha nas informações da sua hospedagem no site Booking, lá costuma ter todas as especificações dos estabelecimentos (recepção, elevador, wi-fi etc).
      Caso não tenha mesmo, infelizmente não saberia como fazer. Não conheço nenhum serviço de motorista em Napoles e nem tenho contato de radio taxi por lá (que não seria prático, pois teria que falar em italiano).
      Uma opção é o Uber. Tem no mundo todo e acredito que tenha em Nápoles. Mas não sei se por lá as coisas são confiáveis.
      Mais uma vez, obrigada pelos elogios aos posts!
      Abs

  4. Nathalia Rosa

    Olá Fernanda,

    Para entrar na sala secreta do museu de nápoles, é necessário agendar antes? eu já procurei e ninguem fala isso, mas tinha lido em um guia…

    Obrigada!!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Nathalia!
      Olha, dei uma pesquisada na web e não encontrei nenhuma informação sobre isso. Nem mesmo o site oficial menciona o agendamento para visitar a sala secreta.
      Pra não dizer que não achei nada, li um relato num blog em inglês de alguém que citou que tem que agendar. Mas era um artigo publicado em 2010…
      Se não há nada no site, acredito que hoje não deva ser obrigatório, mas por via das dúvidas, eu mandaria um e-mail pra eles. Há um formulário de contato online no site oficial, que vc pode acessar aqui.
      Abs

  5. Bárbara

    Oi Fernanda! Estou fechando meu roteiro e estou na dúvida se passo o sábado em Nápoles ou Florença. Qual você acha? Irei em março…

    • Fernanda Rangel

      Oi, Bárbara!
      Desculpe a demora pela resposta.
      Olha… Como eu não amei Nápoles, minha tendência é te indicar ir pra Florença. 😀
      Mas por outro lado, Florença merece uns 2 a 3 dias lá pra curtir com calma. E nesse ponto, Nápoles sai ganhando, pq dá pra conhecer em 1 dia.
      São 2 cidades absolutamente diferentes. Florença tem aquele charme medieval, com um toque “renascentista”. Já Nápoles é aquele caos típico do estereotipo italiano. Aí é ver o que te atrai mais.
      Abs

  6. Luana

    Ótimo roteiro!

  7. Paulo Henrique Debone

    Olá Fernanda !!
    Gostei bastante do blog, Parabéns !!

    Estou em Roma e vou conhecer Nápoli este Final de Semana, já que minha origem é Napolitana rs
    Tenho duas dúvidas: Pra subir no terraço do Castel Nuovo preciso comprar um ingresso e se precisar onde compro ? No próprio Castelo ?

    Aguardo sua resposta !!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Paulo!
      Obrigada pelo elogio!
      Eu comprei lá na hora. Logo que entramos no castelo, chegamos a um pátio cercado e a bilheteria fica logo à esquerda da porta de entrada.
      Abs

  8. Sandra

    Olá Fernanda, parabens pelas dicas e sugestões que aliviam a ansiedade dos viajantes.
    Iremos, eu e meu marido, para a Sicilia em julho. Chegaremos e partiremos de Napoli.
    No dia 12/07 queríamos alugar uma moto saindo do aeroporto para andarmos na Costa Amalfitana. Ficaremos apenas uma noite num hotel de agriturismo em Vico Equense. Será que pode nos indicar uma agência que aluga motos? Só achei uma e já não há mais motos disponíveis.
    Grata.
    Sandra

    • Fernanda Rangel

      Oi, Sandra!
      Eu que agradeço o elogio!
      Infelizmente não dirijo motos e, por isso, não teria uma empresa pra te indicar com segurança.
      Mas achei um post do blog “Zoropeando” onde eles trazem várias dicas sobre aluguel/aquisição de moto para realizar esse tipo de viagem pela Europa. Como eles passaram por essa experiência, certamente terão alguma indicação mais precisa pra te dar.
      Abs

  9. Jô Povh

    Oi Fernanda,
    Parabéns pelo blog. Ler o q vc escreve é tudo de bom, principalmente qdo vamos conhecer os mesmos lugares q vc viajou. No início da nossa viagem vamos ficar 8 noites na Sicília. Após a leitura dos post q vc fez sobre Nápoles, Pompéia, Sorrento, Costa Amalfitana e Capri resolvi fazer uma alteração nas reservas de hotéis, considerando q ficaremos 7 noites, no período de 5 a 12/09, nessa região.
    Por favor me diga o q acha sobre o meu novo roteiro : Fixar base por 5 noites em SORRENTO
    Dia 5 chegada no aeroporto de Nápoles às 13 hr e de lá ir de ônibus p/ Sorrento ( já confirmei no hotel essa possibilidade)e nesse final de tarde passear por Sorrento.
    Dia 6 Pompéia
    Dia 7 Positano e Amalfi ( como vc fez)
    Dia 8 Ravello e ???? ( aceito sugestão p/conhecer algum lugar perto ou retornar pra passear em Sorrento)
    Dia 9 Nápoles , quero visitar o Museu Arqueológico. Me diga vc fez o roteiro de Nápoles por conta própria ou usou aquele ônibus hop on hop off? O q me sugere?
    Dia 10 fazer check out em Sorrento e ir p/ Capri, permanecer por 2 noites .
    Como o nosso voo de retorno ao Brasil sai de Nápoles às 19:30, penso em pegar o barco por volta de 15 horas e chegando no porto em Nápoles ir direto para o aeroporto pra voltar pra casa😑
    Obrigada pela tua atenção, fico no aguardo da tua ajuda.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Jô!
      Obrigada pelo elogio!
      Seu roteiro está ótimo. Ravello fica relativamente perto de Maiori e Minori, outros pequenos vilarejos da costa. Não conheço nenhum dos 3, mas são pequenas cidades conhecidas da Costa Amalfitana.
      Sobre Nápoles, na verdade eu criei aquele roteiro conforme eu gostaria de ter feito e não pude, porque coloquei a visita no mesmo dia de Pompeia. Mas do pouco que visitei por lá, sei que ele é bem viável de ser feito por conta própria, sem ajuda de ônibus hop on-hop off. Ele pode até ser usado pra te facilitar, mas criei o roteiro pensando no transporte público e nas andanças. 😉
      Espero ter conseguido ajudá-la!
      Abs

  10. silvia

    Olá Fernanda, e amigos. ótimas dicas.

    Preciso da ajuda de voces.
    Não encontrei nenhum comentário sobre ir de Taxi (comum) até Pompeia, como meus pais têm idade avança, para poupa-los, pensei em usar este tipo de transporte. Imagino que o passeio seja bem cansativo, mas pelo menos eles vao chegar até o portao de entrada descansados.
    Ficarei bem próximo da estação Napoli Centrale e verifiquei que a distancia até lá é mais ou menos 25 km.
    Será que encontrarei dificuldade de pegar um taxi na ida e outro na volta?
    como será que é cobrado o percurso? teria ideia do valor ?
    Você teria alguma dica?

    Até pensei em visitar Herculano e Pompeia no mesmo dia, mas vou desistir.
    Se for ter que optar, qual seria o mais interessante?

    obrigado

    • Fernanda Rangel

      Oi, Silvia!
      Não tenho referências sobre serviço de transfer ou taxi pra te indicar com segurança por aqui, porque fiz a minha viagem toda de transporte público. Mas uma dica ótima que posso te dar é checar isso com a recepção do seu hotel em Nápoles. Eles sempre tem indicações de passeios, traslados e até mesmo serviço de taxi para indicar aos hóspedes. É a maneira mais segura de conseguir um serviço desse tipo.
      Como Pompeia é um dos passeios mais realizados na região, é muitíssimo provável que eles tenham alguma indicação da confiança deles pra te dar.
      Sobre Pompeia e Herculano, sem dúvida te indicaria ir a Pompeia. Não visitei Herculano, mas dizem que o sítio arqueológico é bem menor e tem muita coisa ainda enterrada embaixo do vilarejo local. Já Pompeia está lá na íntegra e é bem grande.
      Sugiro uma lida no meu post Roteiro de visita às ruínas de Pompeia na Itália
      Abs

  11. luciene

    ola, Fernanda, iremos à Itália em novembro, e estou curtindo muito suas dicas!
    já salvei os links, para acessar novamente, quando estiver mais perto da viagem.
    Meu roteiro, dia 08/11, chegaremos a Napoles, visitarei no mesmo dia, pois chego de manhã.
    Dia 09/11, vou à Pompeia. Dia 10/11, parto para Roma. (se faltar algo muito significativo em Napoles, vou ainda no dia 10 de manha). Fico em Roma de 10 a 13/11 (domingo dia 12, vou à missa). E depois tenho até o dia 17/11, quando vou à Paris. Ainda não organizei de 13 a 16, quais cidades ir..Tem sugestões ?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Luciene!
      Obrigada pelo elogio e desculpe a demora pela resposta.
      Vc terá 3 dias inteiros livres, certo? De 14 a 16/11, correto?
      Não sei se vc irá de avião até Paris (a melhor opção) ou se pretende utilizar esses 3 dias para seguir viagem até a capital francesa gradualmente…
      Se for utilizar esses 3 dias dentro da Itália, sugeriria 2 dias em Florença e 1 dia em Milão. Ou 2 dias em Veneza e 1 em Milão.
      Se for indo até Paris gradualmente, sugeriria 1 dia e meio em Milão (14 e 15/11), pega o trem e segue até Genebra na Suíça (cerca de 3h50min de trem), passa 1 dia (16/11) e na manhã seguinte (17/11), pega outro trem até Paris (3h10min de viagem, aproximadamente).
      Abs

  12. Catarina Alexandra

    Ola Fernarda, que ótimo roteiro mas eu gostaria de fazer como você fez, no mesmo dia ir a Napoles e a Pompeia, desse modo, como sugere que me organize para perder menos tempo possível?

    Obrigada
    Bjs

    • Fernanda Rangel

      Oi, Catarina!
      Eu que agradeço o elogio!
      Olha, como meu roteiro ficou muito espremido, só consegui mesmo chegar pela estação de trem Napoli Centrale, descer a Via Umberto I, desviar para comer uma pizza na Trianon e fui até o Castel Nuovo, onde entrei pra visitar e lá em frente mesmo peguei o barco de volta pra Sorrento.
      Conheci bem pouquinho. Até pensei em rachar um taxi com as pessoas que estavam comigo nesta viagem e dar uma esticada até o Castel Sant’Elmo, onde há uma bela vista da cidade e da Baía. Mas depois de horas de caminhada em Pompeia (num sol “de respeito”) e mais um pouco de caminhada em Nápoles, cheguei ao Castel Nuovo bastante cansada. Como tb não amei Nápoles, dali mesmo fui embora.
      A sorte é que não simpatizei muito com a cidade, então não chegou a ser uma catástrofe. Só me arrependo de não ter tido tempo de ir ao Museu Arqueológico.
      Mas, sabe… Às vezes me pergunto: se tivesse tirado o dia todo e conhecido melhor Nápoles, será que eu teria gostado? Enfim…
      Bjs

  13. Fábio Lau

    Olá Ferananda! Virei seu fã. Pena que tenha passado tão pouco tempo na cidade. Viajamos para lá nos próximos dias e vou percorrer alguns dos lugares citados. Pretendemos ficar quatro dias em Nápoles. E quero incluir, se possível a uma estada no campo do time local. Você não mencionou sobre preços – alimentação, transportes, gorjetas e passeios. Poderia fazê-lo?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Fábio!
      Desculpe a demora e obrigada pelo elogio!
      Eu conheci bem pouco de Nápoles e não lembro ao certo quanto gastei nos lugares que fui (afinal, a viagem foi há 4 anos atrás). Por isso coloquei os links dos sites oficiais para que os leitores possam ver os valores atuais.
      Mas lembro bem que Nápoles não era uma cidade muito cara, se compararmos com Roma, Florença e Veneza, por exemplo.
      Abs

  14. Ana Paula Marinho

    Fernanda olá,
    gostaria de saber como vc fez napoles e pompeia no mesmo dia e se foi de carro ou trem?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Ana Paula!
      Fui de trem. Eu estava hospedada em Sorrento e em 30 min estava em Pompeia. Depois foi só pegar o trem de novo e mais 30 min estava em Nápoles.
      Na volta a Sorrento, optei pelo barco.
      Abs

  15. Aline

    Olá Fernanda! Tudo bem?
    Muito legal seu blog, pelo que tenho lido sobre Napoles não é uma visita essencial para o roteiro né?
    Sairei de Roma num domingo de manha, alugarei um carro e preciso estar em Bari na proxima sexta-feira, pois pego um Cruzeiro para Roma no sabado de manhã. Pensei em ir conhecendo Napoles, Pompeia, Ilha de Capri, Sorrento, Positano, Amalfi…o que der (mas acho que pularei Napoles) né?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Aline!
      Desculpe a demora pela resposta.
      Particularmente não amei Nápoles, mas não sei se chega a ser um destino dispensável pra quem visita a região da Campania… Até porque é uma das maiores e mais conhecidas cidades da Itália, além de ser a capital da Campania.
      Eu acho que vale pelo menos uma visitinha rápida, já que vc vai fazer um passeio pelos arredores, como Sorrento, Capri, Costa Amalfitana (que são tão especiais, que acabam colocando Nápoles “no chinelo”. 😉 ).
      Abs

  16. Carla Caldas

    Bom fiquei chocada com Napoli!! Jamais indicaria, cidade suja, muito, muito suja, transito caotico, muito caotico as pessoas não respeitam nada, as motos andam sem medo, passam por cima se vc não sair!!
    Pizzaria Trianon horrivel, vc bebe vinho e qq bebida em copo de plastico!! Odiei a cidade!!
    Relembra o livro o Cortiço, como meu amigo comentou!! O unico ponto positivo é a Igreja q tem a reliquia de São Genaro🙏🏻🙏🏻

    • Fernanda Rangel

      Oi, Carla
      Nápoles é realmente um caos completo, foi de longe a cidade que eu menos gostei na Itália. Mas a visitei há 5 anos atrás e hj, com essa crise imigratória na Europa e tb a crise financeira que acomete alguns países, acredito mesmo que as coisas tenham piorado por lá. Uma pena…
      Com relação a Trianon… Só se caiu bastante a qualidade ultimamente, pq eu achei o atendimento ótimo quando fui.
      Abs

  17. Karina

    Olá Fernanda, tudo bem? Eu farei um bate e volta para Nápoles, agora em novembro, partindo de Roma. O trem chegará em Nápoles às 8:50 e o retorno para Roma será as 19:15. Você acha que dá para fazer esse roteiro? Mesmo incluindo uma visita ao Museu Arqueológico, ou melhor deixar o museu de fora? Em caso positivo, você indica comprar o ingresso desse museu antecipadamente? Muito obrigada! Abraço!!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Karina!
      Vc teria 10 horas pra visitar Nápoles. Acho que dá tranquilamente pra fazer esse roteiro.
      Como disse no post, não visitei o Museu Arqueológico de Nápoles, mas me baseando no restante das atrações do dia, eu reservaria umas 2 horas pra ele (3h estourando).
      Não sei como seria por lá, mas eu chegaria um pouco antes da abertura do museu pra comprar o ingresso. Isso costuma dar certo em vários lugares, já que a maioria dos turistas acorda mais tarde pra começar as visitas. Mas se quiser garantir, então é melhor mesmo comprar online.
      Abs

  18. Débora Guilarducci Sentoma

    Meu sonho de consumo é conhecer a Itália.
    Nesse momento dia 10/07/2019, minha prima está lá em Nápoles, chegou na Itália na noite anterior .
    Ela andando por Nápoles fui procurando no Google sobre a cidade e encontrei seu blog que me ajudou a orientá-la quanto a cidade de Nápoles .
    Verifiquei que a cidade é um pouco perigosa . Alguns malandros querendo mudar a rota dos turistas e nesse momento ela foi narrando no grupo do WhatsApp que um homem queria mudar o itinerário delas , foi aonde elas perceberam ao consultar o Google.
    Muito obrigada pelo blog onde pude ter uma aula de história .
    Grande abraço.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Débora!
      Eu que agradeço o elogio!
      Fiquei contente pelo post ter servido de auxílio.
      Aproveitadores tem em todo lugar e sempre digo o seguinte: somos e temos cara de turistas, ou seja, estaremos SEMPRE visados. Temos que ficar sempre espertos. 😉
      Grande abraço!

  19. rita frizzo

    Oi Fernanda
    Gostaria de parabeniza-la pelo seu blog, gostei muito de suas dicas e informações. Vc escreve muito bem e as fotos são lindas. Tenho uma viagem para Itália de 13/10/2019 a 04/11/2019. Vamos a Florença, Napole, Sorrento e Roma. Teremos 8 dias em Roma, gostaria de saber se você pode me indicar alguma cidade próxima p visitar ? Ou fazer bate e volta ?? o que pode me sugerir…. Obrigada

    • Fernanda Rangel

      Oi, Rita!
      Eu que agradeço o elogio!
      Como bate-volta de Roma, daria pra ir a Tivoli, Ostia Antica e Villa Adriana… Ou curtir atrações de Roma menos famosas entre os turistas (um roteiro que ainda farei um dia, quando voltar à Roma).
      Abs

  20. Marcelo

    Fernanda bom dia . Vou fazer um bate e volta a Napoles saindo de Roma. Não agendei nenhum passeio , apenas comprei os bilhetes do trem. Gostaria de saber se ha algum receptivo onde eu possa comprar passeios para o Vesuvio , Pompéia ou Herculano

Totos os direitos reservados