Roteiro de 1 Dia na Ilha de Capri na Itália

Confira este roteiro de visita a uma das ilhas mais lindas e visitadas do mundo – cheia de belezas naturais e também local de refúgio de ricos e famosos.

Ilha de Capri

Ilha de Capri

Localizada bem próxima a península de Sorrento encontramos um do lugares mais lindos da região, que não deve ser esquecido por quem estiver visitando a região: a Ilha de Capri.

Com cerca de 10 km², é uma ilha mediterrânea de origem calcária e com grandes falésias nas beiradas.

Capri possui um intenso fluxo de turistas, principalmente no verão, e é um dos destinos de badalação mais conhecidos e procurados da Europa. Além de um charme, é chiquérrima: não é à toa que vários milionários, reis e artistas a escolheram como lugar de refúgio. Giorgio Armani, Sophia Loren e Mariah Carey são alguns que tem uma “casinha” por lá...

Reza a lenda que o nome da ilha deriva da palavra grega Kapros, que significa “javali” (que povoavam a ilha inicialmente). Mas há vertentes que dizem que deriva mesmo é da palavra latina Capreae, pois os romanos a chamavam assim - “ Ilha da Cabra”.

A fama de Capri vem desde a época do Império Romano. Augusto montou ali a primeira “cidade” que se tem notícia. Mas a ilha ficou conhecida mesmo no governo de seu enteado e sucessor Tibério. O mesmo expandiu o povoado da ilha, criando várias Villas (uma espécie de residências com um grande jardim ou área verde), sendo a mais famosa a Villa Jovis, visitável nos dias de hoje.

Por todo o período do Império Romano, a ilha serviu de refugio e até mesmo como exílio para os condenados ligados à família do imperador, que eram banidos para Capri.

Após a queda do Império, a ilha passou para o domínio de Nápoles e foi invadida e saqueada diversas vezes por piratas e conquistadores (dentre eles, Napoleão Bonaparte). Até que finalmente passou a ser apenas um refúgio paradisíaco para escritores, cientistas e para a realeza de várias partes da Europa.

O que chamamos de “Ilha de Capri” consiste, na verdade, em 2 cidades: a Vila de Capri, localizada logo acima da Marina Grande (o cais principal) e a Vila de Anacapri, que fica mais a leste e onde está o ponto mais alto da ilha.

Dos 4 dias que visitei a região da Baía de Nápoles e Costa Amalfitana, reservei 1 dia inteiro para visitar esta ilha. E foi um dos passeios mais lindos que fiz na Itália. As belezas naturais de lá são de cair o queixo...

Abaixo, darei informações de como fazer para chegar até lá, como foi o meu passeio, trazendo algumas dicas e impressões.

Como chegar a Ilha de Capri?

Obviamente, só há uma maneira de acessá-la: indo de barco.

A ilha é ligada a várias cidades costeiras da Baía de Nápoles e Costa Amalfitana. Há algumas empresas que fazem o trajeto, em diversos horários. Para quem deseja se programar, as mais conhecidas são a Gescab, a SNAV e a Caremar.

Comprar uma passagem é muito fácil, basta ir aos guichês que estão no cais da cidade que você estiver. Os barcos, na verdade, são grandes balsas com vários assentos, tal como um ônibus aquático.

Vindo de Roma: é necessário pegar um trem de Roma Termini até Nápoles (Napoli Centrale). O porto (Napoli Baverello) fica um pouco longe: uns 30 minutos de caminhada. A maioria apela para o taxi.

Já contratou o Seguro Viagem?

Você sabia que quando se viaja para a Europa a contratação de um seguro viagem com cobertura mínima de 30 mil euros é obrigatória? Então, faça agora mesmo uma cotação na Seguros Promo e escolha entre as melhores seguradoras sempre com o melhor custo benefício. Aproveite essa oportunidade e tenha 5% de desconto utilizando o nosso cupom: PARAVIAGEM05.

Visitando a Ilha de Capri: O que fazer por lá?

Eu estava hospedada em Sorrento. Saí de manhã cedo (por volta das 8:30h) e me dirigi para o cais da cidade (Marina Piccola), onde comprei a passagem de barco para Capri num dos guichês de lá. Foi bem tranquilo e não houve necessidade de comprar com antecedência.

Não sei como seria em época de alta temporada, já que fui em Maio (2013), que ainda é considerada como baixa temporada. Mas acredito que, se você for cedo, não terá problemas com lotações.

A viagem dura mais ou menos uns 25 minutos e acabou rendendo uma história digna de nota...

Talvez por ser cedo (ou talvez seja normalmente assim), a maré estava bem alta. Sabe quando você olha pela janela de um barco e percebe que o mar “está cheio”? Pois bem, a despeito disso, o barco vai a toda velocidade. Resultado: vamos subindo e descendo vertiginosamente até chegar a Capri. A sensação é como se estivéssemos numa montanha russa.

A coisa é tão séria que, em determinado momento da viagem, o staff do barco começa a distribuir sacos plásticos para quem quiser vomitar. E tiveram várias pessoas que o fizeram.

DICA IMPORTANTE: Não é minha intenção assustar ninguém que esteja planejando ir até Capri, mas é bom se prevenir. Se você for daquelas pessoas que enjoam em barco, aconselho tomar algum remédio para enjoo uns 20 minutos antes da viagem. E dependendo do caso, aconselho comer algo bem leve no café da manhã ou mesmo sair em jejum, deixando pra comer algo quando chegar a Capri. Levando em consideração que os funcionários distribuem os saquinhos durante a viagem, então deve ser bastante comum enjoar durante o trajeto.

Eu não costumo ter náuseas em viagens de barco e, felizmente, não vomitei. Mas cheguei em Capri bastante nauseada! Por sorte, eu tinha sido advertida antes e levei um remédio na bolsa. Foi a salvação.

Marina Grande

Marina Grande

O barco me deixou na Marina Grande, o principal porto de Capri. É uma confusão enorme de embarcações, que estão atracados em um porto que possui várias construções coloridas. Há uma feira livre e algumas lojinhas de souvenir, ótimas para serem exploradas.

Semelhante à paisagem da Costa Amalfitana, a Ilha de Capri fica num plano mais alto, ou seja, é necessário pegar alguma condução que nos leve até a cidade que está lá em cima.

Mas antes disso, fui logo fazer o passeio mais interessante para quem vai à Capri: o Giro dell’Isola.

Logo que chegamos à Marina Grande, já vemos os guichês. Há 2 empresas que fazem este passeio. A que escolhi foi a que tinha o horário mais próximo disponível: a Laser Capri. Aliás, não há muitas opções de horário e é bom se programar (mais informações, no final do post).

ATENÇÃO: Existem passeios do Giro dell'Isola COM ou SEM a entrada na Grotta Azzurra. Fique atento(a) ao ingresso que irá comprar, pois obviamente os preços e o tempo de passeio vão variar, de acordo com a sua escolha.

Achei o passeio sansacional. Recomendadíssimo! Dura cerca de 1 hora e ele dá uma volta completa por toda a Ilha, enquanto um guia vai mostrando vários pontos de interesse. Lindo, lindo, lindo.

A bela cor da água do mar

A bela cor da água do mar

O que mais me chamou atenção foi a cor da água do mar: um tom de verde com azul difícil até de descrever. Em contraste com aquela pedreira da encosta, rendeu fotos maravilhosas.

Há passeios em que o guia fala inglês ou italiano. No meu caso, falava um “inglês italianado”, mas consegui entender tudo. Ele vai mostrando vários pontos de interesse da ilha.

Os meus destaques são:

Scugnizzo – uma estátua de bronze de um garoto, sentado no alto de uma pedra. Também é conhecida como a estátua de boas-vindas;

Salto de Tiberio – é um despenhadeiro, de onde supostamente o Imperador Tiberio atirava seus desafetos. Não dá pra ver do barco, mas é no alto daquela pedreira que está a Villa Jovis, as ruínas da antiga casa do Imperador.

Grutas (ou Grotta) – são cavidades na pedra do despenhadeiro da ilha, que recebe o nome de acordo com a formação rochosa que a compõe ou a cor que a água do mar assume nelas (resultado da incidência dos raios solares sobre a água e as pedras). Há 4 em destaque, seguindo a ordem do passeio: a del Corallo (do coral), Bianca (branca), Verde e a mais famosa, a Azzurra (azul).

Faraglioni – são 3 formações rochosas (1 encostada na ilha e 2 “perdidas” no mar), que são o maior símbolo de Capri. E elas possuem nomes: a que está próxima a terra chama-se Stella, a que está no meio (e com um buraco no centro), chama-se Faraglione di Mezzo e o terceiro chama-se Scopolo (ou Faraglione di Fuori). O barco costuma passar através do buraco do Mezzo, e reza a lenda, o casal que se beijar enquanto passa por ele, ficará junto pra sempre.

Da esq. pra dir. e em sentido horário: Scugnizzo, Grotta Bianca, Faraglioni e o Salto de Tibério

Da esq. pra dir. e em sentido horário: Scugnizzo, Grotta Bianca, Faraglioni e o Salto de Tibério

No dia que eu fui, a maré realmente estava alta e a parte final do passeio não foi feita, ou seja, o barco foi somente até a Grotta Verde e fez a volta, ficando de fora o Farol di Punta Carena e a Grotta Azzurra – os 2 pontos finais do passeio.

Não chegou a ser uma catástrofe, pois eu não tinha mesmo a intenção de visitar a Grotta Azzurra. Sei que é um dos passeios mais procurados por quem vai à Capri, mas eu confesso que não me atraiu em nada a ideia de descer do barco até uma espécie de canoa, esperar dentro dela pela minha vez de entrar (sim, dizem que há fila) e depois ter que praticamente deitar no barquinho pra entrar na gruta, onde ficaria no máximo 60 segundos. Achei melhor ficar de fora dessa...

Mas para quem se interessar, basta se informar nos guichês das empresas na Marina Grande. A disponibilidade do passeio depende do tempo e da maré.

No dia que eu fui, nem se eu quisesse visitar eu poderia, já que a maré alta estava impossibilitando a entrada na gruta.

Internet no celular durante a viagem

Não dá mais pra viajar para o exterior sem internet no celular. Para fugir das altas tarifas das operadoras a melhor solução é comprar um chip internacional antecipadamente e já chegar no destino com tudo funcionando. A Easysim4u oferece planos sob medida na Europa com conexão de internet 4G franquias proporcionais ao número de dias do pacote. Compre com 10% de desconto usando o nosso cupom exclusivo: PARAVIAGEM10.

Não perca a nossa resenha no post: Utilizando o chip da EasySim4U na Europa

O passeio termina na Marina Grande. Descendo do barco, fui dar uma volta pela feirinha e o comércio do porto. Destaque para os torrones italianos vendidos na feira. Achei bem saborosos (e enormes).

Funicular chegando a Capri

Funicular chegando a Capri

Em seguida, logo em frente ao cais, peguei um funicular (um bondinho que sobe um plano inclinado) até o centro de Capri. É fácil encontrá-lo: basta ir até o portal em arco, onde está escrito Funicolare e comprar o bilhete ali mesmo.

Também há a opção de pegar um ônibus ou um taxi que vá subindo as ruas em zigue-zague até chegar lá no alto. Mas aconselho mesmo ir de funicular. Além de mais rápido, é mais barato e ainda rende uma vista espetacular.

Lá em cima, saltamos na Piazza Umberto I (ou simplesmente Piazzetta), a praça principal de Capri. É bem pequena, com um vai-e-vem intenso de gente, muitos restaurantes e lojinhas no entorno e uma vista... De tirar o fôlego! Tirei muitas fotos de lá.

Deixei para visitar Capri depois. Fui até o pequeno terminal de ônibus que há ao lado da Piazzetta para ir em direção à outra cidade da ilha – Anacapri.

Na verdade, pegamos mesmo um microônibus, pois as ruas da ilha são bem estreitas e não comportam veículos maiores.

A viagem até lá foi outra aventura. Anacapri fica num plano mais alto que Capri, ou seja, precisamos subir uma discreta serra, com uma estrada estreita e cheia de curvas fechadas, até chegar ao destino. E o microônibus vai voando! Uma amiga que tinha ido pra lá, já havia me contado tal fato e pude confirmar. O motorista não quer nem saber: pisa no acelerador e segure-se quem puder!

A estrada estreita na beira do (belo) abismo

A estrada estreita na beira do (belo) abismo

Como se correr numa estrada cheia de curvas já não fosse "emoção" o suficiente, eu ainda por cima estava em pé no microônibus, pois ele estava um pouco cheio. Eu olhava através da janela e via aquele abismo e chegava a me dar um frio na espinha. Bem que tentava me distrair com a vista (espetacular, diga-se de passagem) e até consegui tirar algumas fotos, mas confesso que era assustador.

Bom, cheguei sã e salva ao centro de Anacapri, numa praça minúscula chamada Piazza Vittoria, com um comércio no entorno. Apesar de bem pequena, achei um ambiente bastante agradável.

Logo à esquerda, está a entrada para a próxima atração do dia, que pra mim foi tão agradável quanto o Giro dell’Isola – o Monte Solaro.

Esta pedreira é o ponto mais alto da ilha, estando a 589 metros do nível do mar. Oferece uma vista panorâmica de toda a ilha e do entorno (Baía de Nápoles, Vesúvio e etc).

O agradável passeio já começa interessante: se pega um teleférico que nos leva morro acima até o mirante que há no topo. A “viagem” dura 12 minutos e rende muita foto maravilhosa. A vista é linda, com um contraste entre aquele belo mar azul com o verde da vegetação do entorno e as casas de fachadas brancas.

Subida do teleférico e a vista de Anacapri

Subida do teleférico e a vista de Anacapri

A subida é bem íngreme. Tem hora que o cabo do teleférico fica quase na vertical. Mas apesar de tudo, o passeio é tranquilo (até porque, nada vai superar a “emoção” da corrida de microônibus...).

Chegando lá no alto, ainda subimos uma pequena rampa até chegar ao mirante. E aí, meu queixo caiu...

Olha... Eu já tava começando a me acostumar com aquela vista incrível, mas NADA vai se comparar com a que temos do Monte Solaro. É espetacular!

Até estava sol no dia que visitei, mas como você pode ver pelas fotos, o horizonte estava um pouco enevoado, de modo que não deu muito pra ver a Baía de Nápoles e o Vesúvio. Mas a vista para a ilha e o Faraglioni era boa. Se com o tempo mais ou menos eu já tinha achado perfeita, fico imaginando um dia mais “limpo”.

Vista de Capri e Anacapri do Monte Solaro

Vista de Capri e Anacapri do Monte Solaro

Lá em cima, parei para um lanche rápido (há uma lanchonete e banheiros) e sentei um pouco para apreciar aquela vista.

Peguei o teleférico de volta (o ingresso incluía o retorno) e pude ter uma visão melhor do que da subida, desta vez descendo e de frente pro “abismo” (ao subir, ficamos um pouco de frente para a pedra).

Descida de teleférico

Descida de teleférico

De volta à Piazza Vittoria, segui pelo lado oposto ao do teleférico, pelas vielas de Anacapri. Que lugar agradável! Parecem aquelas cidades pequenas de praia, sabe como?

Seguindo pela Via Orlandi, cheguei à próxima atração: a Igreja San Michele. Olhando por fora, a igreja em si não tem nada demais. Mas basta entrar para entender o motivo de ela atrair os turistas: o seu magnífico piso.

Feito de placas de cerâmica, como azulejos, é todo pintado e retrata cenas da história de Adão e Eva. Belíssimo.

Igreja San Michele e o piso decorado

Igreja San Michele e o piso decorado

Duas coisas a serem faladas a respeito desta igreja: a visita é paga (o que acho um absurdo, já que é um templo religioso e deveria ter entrada livre para qualquer pessoa) e não pode fotografar o interior (o que eu prontamente desobedeci: me escondi atrás de uma pilastra e tirei a foto acima).

Voltei caminhando até a Piazza Vittoria. A ideia inicial era seguir até a Villa San Michele – um museu instalado na antiga casa do médico alemão Axel Munthe, construído em cima de uma antiga villa romana. Mas acabei abortando a ideia, pois queria ainda dar uma volta pelas ruas de Capri.

Desta vez, no próprio centro de Anacapri, peguei um taxi até a cidade vizinha. Por 2 motivos: eu não queria passar pela mesma “emoção” da vinda e porque eu queria muito experimentar um passeio nos característicos taxis da ilha...

Os táxis conversíveis

Os táxis conversíveis

Como você pode ver nas fotos acima, eles são todos conversíveis. Já imaginou passear por uma ilha com vista paradisíaca em um carro conversível com motorista? Não pensei duas vezes e encarei o passeio. É um serviço caro, mas como eu estava com outras pessoas, foi só dividir a despesa. Valeu a pena a “brincadeira”.

Vielas de Capri

Vielas de Capri

De volta à Piazzetta em Capri, fui me embrenhar pelas vielas da cidade. Aliás, é um passeio apenas para os olhos, pois praticamente você encontra só butiques e lojas de grife. Mesmo assim, é uma delícia passear por lá.

Eu queria ter ido ao Mirante Tragara, que fica mais ou menos 1 km do centro, de onde temos uma belíssima vista do Faraglioni. Mas o tempo começou a fechar e acabei desistindo. Afinal, eu já tinha tido uma vista espetacular deles do Monte Solaro e do passeio do Giro dell’Isola. Segui então até o funicular para descer de volta à Marina Grande.

Lá embaixo, ainda dei mais um passeio pelo comércio do porto (que estava com os preços mais acessíveis do que nas lojinhas lá de cima). Em seguida, comprei o bilhete de volta para Sorrento.

E como foi a viagem de volta? O barco também vai em alta velocidade, mas desta vez a “montanha russa” foi mais amena (talvez a maré tivesse abaixado um pouco). Mas não deixou de ter o “sobe e desce”...

Já comprou seus ingressos?

Não deixe para a última hora e muito menos para comprar durante a viagem. A Get Your Guide oferece um ambiente simples, seguro e com a garantia do menor preço para você comprar com antecedência seus ingressos para atrações, shows, espetáculos, eventos, tours, passeios e muitas outras experiências nos principais destinos do mundo, inclusive Ilha de Capri.

Informações para quem vai visitar a Ilha de Capri

• Não deixe de experimentar 2 itens famosos da culinária local: a Insalada Caprese (salada com tomates, muzzarela de búfala e manjericão) e a Torta Caprese (uma espécie de bolo de chocolate, lembrando um brownie).

Giro dell’Isola – para quem deseja fazer o belíssimo passeio ao redor da Ilha de Capri, há 2 empresas que prestam este serviço: a Laser Capri e a Motoscafisti. Há passeios que apenas rodam a ilha e outros que incluem a entrada na Grotta Azzurra (a Gruta Azul). Aconselho programar-se, pois não há muitas opções de horários disponíveis, principalmente em alguns períodos do ano. E não se esqueça de contar com os imprevistos da maré.

Monte Solaro – para ir até o ponto mais alto da ilha é necessário pegar um teleférico (Seggiovia) que sai ao lado da Piazza Vittoria em Anacapri. Para saber o horário de abertura (que varia conforme a época do ano) e preço do passeio, acesse o site oficial do teleférico.

• Pra você que está indo visitar a Itália, não perca as nossas dicas de sobrevivência para quem vai à Itália.

• Caso esteja planejando passear por várias cidades italianas e quer uma sugestão de roteiro completo, não deixe de conferir nosso Roteiro de 18 dias pela Itália.

• Se preferir acesse nossa página completa de destinos e confira todo o nosso conteúdo sobre a Itália.

Vai Viajar?

 Encontre o hotel perfeito para sua próxima viagem com garantia do menor preço. O nosso blog tem parceria com o Booking, serviço que te ajuda a comparar preços de hospedagem em qualquer lugar do mundo de maneira rápida e segura. Você ainda pode fazer uma reserva com a opção de cancelamento gratuito e deixar para pagar só na hora do check-in. Garanta sua reserva de hotel agora mesmo.

 Antes de alugar um carro, faça uma comparação entre as principais locadoras do Brasil e do mundo. A nossa parceira RentCars te ajuda nessa busca de preços e oferece todas as opções de forma rápida e segura. A cobrança poderá ser feita em reais, sem IOF. Divida em até 12 parcelas no cartão de crédito ou aproveite um desconto de 5% no boleto bancário. Compare os valores e economize.

 Não esqueça do seguro viagem. Economize tempo e dinheiro fazendo uma cotação na Seguros Promo. Encontre os melhores planos das principais seguradoras por preços imbatíveis. Pagamento no cartão de crédito em até 12 parcelas ou com desconto no boleto bancário. Ganhe 5% de desconto adicional comprando seu seguro com nosso cupom de desconto: PARAVIAGEM05.

 Compre um chip internacional e se mantenha conectado durante sua viagem. A Easysim4u oferece planos sob medida na Europa com conexão de internet 4G franquias proporcionais ao número de dias do pacote. Você recebe o chip em sua casa, de forma antecipada, e chega em seu destino com tudo funcionando. Compre com 10% de desconto usando o nosso cupom exclusivo: PARAVIAGEM10.

 Encontre as melhores datas para a sua próxima viagem e economize na hora de comprar as passagens aéreas. Usando a plataforma do Passagens Promo você pode pagar com cartão de crédito em parcelas sem juros e sem cobrança de IOF. A empresa conta ainda com selo de qualidade no atendimento. Agora não tem mais desculpe, partiu Ilha de Capri!

Reservando com nossos parceiros, além de garantir o menor preço e um serviço de qualidade, você também ajuda a manter o blog e nos motiva a produzir cada vez mais conteúdo.

Galeria de Fotos:

57 Comentários
  1. Barbara

    Oi Fernanda,
    Obrigada por compartilhar sua experiência com outros brasileiros. Adoramos ler que Capri foi um dos passeios mais lindos que você fez na Itália. Espero que volte outras vezes e, quem sabe, fique mais tempo para curtir a ilha à noite, tomar café com vista para o mar e curtir outros prazeres da ilha.
    Um abraço e até mais,
    Barbara

    • Mônica

      Oi Fernanda! Obrigada pelas dicas, vc deu detalhes importantes para quem vai pela primeira vez. Estou levando comigo suas informações pois em maio visitarei algumas cidades da Italia e seus posts foram muiiiito importantes. Valeu e um grande abraço!

  2. Sandra Aparecida Fonseca

    Boa tarde Fernanda, estou agradecida pelas ricas informações que tem oferecido. Pretendo realizar a minha 1ª viagem internacional. Viajarei sozinha e pretendo seguir parte de seu roteiro. Tenho entre 10 dias para essa viagem e não disponho de muito dinheiro. Quero ir a Roma e ir descendo, o que me sugere e quanto vou precisar de euros para cumprir um roteiro igual ao seu? Se puder me ajudar eu agradeço.

    Sandra.

  3. camila

    Fernanda, estarei indo para Capri em julho e tenho dois motivos para organizar bem meu roteiro, um que meu filho de dois anos também vai e o outro que será verão…tudo lotado. Queria saber se você viu algum problema de fazer esses passeios de barco com criança e se tem algum passeio que possibilita mergulhar no mar?Aguardo contato.Obrigada

    • Fernanda Rangel

      Oi, Camila!

      O barco utilizado no passeio é aberto: há bancos no centro e também nas laterais, encostado na borda. Para um adulto ou uma criança maior é tranquilo, pois é só segurar.
      Até dá para levar o seu filho de 2 anos, mas vc precisará ficar de olho nele, de preferência mantê-lo sentado no seu colo.
      No dia da minha visita, a maré estava bem cheia e o barco balançou bastante – mas nada que fizesse alguém se desequilibrar e cair. Por segurança, procurei permanecer sentada.
      Baseado no que vi em outros passeios de barco que fiz em minhas viagens, é meio que protocolo colocar uma boia nas crianças, por questões de segurança. Não havia nenhuma no dia do meu passeio, por isso não sei dizer com 100% de certeza, mas acredito que isso também seja seguido por lá.

      Sobre o passeio com mergulho, sei que existem passeios que o fazem, mas na época que eu fui eles não estavam disponíveis. O tempo não ajudou tb, a maré estava alta.
      Pra te ajudar, dê uma olhadinha neste link do Tripadvisor sobre passeios de barco e esportes aquáticos em Capri. Há alguma opções e também as opiniões de quem já utilizou os serviços citados.

      Abs

  4. Graça

    Olá Fernanda<
    Tuas informações são bem pertinentes, claras e objetivas, ainda assim preciso de algumas dicas, caso possas me ajudar: Tu tens ideia do clima na Itália no mês de setembro? mesmo para as pessoas acostumadas a viajar, um dos itens de pré viagem que muito aflige as mulheres e; quais roupa levar? rsrs. Preciso levar uma mala bem compacta porque vamos percorrer toda a Itália e mais 4 países próximos, num total de 36 dias. Imagine só… Não quero sofrer arrastando mala pesada de trem em trem, por outro lado não quero passar frio e calor, rsrsrs

    • Fernanda Rangel

      Oi, Graça!
      Obrigada pelo elogio!
      Segundo os guias de viagem, o clima em setembro costuma ser bem ameno e muito parecido com o que peguem em maio – com temperatura girando em torno dos 20 graus (menos pela manhã e à noite e mais no meio do dia). Mas como o clima do planeta está meio louco, é bem provável que esteja um pouco mais quente neste período.
      Eu levaria um pouco de cada, blusa sem manga, blusa de manga (tipo t-shirt), mas deixaria um casaquinho na mala ou uma blusa mais quente. Não precisa levar o armário todo, rsrsrs, mas um pouco de cada tipo vai ser uma boa. E repetir as roupas, claro.
      Se vc subir até a Suíça ou a França, as temperaturas costumam ser menores e, como vc deverá pegar o mês de outubro por lá, aí já começa a esfriar um pouco.
      Do dilema da mala grande, sem BEM o que é isso, porque passei aperto na Itália com elas. Inclusive, o maior perrengue foi quando passei pela região de Nápoles e Costa Amalfitana. Contei um pouco sobre esse perrengue no meu post de 18 dias na Itália. Pra vc ter uma noção: a mala não aguentou a viagem e se desfez lá na Itália mesmo. Tive que comprar uma nova!
      Aconselho levar, no máximo, uma mala M (65 a 67 cm de altura). E se precisar, leve uma mochila pra ajudar a diminuir o peso da bagagem.
      Dei um giro por 4 países da Europa em abril/maio desse ano com uma mala assim + uma mochila e deu certo!
      Espero ter conseguido ajudá-la!
      Abs

  5. Jacira B. Iadocicco

    Olá Fernanda,
    O seu post é sensacional, prático, dinâmico e bastante informativo. Adorei!
    Fernanda vamos para a Itália, em meados de outubro. O clima é bom nessa época? Para conhecermos a Costa Amalfitana, Ilha de Capri, qual a sua dica de hospedagem, considerando custo benefício, Sorrento ou Nápoles? Onde é mais em conta, tem opções de pousadas?
    Fico no aguardo.
    Obrigada,
    Jacira B. Iadocicco

    • Fernanda Rangel

      Oi, Jacira!
      Eu que agradeço o elogio!
      Dando uma olhada aqui no meu guia, em outubro, a temperatura costuma ficar em torno dos 20 graus. Isso é basicamente o que peguei durante a minha visita em maio, e foi uma temperatura ótima: nem muito frio e nem muito quente demais.
      Com relação à hospedagem, aconselharia ficar em Sorrento, sem dúvida. Nápoles é um caos sem tamanho e a Costa/Ilha de Capri são caras demais. É a melhor opção. Fiz isso e recomendo.
      Dê uma olhadinha também nos posts que fiz sobre o meu roteiro de 1 dia em Sorrento (e lá conto o hotel que eu fiquei e recomendo) e também o roteiro de 1 dia na Costa Amalfitana: Positano e Amalfi.
      Abs

  6. Ludmilla

    Adorei o blog e as dicas de Capri 😉

  7. Sanzia

    Oi Fernanda, ótimas dicas. Vc acha que seria muito pra marciana de 4 anos visitar a ilha? Estou indo com meu marido e só vamos se nosso filho tb puder ir.
    Obrigada
    Bjs

    • Fernanda Rangel

      Oi, Sanzia!
      Obrigada pelo elogio!
      Pode ir sem problemas. A Ilha de Capri é um passeio tranquilo para crianças, inclusive o “Giro de’ll Isola”, embora aconselhe que vc a segure em seu colo por segurança (havia uma criança no dia do meu passeio, que curtiu bem o passeio).
      Talvez a única restrição seja o teleférico do Monte Solaro, pois é uma cadeira para 1 pessoa e não vi nenhuma criança indo no colo no dia do meu passeio.
      Bjs

  8. Gabriela

    Olá Fernanda!!! Adorei suas dicas… são super detalhadas!!!
    Em 27 de abril irei embarcar em um Cruzeiro que passa por algumas cidades da Itália, Grécia e Turquia!
    Infelizmente, a parte chata de um cruzeiro é a de ter pouco tempo para conhecer uma cidade… na verdade atracaremos em Napoles, então minhas dúvidas são as seguintes:
    1) Conhecer Napoles ou Capri???
    2) Qual foi o horario que vc saiu para visitar Capri e qual o horário vc retornou??? Tenho 11 horas… Será que é possível!
    Provavelmente o cruzeiro ofereça passeios, mas nada melhor do que poder distribuir seu tempo do jeito que quiser né?
    Aguardo sua resposta! bj

    • Fernanda Rangel

      Oi, Gabriela!
      Obrigada pelo elogio!
      Concordo com vc, sou super a favor de fazermos nossos passeios por conta própria, com nossas preferências e no nosso ritmo.
      Mas, vamos lá…
      1) Capri. Na verdade sou meio suspeita pra falar, pois não gostei muito de Nápoles, mas sem dúvida a Ilha de Capri é muito mais bonita e agradável. Para quem tem poucas horas, seria o ideal.
      2) Peguei o barco de 08:30 em Sorrento e cheguei em Capri às 09:00. Dá tranquilamente para conhecer Capri e Anacapri em 11 horas. Lembro que encerrei meu passeio por volta das 15:00, pois o tempo começou a fechar – o que seriam 6h de passeio, numa média. Se tivesse incluído o Mirante Tragara e a Villa San Michele, ainda assim daria pra visitar em 11h.
      Espero tê-la ajudado!
      Bj

  9. ANA

    Ola,
    tenho uma duvida: vou chegar em capri por Napoli atraves do ferry, mas depois sigo para positano! Vou para positano de balsa.
    E depois: Qual a melhor opcao de ir para roma de positano? acredito que so consigo alugar carro em sorrento… é isso mesmo?!
    e como vou de positano para sorrento?

    Obrigada

    • Fernanda Rangel

      Oi, Ana!
      Só é possível circular de carro na parte alta de Positano, pois a cidade é bem pequena, cheia de ruas estreitas e só para pedestres.
      Eu achei a estrada que liga as cidades da Costa Amalfitana um pouco perigosas. Elas são sinuosas, com vários trechos em mão dupla e na beirada do penhasco. Pra quem não está acostumado, pode ficar um pouco inseguro…
      Minha sugestão seria ir de ônibus até Sorrento e de lá, seguir pra Roma. Se for de trem, será preciso saltar em Nápoles e pegar outro até Roma.
      Abs

  10. Nilma

    Fernanda , preciso agradecer sua valiosa contribuição para o meu passeio em Capri no sábado passado. Graças ao seu relato cheguei à ilha sabendo o que fazer, por onde passear, sem perder tempo. Já cheguei e fui entrando na lancha para o passeio em volta da ilha, depois o funicular para subir, depois ônibus para Anacapri. Muito obrigada!
    Compartilho com os leitores que é totalmente tranquilo fazer esse bate e volta a partir de Roma. Saímos de Roma até tarde (não acordei cedo), peguei o trem no Termini 10:10 e 11:20 estava na estação central de Napoli (como comprei na hora, foi mais caro.Comprem com antecedência no site). Já vim no trem pesquisando na internet e achei seu blog. Na estação de Napoli fomos na central de informações turísticas para decidir se iriamos para Pompeia ou Capri. Optamos por Capri, pois vimos os horários das lanchas e que daria para ir de imediato e voltar a tempo de pegar o trem para Roma. Recomendo comprar logo a passagem de volta Napoli/Roma. São duas marinas diferentes para pegar o ferry. Escolhemos a do próximo horário e pegamos o metrô para chegar até lá (para as duas dá pra ir de metrô, na central de informações te explicam). Pegamos o barco de 12:00 e uma hora depois chegamos em Capri. Fizemos o passeio de uma hora em volta da ilha e ainda deu tempo passear bastante. Voltamos para Napoli no ferry de 18:40 (compramos a volta assim que chegamos na ilha) e pegamos o trem de 20:30 para Roma. Foi corrido porque saímos tarde de Roma. O ideal é pegar o trem as 7:30 em Roma, como uns amigos fizeram e de Capri eles ainda pegaram um barco para Sorrento, fizeram o passeio panorâmica pela Costa Amalfitana e depois o trem para Napoli a partir de Sorrento (ufa, é possível). Eu fiquei só em Capri e já valeu muito a pena. É lindo!! Foi em um sábado no mês de junho, mas não tive problema em achar passagens de última hora. Não sei no alto verão como seria. A única fila demorada que peguei foi para descer de Anacapri, pois os ônibus já passavam lotados. De resto foi tudo ótimo!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Nilma!
      Eu que agradeço o elogio e o relato. 🙂
      O retorno que os leitores nos dão é sempre muito valioso. Só vem a somar com o post e, juntos, ajudamos a todos que estão fazendo um planejamento de viagem.
      Capri é um encanto de lugar. Foi um dos passeios mais lindos que fiz na Itália.
      Não deixe de ir um dia para Sorrento, outra cidade muito agradável da região. Eu a fiz de base para visitar a Costa Amalfitana, Pompeia e Nápoles e indico a todos esquema, pois vale muito a pena.
      Abs

  11. Antonio Meirelles

    Bom dia Fernanda!!

    Vou estar na Itália no final de setembro e começo de outubro deste ano (2016). Vou me hospedar em Maiori para conhecer a costa amalfitana. Como quero ir novamente em Capri (a outra vez fui por excursão) gostaria de saber de você se é fácil estacionar o carro em Sorrento (no porto?) e quanto é o preço dos estacionamentos e o preço das passagens do barco. Você teria condições de me informar? Grande abraço e obrigado pelas suas dicas que sempre estou aproveitando.

  12. Antonio Meirelles

    Oi Fernanda, aproveitando que você ainda não respondeu, por favor, vi pelo seu post a empresa CAREMAR que faz a travessia Sorrento – Capri, ida e volta, com um barco TMV ( o que significa?) e para 5 adultos ida e volta em 01/10/2016 sai por 154,90 euros. Não entendi se é esse barco mesmo. Vale a pena comprar antecipado?
    Obrigado mais uma vez. Abraço!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Antônio!
      Obrigada pelo elogio!
      Vamos lá:
      1) Não faço ideia se é difícil de estacionar, pois não usei carro nos dias que fiquei em Sorrento. Dando uma olhada nas fotos que tirei na Marina Piccola, não estava muito cheio de carro não. E quanto ao valor, também não sei dizer…
      2) A passagem de barco (ida e volta) Sorrento-Capri custou 18,30 euros, pela Gescab. Lembrando que esse preço é de 3 anos atrás.
      3) Dei uma olhada no site da Caremar e acredito que o TMV seja a sigla para “Traghetto Motonave Veloce”, ou seja, um barco de alta velocidade.
      4) Comprei tudo lá na hora, mas foi por falta de opção: não encontrei as informações necessárias na web na época do meu planejamento (final 2012/início 2013) e não pude planejar nada. Consegui comprar tudo numa boa, mas procurei também pegar horários mais cedo (entre 08:00 e 08:30), para evitar possíveis lotações. Comprar com antecedência é sempre mais garantido, mas outubro é considerado baixa temporada, não creio que chegue a ficar tudo lotado.
      Espero tê-lo ajudado!
      Abs

  13. Jaqueline

    Oie, queria saber se você voltou muito tarde e se não houve problema para pegar o barco de retorno!!
    estou pensando em sair de Napoles e voltar no final do dia mais ou menos como você fez!! Fico no aguardo e mega obrigada!! Seu post foi um dos melhores que eu encontrei sobre um roteiro curto na ilha!! bjss

    • Fernanda Rangel

      Oi, Jaqueline!
      Obrigada pelo elogio! 😀
      Encerrei o passeio relativamente cedo, um pouco depois das 15h, porque o tempo começou a fechar. Não lembro exatamente dos itinerários na época, mas lembro bem que tinham barcos até o final da tarde.
      Acredito que dependa da época. No meu caso, fui no mês de maio – que é primavera e os dias são mais longos, ou seja, escurecia só depois das 19h.
      Sugiro checar os horários nos sites das empresas de barco (links no texto) ou então conferir os últimos horários lá no porto de Capri, assim que chegar à ilha.
      Bjs

  14. ana

    Boa tarde Fernanda! Parabéns pelo blog!!!
    Para se ter a vista da cidade e mar só tem esse teleférico de cadeirinha para subir? Achei a vista linda, mais acho muito perigoso esse tipo de teleférico!!! Grata!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Ana!
      Obrigada pelo elogio!
      Sim, a subida ao Monte Solaro é só por teleférico, mas é super tranquilo.
      Talvez a foto tenha dado uma impressão errada, mas não chegamos a ficar suspensos sobre grandes abismos. Tinha idoso e criança andando ali numa boa.
      O melhor mesmo é a vista de Anacapri e do Mediterrâneo que temos na “viagem”. Incrível!
      Abs

  15. marcio silva

    Olá Fernanda, obrigado por dividir conosco a sua experiência.

    Estamos indo pra Capri em jul 2017, fazendo um bate volta. Devo tomar como base Minori ou Maiori. Mas veja se pode me ajudar:

    1. Tem barco saindo de Minori ou Maiori pra Capri ou tenho que obrigatoriamente ir para Sorrento?

    2. Você lembra do valor médio (EUR) gasto no passeio em Capri (barco, alimentação, passeios) ?

    PS:muito show suas dicas de hotéis em Minori.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Marcio!
      Eu que agradeço o elogio!
      Vamos lá…
      1) Dando uma olhada nos sites da SNAV, da Gescab e da Caremar (as 3 cias que citei no post), não há itinerários ligando Minori ou Maiori à Capri. Vc terá mesmo que ir até Sorrento pra pegar o barco. Eu lembro que, na época da minha viagem, havia um barco saindo de Positano, mas não achei esse itinerário nos sites. Talvez ele não esteja mais sendo feito…
      2) Infelizmente, não sei mais os valores certos de tudo o que fiz por lá, já que a viagem foi há 3 anos e meio atrás (maio de 2013). Mas lembro que o Giro dell’Isola foi 17 euros na época e que o bilhete do funicular era 1,80 (a passagem de ônibus tb era barata, mas não sei o valor exato). O teleférico e o valor da viagem do continente até a ilha, vou ficar te devendo, mas vc pode ir nos links que indiquei no final do post e fazer a pesquisa dos preços atualizados. Quanto à alimentação, não sentei em nenhum restaurante de lá pra comer (é tudo meio caro, por sinal). Fiz uma boquinha na lanchonete que havia no alto do Monte Solaro e assim passei o dia.
      Abs

  16. Lucila

    Oi Fernanda, eu de novo! Uma pergunta: vc foi pra Marina Grande saindo da Marina Piccola. Lí que tbém se pode chegar até Marina Gde pegando um minibus da cooperativa Tasso que sai da Piazza Tasso a cada 30 min no custo de 1,20 euros. Seria mais fácil, o que vc acha?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Lucila!
      Não entendi muito bem a sua pergunta, mas vamos lá…
      Saí da Marina Piccola de Sorrento em direção à Marina Grande em Capri. Os barcos que vem do continente (Sorrento e Nápoles) aportam na Marina Grande em Capri.
      Pra ir da Piazza Tasso em Sorrento até a Marina Piccola da cidade, vá pelo elevador (veja aqui o site). Muito mais prático, rápido e custa 1,80 ida + volta.
      Abs

  17. Milton Cesar

    Boa noite, Fernanda! Muito bom o seu relato sobre Sorrento e a Ilha de Capri. Eu e minha esposa estamos com viagem marcada para o fim de março deste ano e tínhamos a ideia de visitar os dois locais. Será que com o clima da época é viável ou complica o passeio?

  18. Claudio Furtado de Mendonça

    Bom dia, Fernanda. Um grande prazer em acompanhar o seu relato muito didático sobre o que ver e fazer em Capri e Anacapri.
    Eu pretendo passar por lá, em setembro, entre os dia 17 e 20. Você teria condições de informar o custo aproximado para um casal que faça uma programação mais ou menos como a sua, incluindo almoço? Não precisa por os preços do traslado Napoles/Capri/Nápoles.
    Muito obrigado, antecipadamente,

    • Fernanda Rangel

      Oi, Claudio!
      Eu que agradeço o elogio!
      Não faço ideia de valores, até porque a minha viagem pra Itália foi há 4 anos atrás… Mas lembro bem que Capri era um destino caro e os restaurantes idem. Na época, uma refeição massa + bebida saía em torno de 10 a 15 euros nas principais cidades italianas. Em Capri, eu lembro que era mais do que isso, mas não sei ao certo os valores.
      De um modo geral, nessa viagem à Itália separava 80 euros por dia para gastos gerais: passeios, transporte, comida, compras… Até onde me lembre, não ultrapassei essa cota em Capri.
      Coloquei alguns links de sites oficiais de atrações e transporte no final do post para que os leitores pudessem ter acesso aos valores atualizados e se programar.
      Abs

  19. marcia

    Fernanda, muito obrigada pelas dicas. Eu estarei em capri em maio. Gostaria de saber se o passeio de barco ao redor da ilha permite a entrada no mar?
    obrigada

    • Fernanda Rangel

      Oi, Marcia!
      O passeio do Giro dell’Isola não, mas acho que há sim alguns passeios que permitem um mergulho no mar. Creio que só na temporada de verão.
      Visitei Capri num mês de maio e não havia opções no dia que estive lá. Mas também o mar estava desfavorável na ocasião, tanto que nem pude chegar perto da Gruta Azul – que estava toda submersa.
      Abs

  20. Daiane Quaglieri Rodrigues

    Olá Fernanda!
    Primeiramente, ótimas dicas, estou anotando tudo!
    Teremos apenas 2 dias livres, sei que será corrido, mas estou pensando em sair de Roma ir até Napoles, dar uma volta por lá e seguir até Pompeia.
    Depois ir até Sorrento pernoitar por lá e no dia seguinte fazer Capri e na volta passear por Sorrento, será corrido mas são os únicos dias que temos.. e li que seu passeio ate Capri foi por volta das 15 horas.
    O que vc acha? rs
    Obrigada!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Daiane!
      Eu que agradeço o elogio!
      Sorrento + Capri dá pra fazer no mesmo dia, ainda mais se vc for pernoitar em Sorrento nesse 2º dia tb. Pq se tiver que voltar pra Roma, prepare-se pra chegar tarde.
      Já Nápoles e Pompeia no mesmo dia eu não recomendo. Fiz isso e acabou que visitei Pompeia correndo e conheci muito pouco de Nápoles. Sorte que eu não amei muito essa última… 😀 Mas foi uma visita muito superficial, sem duvida.
      Outra coisa: vc estará de carro? Pq não tem depósito de bagagens na estação de trem de Pompeia (pelo menos na época que fui).
      O ideal seria, dentre essas 4 cidades, esquecer 1. Vai ficar muito corrido. O ideal seria Napoles no primeiro dia e Pompeia + Sorrento no segundo. Ou esquecer Napoles e fazer Sorrento + Capri num dia e Pompeia no outro.
      Abs

      • Daiane Quaglieri Rodrigues

        Estarei de carro Sim!
        Na verdade sairei de Arpino, cidade onde minha Nonna mora! Acho que vou esquecer Nápoles então rsrs
        Pelo que li e vi, já que não tenho muito tempo, há muito mais do que se ver e admirar em Pompeia, Sorrento e Capri!
        Nápoles fica pra uma próxima 😉
        Muito obrigada pelas dicas!
        Até

  21. Arthur

    Muito bom, Parabéns!!!

    Consegui tirar todas as minhas dúvidas em um único post! O que não consegui em outros blogs e sites.

    Irei visitar Capri em Outubro, a partir de uma parada em Napoles que o Cruzeiro fará.
    Espero que de tempo fazer esse “bate e volta”.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Arthur!
      Obrigada pelo elogio! 😀
      Fico muito contente pelo post ter lhe sido útil.
      Depende de quantas horas o seu cruzeiro ficará parado em Nápoles. Esse roteiro eu fiz em aproximadamente 6 horas.
      Espero que dê pra faze-lo, porque a Ilha é linda! Um passeio inesquecível, sem dúvida.
      Abs

  22. Arthur

    Antes que eu me esqueça, Capri lembra muito Fernando de Noronha…. Até os passeios são parecidos. hehehe

  23. César

    Oi Fernanda,

    Muito obrigado pelas dicas, montei um roteiro de viagem com base no seu.

    Beijos.

    César

  24. Carolina

    Oi Fernanda!
    Fantástico seu blog. Vou fazer cruzeiro e irei a Capri, pelo que eu entendi para ir ao teleferico tem que pegar funicular e onibus, correto? O percurso de volta é o mesmo da ida e sabe me dizer se os onibus saem com frequencia, e a passagem compra no terminal mesmo? Estou com medo de subir e não conseguir voltar a tempo vou ter 9h de tempo livre em Capri. Se puder me ajudar com estas dúvidas eu agradeço. Abs. E parabens pelo blog!

    • Leca

      Oi colega… Eu fiz hj a visita em capri e acabei de fazer um post aqui…. de uma lida … com 9h não compensa fazer a gruta azul…. Pq vc fica muito tempo esperando para fazer. Paga 14 euros. Entra e fica so 5 min…. e sai… nao pode nem se banhar…. pq pelo volume.de pessoas eles botam a maior pressão….

    • Fernanda Rangel

      Oi, Carolina!
      Desculpe a demora pela resposta e obrigada pelo elogio!
      O funicular e o ônibus costumavam sair de 15/15 minutos na época que eu fui. Como vc está com o tempo curto, o jeito é ficar de olho no relógio e pensar nos imprevistos. No último caso, apela para um taxi (é uma opção cara, mas também não chega a ser impagável – e salva a gente em muitas situações).
      As passagens eu comprei na hora.
      Abs

  25. Leca

    Fernanda…. muito obrigada pelas dicas…

    Só acrescentaria um detalhe. Se vc for de manhã para Capri e deseja voltar no final do dia como eu fiz.

    Achei q a volta a ilha de barco é muito mixuruca pelo que se cobra €18,00 . E q não vale nem um pouco a pena pagar mais €14,00 para entrar na gruta azul.

    A vista mais bonita é de cima… chegar em capri, subir de trem/bonde (€2,00) até um mirante, caminhar por toda essa parte, e tem muita coisa pra ver (todos os pontos turisticos q eles tenta te mostrar no volta ilha e muito mais)…. grátis ou até mesmo com valores bem acessíveis. Pegue um ônibus €2,00 e vá até ancapri. Ao final do passeio pegue um onibus q vai de ancapri ate a marina €2,50

  26. Angela Balen

    Oi Fernanda.
    Gostaria de agradecer pela síntese da tua publicação.
    Fui ontem à Capri. Saí de Nápoles (compartilho da tua sensação sobre a cidade, não consegui apreciá-la).
    Enfim. Em Capri segui teu post religiosamente, o que fez com que meu tempo fosse otimizado.
    Enquanto os outros deviam dos meios de transporte e olhavam mapas, ou apenas olhavam para os lados tentando se localizar, eu lia no transporte e buscava diretamente o que me interessava.
    Cheguei à ilha e fiz o passeio passeio Giro dell’Isola, com a Grotta Azzurra.
    Após segui todas as etapas de transporte da tua postagem e fui ao Monte Solerano, foi excelente.
    Estou viajando sozinha, pela primeira vez na Itália. A visita à Capri foi a mais tranquila, graças é muito às ruas dicas.
    Muito obrigada.
    Se me permitir colaborar, o bilhete para o funicular não é comprado no arco onde está o funicular. O bilhete é adquirido, ao sair da plataforma do barco ou ferri que chega à Capri, seguir em direção à rua e assim que os prédios da administração da Marina terminam, deve-se dobrar à direita, ali se compra o bilhete. No arco é a entrada do funicular, porém antes o bilhete deve ser comprado no outro lado da tua.
    Muitíssimo obrigada.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Angela!
      Eu que agradeço o elogio, o seu relato e a dica! 😀
      Fiquei muito contente do meu post ter sido útil para o seu passeio. Capri é uma graça, não é? Já Nápoles… Hehehe…
      Grande abraço!

  27. Marcela

    Oiii, Fernanda!
    Vou faz parte da Costa Amalfitana de carro, de lua de mel em abril.
    Vamos pegar o carro no último dia de Napoles, parar no caminho em Pompei e Herculano e seguir para Positano, onde dormimos uma noite.
    De lá, passearíamos pela costa e seguiríamos para dormir em Capri duas noites.

    Como é lua de mel, não queríamos ficar dependendo de ônibus nem nada, queríamos ficar mais independentes.
    Mas vc sabe se conseguimos deixar o carro fácil em estacionamentos nestas cidades?
    Carro não entra em Capri em abril, certo?
    Sabe se podemos deixar o carro no porto e seguir de barco? E Positano sequer conseguimos chegar no hotel de carro, é?

    Se souber me responder, agradeço 🙂
    Adorei todas as dicas!
    Marcela

    • Fernanda Rangel

      Oi, Marcela!
      Carro nunca é fácil em nenhuma cidade da Europa, no geral. Mas também não é algo impossível…
      Em Capri, não vale a pena mesmo. A melhor coisa a se fazer é deixar o carro no porto em Sorrento ou em Nápoles e ficar a pé na Ilha. Do porto até a praça principal (que fica no alto), tem o funicular. E lá em cima, a graça é se embrenhar pelas vielas. Se for a Anacapri, aí sim pode apelar para algum veículo – que na ilha, costumam ser adaptados, graças ao fato das ruas serem estreitas.
      Já em Positano, a única parte onde circula veículos é a estrada/avenida que passa no alto da cidade. As pessoas costumam estacionar na própria rua – e aí depende de dar sorte de achar vaga… E sei que existem alguns estacionamentos privados, mas dizem que cobram uma fortuna por hora.
      Dentro da cidade de Positano em si, só a pé mesmo.
      Por isso que apelei para ir de ônibus ou barco a esses lugares. Não é muito prático ir de carro pra lá.
      No porto de Nápoles (Molo Beverello) há um estacionamento (Parcheggio Buono) e em Sorrento, há um na Marina Piccola (Parcheggio Marina Piccola).
      Abs

  28. Alessandra De Luca

    Estive recentemente em Capri e tudo o que eu conseguia fazer ao chegar na Marina era chorar de emoção! Como eu chorava pq eu não podia acreditar que eu estava vendo a coisa mais linda da minha vida. O passeio de barco é impredível. Não tem como não ir. Nesse passeio eu só sabia rezar de gratidão por ser merecedora de estar ali. Ahhh…obvio que eu adquiri meu Capri Whatch, o Limoncello e os perfumes característicos da ilha. Não deixem de ir!

Totos os direitos reservados