O que fazer em Veneza: Roteiro de 2 Dias

Diferente. Pitoresca. Poética. Linda. Não faltam adjetivos para defini-la. Se quer saber o que fazer em Veneza, confira esse relato com um roteiro de 2 dias que passei nesta bela cidade da Itália.

Veneza

Veneza

Se tem uma cidade italiana que gera opiniões tão diversas, esta é Veneza. Há quem seja apaixonado por ela e há quem não ache nada demais. Mas fato é que nenhum viajante pode deixar de conhecer esta cidade, mesmo que seja pra dizer que não gostou.

Eu, particularmente, adorei Veneza. Tenho amigos que não acharam a mínima graça. Eu discordei: achei linda, pitoresca, viva, diferente de tudo que já tinha visto. Afinal, não há nenhuma cidade no mundo que seja igual a ela.

A melhor dica que posso dar aos que irão visitá-la é: perca-se por Veneza! Entre em uma daquelas ruelas e vá seguindo em frente, sem rumo. Até porque é impossível seguir algum mapa ou trajeto pré-definido, pois não há no mundo cidade mais "labiríntica" do que Veneza.

E posso garantir: se perder por aquelas ruas é o melhor do passeio. E rende agradáveis surpresas!

O que fazer em Veneza

Com o objetivo de ajudar o leitor do blog a programar seu próprio roteiro, vou relatar aqui como foi e o que fiz nos dias que passei na bela cidade dos canais. Preparei esse índice com alguns dos principais pontos turísticos que visitei.


Dados da visita e dica de hotel em Veneza

Quantos dias fiquei em Veneza? 2 dias.

Foi o suficiente? Pra conhecer o básico, sim. Porém, merecia mais dias para apreciar cada cantinho da cidade.

Onde fiquei hospedada? No Hotel Abbazia, ao lado da Estação Ferroviária Venezia Santa Lucia.

O hotel era bom? No geral, sim. Como pontos positivos: as instalações, o staff atencioso (um funcionário até falava português) e um bom café da manhã. Como ponto negativo: não tem elevador. Os funcionários carregam as malas para nós, mas de qualquer forma, temos que subir as escadas para acessar o quarto. E me colocaram no terceiro andar! Chegar cansada ao final de um dia de muitas andanças e ter que encarar uns lances de escada não foi muito legal... Mas enfim, me hospedaria de novo.

A região do hotel era boa? Excelente. Veneza tem o agravante de ter canais ao invés de ruas. O turista sofre com as pontes cheias de degraus e com os altos preços do transporte aquático para levar a bagagem. O Hotel Abbazia fica na rua ao lado da estação de trem, de modo que não é necessário passar por nenhuma ponte ou pegar qualquer barco. Super prático.

Vale a pena ficar hospedado em Veneza Mestre? Isso vai depender... Se você quer um hotel mais barato, então escolha ficar em Mestre. Mas tem 2 desvantagens: o fato de ter que pegar um trem cada vez que for para Veneza (o que gera o custo da passagem) e o fato de atrapalhar quem queira fazer um passeio noturno em Veneza, pois acabaria tendo que voltar muito tarde para Mestre. Aí vai da preferência de cada um.

Não perca também:

Dicas de Sobrevivência Para Quem Vai à Itália

Roteiro de 18 dias pela Itália

Como Locomover-se em Veneza

Roteiro Veneza: Dia 1

Vindo de outra cidade, cheguei de trem na estação Veneza Santa Lucia próximo à hora do almoço.

Confesso que estava um pouco apreensiva, pois não tem como não criarmos uma expectativa, o que geralmente é muito perigoso. Mas assim que eu saí da estação de trem, todo o meu receio foi embora...

Logo de cara, adorei Veneza! Um vai-e-vem danado de gente e de barcos. À princípio pensei que fosse uma cidade sombria, mas é totalmente o oposto. É muito viva!

Grande Canal

Passado o impacto inicial, fui fazer o check-in no meu hotel, almocei e depois fui visitar a cidade. Comecei com um passeio pelo Grande Canal, pegando o Vaporetto (o transporte público de Veneza) em frente a estação ferroviária.

DICA: Pegue a Linha 1 do Vaporetto para fazer um passeio panorâmico pela cidade. Ela segue por todo o Grande Canal e passa pelas principais atrações da cidade, como o Ca'D'Oro, a Ponte Rialto, o Ca'Pesaro, Academia de Belas Artes, Salute e, é claro, a Praça de São Marcos. Além de ser um passeio agradável, ainda rende fotos sensacionais. Procure sentar nas cadeiras que ficam na proa e divirta-se!

Dicas: o que fazer em Veneza

Na proa do Vaporetto

Igreja Santa Maria della Salute

Minha primeira parada foi na Igreja Santa Maria della Salute. Bem bonita, mas quando visitei estava com a fachada bastante suja. Se estivesse toda branquinha, seria lindíssima. Reza a lenda que esta igreja, de estilo barroco, está posicionada em um pedaço de terra sustentado por 1 milhão de estacas!

Em seguida, tomei novamente o Vaporetto para ir em direção à famosa Praça de São Marcos.

Praça de São Marcos

Sabe aqueles momentos únicos quando nos damos conta que estamos em um lugar muito conhecido, lindo e mágico? Pois então, foi essa a sensação que tive quando cheguei na praça.

Logo na entrada, o primeiro impacto: o belíssimo Palazzo Ducale, a antiga residência do Doge (como eram conhecidos os governantes de Veneza), que também era sede administrativa da cidade e prisão. É possível visitá-lo por dentro, onde há belíssimas salas. Dizem que o passeio é longo, consumindo uma manhã ou uma tarde, no mínimo. Como eu não tinha tanto tempo disponível, acabei optando por não visitá-lo.

No canal que fica em um dos lados do Palazzo Ducale, podemos avistar a famosa Ponte dos Suspiros. Ao contrário do que muitos pensam, os suspiros que deram o nome à ponte foram dos presos que ali passavam e suspiravam de pesar, já que esta era uma espécie de prisão de segurança máxima. Muito diferente do motivo romântico que muitos visitantes imaginam...

Continuando até a Praça de São Marcos, pude perceber que ela é linda, com seus restaurantes e edifícios ao redor. No centro, estão os famosos pombos.

Aliás, eu imaginava que houvesse bem mais. Não sei se foi a época que eu fui, mas imaginava que fosse mais infestada. Menos mal, porque não sou muito fã deles...

Torre dell’Orologio

Vemos na praça a bela Torre dell’Orologio, um edifício com um relógio no alto que, além das horas, mostra as fases da lua, o movimentos do sol e os signos do zodíaco. Acima, vemos o leão alado de São Marcos, e no topo, 2 estátuas tocam o sino de hora em hora.

Do lado oposto, vemos o famoso Campanário de São Marcos, a torre do sino da igreja e um dos cartões-postais de Veneza.

Mas a grande atração da praça é mesmo a majestosa Basílica de São Marcos. Acabei visitando-a somente por fora neste dia, pois a fila pra entrar estava um pouco grande e acabei deixando para conhecê-la no dia seguinte.

Vista do Campanário

Vista do Campanário

Fui então subir o Campanário. Lá também havia uma fila para entrar, porém bem menor que a da Basílica. Felizmente há um elevador que nos leva até lá em cima, próximo aos sinos. Este é o ponto mais alto da cidade e oferece uma vista panorâmica, em 360 graus, de Veneza. Imperdível!

Uma curiosidade: a torre do campanário já desmoronou uma vez, em 1902. A que vemos hoje é a réplica da versão anterior que ruiu.

Na descida, fui pegar o Vaporetto de volta e saltei em frente a estação ferroviária. De lá, fui me embrenhar pelas ruelas do bairro do Canareggio, até o dia terminar e voltar ao hotel.

Internet no celular durante a viagem

Não dá mais pra viajar para o exterior sem internet no celular. Para fugir das altas tarifas das operadoras a melhor solução é comprar um chip internacional antecipadamente e já chegar no destino com tudo funcionando. A Easysim4u oferece planos sob medida na Europa com conexão de internet 4G franquias proporcionais ao número de dias do pacote. Compre com 10% de desconto usando o nosso cupom exclusivo: PARAVIAGEM10.

Não perca a nossa resenha no post: Utilizando o chip da EasySim4U na Europa

Roteiro Veneza: Dia 2

Meu segundo dia começou indo até a Praça de São Marcos novamente, desta vez para entrar na Basílica de São Marcos.

Basílica de São Marcos

De todas as igrejas que visitei na Itália, ela está com certeza entre as mais lindas. Toda de mosaicos dourados, em estilo bizantino, a basílica é belíssima e imperdível.

Basílica de São Marcos

Basílica de São Marcos

Eu tinha lido que não era permitido tirar fotos lá dentro, mas vi todo mundo ignorando essa ordem na maior e os seguranças nem deram bola. Sendo assim, fiz vários cliques, mas infelizmente, nenhuma foto foi capaz de mostrar a real beleza da igreja. Só mesmo indo lá.

Ao fundo, atrás do altar, está a Pala D’Oro, um painel de ouro ornado com pedras preciosas, espetacular. É necessário pagar pra visita-la (era € 1 na época que eu fui).

Saindo da basílica, fui seguir a dica que citei no início do post: me perder pelas vielas de Veneza. A região escolhida para iniciar esta jornada foi a de San Marco.

Passeio de Gôndola

Num desses canais "perdidos", achei um gondoleiro simpático oferecendo um passeio de gôndola por um preço bem razoável: 80 euros.

Antes que alguém pense que eu seja louca por achar 80 euros “razoável”, explico: o valor médio de um passeio de gôndola de 40 minutos, realizado durante o dia, costuma ser de 100 a 120 euros. É caro? Sim. Mas me responda: como visitar Veneza e não dar um passeio de gôndola? A boa notícia é que este preço é por passeio, de modo que se você estiver em grupo, pode rachar o valor.

Os gondoleiros costumam ser muito simpáticos e vão explicando fatos e curiosidades sobre Veneza e as gôndolas. No meu caso, dei uma sorte tremenda, pois o gondoleiro que me levou para o passeio falava muito bem o português, já que era filho de uma brasileira com um italiano. Ele não só levou para passear nos pequenos canais e suas pontes pitorescas, como também levou até o grande canal, onde passou embaixo da Ponte Rialto. Mais especial, impossível.

O passeio terminou e continuei me embrenhando por aquelas vielas. Você irá se deparar com várias lojas de souvenires, vidros de Murano, restaurantes e, é claro, muitas lojas de máscaras.

E o que dizer delas? Cada uma mais linda que a outra, sendo impossível não levar pelo menos uma. Tem tanta loja espalhada pela cidade e tanta opção, que fica até difícil escolher a mais bonita. Dá vontade de levar todas.

Ponte Rialto

O labirinto de ruas me levou até a Ponte Rialto, famosa por estar no centro do Grande Canal e por ter lojas em cima dela (todas carérrimas). Dá pra perder um bom tempo ali vendo o vai e vem das embarcações.

Ponte Rialto

Ponte Rialto

Burano

Em seguida, foi a vez de visitar a ilha de Burano. A viagem leva cerca de 40 minutos. Foi necessário pegar o Vaporetto até a estação Fondamenta Nuove e, depois, outra linha que me levou até lá.

Burano é uma ilha onde encontramos casas bem coloridas, muitos artigos de renda e um campanário completamente torto, de dar inveja à Torre de Pisa. Um lugar bastante fofo, mas que não tem nada de mais.

Alguns me perguntam por que optei por ir apenas a Burano e ignorei Murano. À princípio, não iria em nenhuma das duas, pois tinha poucos dias em Veneza e queria priorizar o tempo para conhecer a cidade em si. Mas me falaram tão bem de Burano que acabei incluindo no roteiro. Como o tempo era curto, tive que optar por ir apenas a ela.

Outro motivo foi porque não tive interesse em visitar nenhuma das fábricas de vidro, que é o atrativo de Murano. Dizem que a visita é um pouco maçante, além dos preços dos artigos de vidro serem mais caros por lá do que em Veneza. Portanto, acabei deixando a visita à Murano de lado.

Conclusão: foi ótimo não ter ido a Murano, porque ganhei mais tempo em Veneza. E apesar de ter achado Burano fofa, não aconselharia perder tempo indo lá, caso tenha poucos dias disponíveis.

Já contratou o Seguro Viagem?

Você sabia que quando se viaja para a Europa a contratação de um seguro viagem com cobertura mínima de 30 mil euros é obrigatória? Então, faça agora mesmo uma cotação na Seguros Promo e escolha entre as melhores seguradoras sempre com o melhor custo benefício. Aproveite essa oportunidade e tenha 5% de desconto utilizando o nosso cupom: PARAVIAGEM05.

Passeio Noturno de Vaporetto

Na volta, fui para o hotel tomar um banho e depois saí para jantar. Ao final, fui pegar o Vaporetto para um passeio noturno pelo Grande Canal e Praça de São Marcos.

Fiquei bastante decepcionada, pois a maioria dos edifícios estava no escuro. Eu imaginava totalmente o contrário: tudo bastante iluminado.

Chegando na Praça de São Marcos, pude ver os resquícios da cheia da maré, que costuma ocorrer ao final do dia, quando o mar invade e alaga a praça. O que eu encontrei foram algumas poças.

Ao final da visita, peguei o Vaporetto de volta até o hotel.

Considerações finais

Como você pode perceber, meu roteiro foi basicamente um grande passeio pela cidade, apreciando seus labirintos de ruas e belíssimos canais e paisagens. E como é agradável se embrenhar por aquela cidade!

Aqui no blog temos vários artigos que poderão enriquecer sua visita à Veneza e à Itália.

Se preferir sugestões separadas por cidades, há posts bem legais com meus roteiros de viagem a Verona, Milão, Florença, Roma, dentre outras. E também há ótimos diários de viagem.

Se preferir, acesse nossa página completa de destinos e confira todo nosso conteúdo sobre a Itália.

Ficou com alguma dúvida? Tem outras sugestões sobre o que fazer em Veneza? Não hesitem em dar seus comentários. Eles são muito bem-vindos.

Vai Viajar?

 Encontre o hotel perfeito para sua próxima viagem com garantia do menor preço. O nosso blog tem parceria com o Booking, serviço que te ajuda a comparar preços de hospedagem em qualquer lugar do mundo de maneira rápida e segura. Você ainda pode fazer uma reserva com a opção de cancelamento gratuito e deixar para pagar só na hora do check-in. Garanta sua reserva de hotel agora mesmo.

 Antes de alugar um carro, faça uma comparação entre as principais locadoras do Brasil e do mundo. A nossa parceira RentCars te ajuda nessa busca de preços e oferece todas as opções de forma rápida e segura. A cobrança poderá ser feita em reais, sem IOF. Divida em até 12 parcelas no cartão de crédito ou aproveite um desconto de 5% no boleto bancário. Compare os valores e economize.

 Não esqueça do seguro viagem. Economize tempo e dinheiro fazendo uma cotação na Seguros Promo. Encontre os melhores planos das principais seguradoras por preços imbatíveis. Pagamento no cartão de crédito em até 12 parcelas ou com desconto no boleto bancário. Ganhe 5% de desconto adicional comprando seu seguro com nosso cupom de desconto: PARAVIAGEM05.

 Compre um chip internacional e se mantenha conectado durante sua viagem. A Easysim4u oferece planos sob medida na Europa com conexão de internet 4G franquias proporcionais ao número de dias do pacote. Você recebe o chip em sua casa, de forma antecipada, e chega em seu destino com tudo funcionando. Compre com 10% de desconto usando o nosso cupom exclusivo: PARAVIAGEM10.

 Compre ingressos para atrações, shows, espetáculos, eventos, tours, passeios e muitas outras experiências com a GetYourGuide. A empresa, presente nos principais destinos, oferece vantagens como a garantia do menor preço e a possibilidade de reserva online antecipada, garantindo seus bilhetes antes da viagem.

 Encontre as melhores datas para a sua próxima viagem e economize na hora de comprar as passagens aéreas. Usando a plataforma do Passagens Promo você pode pagar com cartão de crédito em parcelas sem juros e sem cobrança de IOF. A empresa conta ainda com selo de qualidade no atendimento. Agora não tem mais desculpe, partiu Veneza!

Reservando com nossos parceiros, além de garantir o menor preço e um serviço de qualidade, você também ajuda a manter o blog e nos motiva a produzir cada vez mais conteúdo.

Galeria de Fotos:

128 Comentários
  1. Jeverson

    Deus, que lugar lindo; Me emociono de ver suas fotos e recordar o que vivi ali, nos dias e noites que andei até as pernas tremerem e formigarem;
    Belo post, Srta Fernanda; Parabéns.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Jeverson!
      Eu tb adorei Veneza. Se perder no meio daquelas vielas é o melhor do passeio, não é mesmo? A gente nem percebe o cansaço (aconteceu comigo tb).
      Obrigada pelo elogio!

  2. Tatiane

    Esse lugar é perfeitamente lindo, eu já estive em Veneza é um lugar emocionalmente lindo pretendo voltar lá mais vezes! Itália lugar perfeito para se conhecer 🙂

    • Fernanda Rangel

      Oi, Tatiane!
      É verdade, a Itália foi uma surpresa mais do que agradável. Eu já imaginava que iria achá-la linda, mas superou (e muito) as minhas expectativas. Assim como Veneza. Foi um dos lugares mais especiais que já visitei até hj. Inesquecível.
      Eu tb voltaria e ficaria vários dias facilmente. Vale muito a pena!

  3. maria elenir

    Fernanda, visitar seu blog, me ajudou muito, estarei em Veneza dia 17 de maio e valeu muito suas dicas. obrigada!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Maria Elenir!
      Fico muito feliz em ter te ajudado. Estive em Veneza quase que na mesma época, só que em 2013. Fiquei lá nos dias 20 e 21/05.
      O mês de maio é muito agradável na Itália. Não está mais aquele frio intenso do inverno e ainda não está o calor de julho. As temperaturas são bem amenas.
      Uma ótima viagem pra vc!

  4. Sandra Mara Cogo

    Oi Fernanda… Estarei embarcando para Itália dia 18 de junho: meu marido, meu filho de 11 anos e eu gravidíssima de 5 meses e 1/2, rsrsrs. Vamos começar pelo norte do país e quando chegarmos à Veneza, também ficaremos uns 2 dias também.
    Qual é o esquema desse Vaporetto??? Podemos subir e descer qtas vezes nós quisermos como no Hop-on Hop-off??? E os valores??
    Por enquanto tô perdida… rsrsrsrs , mas adorei as suas dicas e pretendo aproveitá-las quase em sua íntegra.
    Um abraço e obrigada!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Sandra!
      O Vaporetto é o “ônibus público” de Veneza. Pra qualquer lugar que formos, usamos este meio de transporte.
      Os bilhetes, vendidos nos guichês das estações, são válidos por um determinado período de tempo. Basta passá-lo na máquina antes de entrar no Vaporetto e utilizá-lo quantas vezes quiser, dentro do período do bilhete.
      Há vários tipos: 1h, 12h, 24h, 48h, 72h e 7 dias. Não são baratos (aliás, como tudo em Veneza). Segundo o site oficial, eles estão variando de 7 a 50 euros.
      Mas não tem jeito: tudo que vc fizer em Veneza vai exigir o uso deste meio de transporte.
      Tudo vai depender do seu roteiro. Um bilhete de 1h custa 7 euros. Dependendo de quantas vezes vc for utilizar o Vaporetto, vai ficar mais caro do que comprar um bilhete para 1 dia. Eu utilizei um bilhete de 48h. Dado o número de vezes que usei o Vaporetto, compensou. Fora que é prático, vc não precisa ficar se preocupando em ficar comprando.
      Espero ter ajudado!
      Uma ótima viagem pra vc e sua família (bebezinho incluído! rsrs) e obrigada pelo elogio.
      Abs

  5. Silvia Cavalcanti

    Maravilha de dicas Fernanda, também sou médica e vou para Itália em julho com marido e 2 filhos pequenos(3 e 7 anos), começo por Veneza e tb ficarei la por 2 dias, depois parto para um cruzeiro pelas ilhas gregas e finalizo com mais 7 dias por algumas cidades da Umbria e Roma. Seguirei seu roteiro em Veneza, terias mais alguma dica? bjs

    • Fernanda Rangel

      Oi, Silvia!
      A Itália é maravilhosa. Tanto Veneza quanto Roma foram as minhas cidades preferidas. Gostei muito da Costa Amalfitana tb. Não visitei a Umbria, que ficará para uma próxima vez.
      As ilhas gregas devem ser lindíssimas. Está na lista dos meus próximos destinos.
      Sobre Veneza, as minhas melhores dicas são mesmo as que coloquei no texto. Em breve, haverá um post somente sobre o transporte público da cidade. Tudo gira em torno do Vaporetto, o “ônibus” de Veneza, que com certeza vc vai utilizar muitas vezes. Para este roteiro que fiz, utilizei um bilhete de 48h. Ficou mais barato do que comprar os bilhetes de ida/volta e de 60 min.
      Fique atenta que logo logo estará no ar os post falando mais a respeito disso.
      Uma ótima viagem pra vc e sua família!

  6. Gabriel Buzak Zampieri de Azevedo

    Oi, muito legal o texto..passei 24 hrs lá há um ano e meio e como amante de fotogragfia, fiz minha parte rsrs..se quiser dar uma olhada, aqui estão https://www.flickr.com/photos/gbuzak/sets/72157644352209440/ um beijo.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Gabriel!
      Veneza é inspiradora, não é mesmo? Eu não conseguia parar de tirar fotos, foi até difícil selecionar algumas aqui pro blog.
      Mas as suas fotos são realmente incríveis! Parabéns, vc tem um grande talento para fotografia!
      Bjs

    • Izabel Alves

      Uauuuu….. Q belissimas imagens Gabriel!!!!
      Amei cada uma delas! Retrata bem Veneza no seu dia-a-dia!
      Amo a arte de fotografar! E vc é um verdadeiro artista!
      Parabéns pelo profissionalismo! 😀

  7. bruno

    Fernanda, os seus roteiros para foram perfeitos, segui quase á risca as dicas de Milão e Veneza, em Milão, conheci o NAviglio Grande através da sua dica, e VALEU DEMAIS!
    perfeito o seu roteiro para dois dias.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Bruno!
      Fico contente por tê-lo ajudado. Fico satisfeita por saber que o trabalho aqui do blog está atingindo o grande objetivo, que é dar dicas para que a viagem dos leitores seja o mais bem sucedida possível.
      Eu que agradeço o retorno e o elogio!
      Abs

  8. Eduardo Melo

    Oi Fernanda,

    Estarei viajando a Europa com um grupo de 3 casais, vou no inicio de novembro e vou ficar 12 noites, sendo 4 noites em Paris (Onde iremos chegar) e 5 noites em Londres (onde iremos embora), queremos ir em outra cidade no meio da viagem para ficar mais 3 noites, estou em dúvida entre Amsterdam (via Thallys saindo de Paris) ou Veneza ( de avião), gostaria de uma sugestão em qual desses lugares viajar,
    Obrigado e parabéns pelo blog.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Eduardo!
      Vocês vão começar por Paris e terminar por Londres, não é isso?
      Veneza é maravilhosa, mas fica meio contra-mão. Vocês teriam que ir pro sul e depois subir tudo de novo até Londres. Seria como, por exemplo, se vcs estivessem em SP, viajassem depois para Florianópolis e depois terminassem em Salvador.
      Se forem utilizar o trem, acho contra-mão. Mas se forem usar algum pacote de vôo, aí não teria problema algum: tudo de avião é mais rápido e prático.
      No caso do trem, seria melhor vcs irem para Amsterdam. Parece ser menos longe de Paris do que Veneza.
      Outra opção, se vcs já não estiverem com a passagem comprada, seria começar por Amsterdam (ou mesmo Veneza), depois Paris e, por último, pega o Eurotunel até Londres.
      Caso queira alguma sugestão de roteiro, temos aqui no blog um de 6 dias em Paris e um de 5 dias em Londres. Amsterdam eu ainda não conheço (está nos planos para uma próxima viagem).
      Espero tê-lo ajudado!
      Obrigada pelo elogio ao blog.
      Abs

  9. Tony Mauri

    Ótimas dicas, iremos agora no início de agosto/14 (eu e minha namorada) para comemorar os nossos 30 anos de relacionamento, e nada mais romântico do que tomar um champagne em uma gôndola ao entardecer ouvindo canções italianas, a nossa expectativa é muito grande. Ficaremos em Milão e vamos reservar dois dias para Veneza.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Tony!
      Ótima escolha a de vcs! Veneza é um encanto. Eu adorei a cidade!
      Sei de gente que não gosta muito de lá, mas a maioria é apaixonada por Veneza. Tem quem ache Florença mais romântica, mas eu concordo com vc: nada mais romântico do que tomar um champagne numa gôndola ao entardecer.
      Parabéns pelos 30 anos de relacionamento!
      Abs

  10. Fatima

    Obrigada pelas dicas, ja fui a Veneza e estou voltando em 1 semana com minha mae para que ela conheça; foi bom relembrar os pontos turisticos e agradeço por me poupar de ir a Burano hehe. Tbm sou medica e amo viajar, qualquer lugar desde que seja diferente tá ótimo hehe, um abraço

    • Fernanda Rangel

      Oi, Fatima!
      Viajar é maravilhoso, não é? E indo pra lugares como Veneza então… Foi muito especial a minha estada lá. Também adoro lugares diferentes.
      Burano não tem atrativo nenhum. É bonitinha, mas não chega aos pés de Veneza. Fora que gasta-se muito tempo para chegar até lá. Achei meio perda de tempo…
      Quando alguém me pede indicação de passeio “bate e volta” de Veneza, sempre indico Pádua ou Verona. Muito mais interessante.
      Obrigada pelo elogio!
      Abs

  11. Beatriz Mayerhoffer

    Fernanda!
    Adorei suas dicas, trabalho com turismo mas, infelizmente, não consigo muito tempo para visitar tudo que existe por este mundo!
    Gostaria de saber se você lembra o nome ou onde posso encontrar este gondoleiro! Me interessou muito!
    Obrigada!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Beatriz!
      Eu tb queria ter mais tempo (e dinheiro) para visitar tudo que existe neste mundo. Mas de pouquinho em pouquinho a gente chega lá!
      Eu não consigo lembrar de jeito nenhum do nome do gondoleiro! Já perguntei para as pessoas que foram comigo nesta viagem e ninguém conseguiu lembrar também.
      Mas sei bem onde ficava o ponto dele: é bem perto da Praça de São Marcos. Estando de frente para a Basílica, você entra na primeira viela à sua esquerda, logo ao lado da Torre dell’Orologio. Siga em frente e depois vire a primeira viela à esquerda. Mais a frente, você verá uma loja da Ferrari (lembro que no chão, próximo à loja, estava escrito “Rosa Salva”, em referência a algum estabelecimento com o mesmo nome, que há em frente). Dali, você avistará um pequeno canal com uma ponte. Foi onde o gondoleiro me abordou.
      Espero que você o encontre, pois além de muito simpático e solícito, ainda falava perfeitamente o português!
      Abs

  12. Viviane

    Olá Fernanda, ótimas dicas!! Estou planejando minha primeira vez em Veneza e li que vc usou várias vezes o vaporetto, como é feito o pagamento? Há algum bilhete ou pagamos com dinheiro? Obrigada!!!!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Viviane!
      Sim, utilizei o Vaporetto várias vezes. É o transporte público da cidade, além de também ser uma ótima opção de passeio (é uma delícia andar nele).
      Nas estações você encontrará um guichê vendendo o bilhete, que consiste num cartão de papel, que você encosta na máquina leitora. Uma luz verde irá acender quando você fizer isso e aí é só aguardar o Vaporetto chegar dentro da cabine. Super tranquilo.
      Há várias opções de bilhetes, que varia conforme o período de validade do mesmo (1h, 12h, 24h, 48h, 72h e 7 dias). Você pode conferir os preços no site oficial.
      Abs

      • Leane

        Olá, Fernanda! Estou adorando as dicas!! E vi que você responde algumas dúvidas, então… rsrs. Tem algum email que eu posso te mandar para que você me dê algumas dicas?

        • Fernanda Rangel

          Oi, Leane!
          Costumamos dar nossas dicas no texto do post e tirar as dúvidas dos leitores aqui na seção de comentários do blog. A intenção é deixar essa troca de ideias expostas para que sirvam de “dicas extras” que, muitas das vezes, ajudam outros leitores.
          Não fique com receio de expor suas dúvidas. Elas são muito bem-vindas!
          Abs

  13. Conceição Soares

    bom dia Fernanda, li seu roteiro, gostei, vou tentar fazer o mesmo estarei lá a partir do dia 03 de nov 2014, abraços !

  14. Thais Eller

    Oi Fernanda, tudo bem?

    Adorei seu relato e roteiro sobre Veneza! Já estou fazendo o meu roteiro para a minha lua de mel em setembro do ano que vem e adoro ler bastante coisa antes. Também sou médica e apaixonada por viagens. Já pensei em fazer um Blog também sobre as minhas experiências em viagens, mas por enquanto só estou com um Instagram, o @thatapelomundo.

    Parabéns! E obrigada por ajudar os viajantes!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Thais!
      Além de colegas de profissão e apaixonadas por viagens, temos mais uma coisa em comum: o fato de pesquisar tudo antes da viagem. Na verdade, é onde ela realmente começa, quando procuramos informações e curiosidades sobre os pontos turísticos e buscamos as experiências das pessoas que já foram. Isso só acrescenta, não só pra viagem em si, mas tb pra nossa própria cultura mesmo.
      Não desista do sonho de ter um blog. Eu sempre tive e hoje consegui torná-lo realidade. É muito legal trocar ideias com os internautas e poder ajudar aqueles que estejam planejando a própria viagem. Até porque, por experiência própria, sei como isso é importante.
      Obrigada pelo elogio!
      Abs

  15. Felipe Becker

    Olá Fernanda, obrigado pelas dicas! Dúvida, vamos em setembro para lá após visitar Paris>Bruxelas>Amsterdã>Alemanha>Áustria e por penúltimo Veneza também estou programando dois dias então as dicas foram ótimas.
    Vamos alugar um carro para tudo, mas fiquei interessado no transporte de Vaporetto. É obrigatório o uso dele? ou posso usar os dois meios, carro alugado e o Vaporetto, qual a sua sugestão?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Felipe!
      Obrigada pelo elogio!
      Sim, é preciso usar o Vaporetto.
      Veneza não tem ruas pra carros, há apenas canais. Veículo por lá é só aquático.
      O Vaporetto é o “ônibus” da cidade, que a gente utiliza para fazer um passeio pelo Grande Canal (que é maravilhoso e recomendo) e percorrer grandes distâncias. Mas tb dá pra ir se embrenhando pelo labirinto de vielas (para pedestres) e rodar a cidade toda sem utilizar este transporte. Aliás, fazer isso é o grande passeio de Veneza…
      Estando de carro, é preciso deixar no estacionamento fora da cidade. Há 2 opções: deixar em Veneza Mestre (no continente) ou atravessar a ponte e deixar o carro no estacionamento que há na entrada da ilha.
      Espero tê-lo ajudado!
      Abs

  16. GUILHERME SIMONI

    Ola. Eu e minha esposa estamos indo para Veneza em abril. 4 dias serão suficientes para podermos curtir a cidade ao seu máximo? Alguma dica extra que não contasse no seu post? Suas dicas serão muito úteis e validas nessa nossa viagem. Obrigado

    • Fernanda Rangel

      Oi, Guilherme!
      Embora tenha achado Veneza maravilhosa, 2 dias é o suficiente para conhecê-la. A menos que vcs queiram visitar os museus, como o Palazzo Ducale, Accademia, Museu Peggy Guggenhein e etc. Aí eu colocaria mais 1 dia, no mínimo.
      No post, coloquei todas as dicas que eu tinha, baseadas na minha experiência por lá. Mas se vcs já reservaram 4 dias pra ficar em Veneza, eu faria o seguinte: os 2 primeiros dias seguiria este roteiro que descrevi. O 3º dia tiraria pra ir ao Palazzo Ducale e alguma outra atração ou dar mais um passeio pelas vielas da cidade (que, na verdade, é a graça de Veneza). E no 4º dia, faria um bate-e-volta pra algum lugar próximo. Sugiro dar uma esticada até Pádua, são só 25 min de trem. Visitei um pouco da cidade e achei linda (fiz um roteiro de 1 dia a Pádua aqui no blog. Basta clicar no link).
      Espero tê-lo ajudado!
      Abs

  17. Ricardo Alexandre

    Olá Fernanda,

    A sua viagem pareceu muito fixe :). Estou a pensar em ir a veneza este ano com a minha esposa, e certamente seguiremos grande parte do seu roteiro.

    Tenho algumas questões, que gostaria de fazer:

    Qual o preço dos :

    -> vaporetto
    -> barco do aeroporto->veneza

    Vi online num site no qual é possivel comprar um cartão com diversos serviços: visita aos museus + teatro fenice + transportes, etc. Fiz uma simulação, e o cartão ficaria por cerca de 200 Euros por pessoa (valido por 3 dias a partir da primeira validação).

    A minha questão é: compensa comprar este tipo de bilhete, ou mais vale ir a pé e comprar apenas bilhete para as atrações?

    Obrigado Fernanda

    Ricardo

    • Fernanda Rangel

      Oi, Ricardo!

      Um dos grandes atrativos de Veneza é passear pelo labirinto de ruas. A cada esquina é uma surpresa diferente. Mas por outro lado, um passeio de Vaporetto também é muito agradável e, na minha opinião, imperdível. Além de ter a vantagem de acelerar os deslocamentos. A única desvantagem é que trata-se de um serviço um pouco caro. Os bilhetes de 1, 2, 3 e 7 dias variam de 20 a 60 euros. Dê uma olhada nas tarifas neste link do site oficial do ACTV (a agência que administra o transporte público de Veneza).

      No meu caso, acabei comprando o bilhete de 2 dias (48h) porque optei por passear várias vezes de Vaporetto, ao invés de só andar pelas vielas da cidade. E não entrei em quase nenhuma atração paga, de modo que não valia a pena adquirir um passe combinado “transporte + atrações”.

      O nosso editor Vinícius visitou a cidade em 2014 e preferiu apenas caminhar pelas ruas no primeiro dia e usar o Vaporetto no segundo, com o passe de 24h. Economizou 10 euros e ainda fez o tão indicado passeio pelas vielas. É uma outra boa opção.

      Não tem muito jeito, é preciso sentar e fazer as contas pra ver se vale a pena e isso vai depender do seu roteiro final. Baseado no que já me aconteceu em outras visitas pela Europa, aconselho contar quantas viagens de transporte público (no caso, o Vaporetto) vcs farão por dia, somar o valor das tarifas e ver se compensa comprar o passe de 24h, 48h e etc.
      Some isso ao valor de todas as atrações pagas cobertas pelo ticket combinado e veja se fica mais barato tê-lo.

      Veneza é incrível. Tenho certeza que vocês passarão dias especiais por lá!

      Abs

  18. Carlos

    Ótima postagem! Esse post de Veneza me ajudou bastante, principalmente com o link para compra de passagens dos passeios. Pena q vou ficar tbm só 2 dias, mas já deu p ter ideia dos lugares imperdíveis.

  19. Suzidarlen Oliveira da Silva

    Oi Fernanda, td bem?
    Estarei indo para Veneza ,Roma ,Florença ,Napoli ,Pisa, Pompeia em Maio, porém irei com meu namorado que é cadeirante e estou com muitas dificuldades em saber sobre a acessibilidade nas cidades e/ou pontos turísticos.
    Você poderia me ajudar ?
    Em Veneza teremos condições de conhecer?
    Agradeço toda e qualquer dica !!!!
    Suzi

    • Fernanda Rangel

      Oi, Suzi!

      Infelizmente, em alguns locais vai ser um pouco complicado pra ele, mas dá pra fazer muita coisa.

      Em Roma, vai ser possível conhecer o coliseu (há um elevador para cadeirantes lá dentro). Já o Palatino não tem como, há muitos desníveis no solo. Talvez dê para ir ao Forum Romano, não me lembro de nenhum grande degrau ou escada por lá, a não ser o que vem do Palatino (os 2 sítios arqueológicos são interligados). Piazza di Spagna, Piazza Navona e Pantheon é tranquilo, fica tudo no plano. Fontana di Trevi tem desnível, mas basta ficar no patamar de cima, que está no nível da rua e já é o suficiente para apreciá-la. Nos Museus do Vaticano, segundo o site oficial, cadeirante não paga (veja o link aqui). Basílica de São Pedro, até onde me lembro, tb não havia restrições.

      Em Florença, as ruas também são planas, que eu me lembre é tranquilo para cadeirantes. Talvez haja uma calçada ou outra mais alta, mas que eu me lembre, não havia nenhuma grande restrição não.

      Pisa também é tranquilo, mas a estação de trem fica a uns 20 min de caminhada para a torre. Se vcs forem passeando com calma e apreciando a vista, será até agradável.

      Nápoles eu passei uma tarde, e confesso que não amei muito a cidade não. Achei meio caótica e suja. Mas também não é um lugar considerado “invisitável”, já que os italianos de lá são simpáticos e a pizza é espetacular. Um grande porém é o trânsito: ninguém respeita o sinal vermelho. Isso pra um cadeirante pode ser um problema… (Em Roma é parecido, mas eles respeitam o sinal. O problema é que às vezes não tem sinal: vc tem que enfiar o pé no asfalto e começar a atravessar, rezando pra nenhum carro passar por cima. Felizmente eles respeitam o pedestre, no geral).

      Já Pompéia acho bastante complicado pra ele. Não encontrei nada no site oficial falando à respeito de cadeirantes, mas baseando pela minha visita, há muitos desníveis, a calçada é um pouco alta e há muitos paralelepípedos nas ruas do sítio arqueológico (que na verdade, são pedras gigantes e com um espaço razoável entre elas).

      Não creio que vcs terão grandes problemas em Veneza. As ruelas são planas. O que talvez seja um problema são as pontes (a maioria tem degraus). O Vaporetto tem um local próprio para cadeirantes, mas lembro que havia um desnível entre a plataforma e o barco. Acredito que deve haver alguma rampa que eles colocam para os cadeirantes (há sempre um funcionário na entrada).

      Espero ter conseguido ajudá-la!

      Abs

  20. yara

    FERNANDA, ADOREI SUAS DICAS,MUITO UTIL OBRIGADA ESTOU NA DUVIDA SE FICO EM VENEZA OU MESTRE,MAS VOU PESQUISAR O HOTEL QUE VOCE INDICOU TKS BJOS

    • Fernanda Rangel

      Oi, Yara!
      Obrigada pelo elogio!
      Particularmente, acho mais válido ficar em Veneza, de preferência bem perto da estação Santa Lucia – pra evitar ter que atravessar, de mala e cuia, alguma ponte cheia de degraus ou ter que pegar algum barco até o hotel. Fora o prazer que é ficar hospedada em Veneza, poder passear de vaporetto à noite, sem precisar ficar de olho no relógio pra pegar o trem até Mestre…
      Reza a lenda que os hotéis em Mestre são mais baratos. Aí é avaliar o que for melhor pra vc.
      Bjs

      • Matheus

        Olá Fernanda… qual, mais ou menos, a média de preço do hotel que ficou? Obrigado.

        • Fernanda Rangel

          Oi, Matheus!
          Sinceramente, eu não me lembro. Além de já ter 3 anos dessa viagem, o euro estava bem mais barato naquela época – o que não daria para fazer uma comparação com os preços de hoje. Mesmo se considerarmos os valores em euros, certamente já deve ter ocorrido algum reajuste nesse período.
          Isso sem contar que as diárias variam de acordo com a época que a pessoa vai (julho e agosto costumam ser os meses mais caros, pois é férias na Europa).
          Sugiro estipular uma data de viagem e ir ao Booking (sempre faço minhas reservas por lá) e fazer uma cotação. É a melhor forma de obter valores atualizados, de acordo com a época de sua preferência.
          Abs

  21. Maria Luiza B. Moretti

    Fernanda adorei seu roteiro de 2 dias em veneza .Vamos eu meu esposo e filha(Fernanda) em set de 2015 para Paris Onde ficaremos uma semana De lá ela retornará ao Brasil e voaremos para Veneza para uma breve estadia de 28 a 01/10 e seguiremos de trem para Roma onde retornaremos ao Brasil no dia 06.Estou um pouco apreensiva pois o meu inglês é precário e o Italiano idem kk ,nesse percurso gostaria de conhecer a região da Toscana Me de sua opinião de como encaixar esse roteiro de trem ou volto de roma em excursao para Florenca ?Obrigada pela atenção e vou cotar hoteis pelo booking ..bjus

    • Fernanda Rangel

      Olá, Maria Luiza!

      Peço desculpas pela demora da minha resposta. Eu estava viajando e só retornei há poucos dias.

      Mas vamos às suas dúvidas…

      Os italianos tb não falam muito bem o inglês não, mas dá pra gente se virar numa boa. No geral, eles são solícitos e com mímica e até um “portunhol” eles já entendem. Fora que eles gostam dos brasileiros e já tem uma certa boa vontade conosco (pelo menos é o que eu presenciei). Passei por isso em San Gimignano: precisei de uma informação e a única pessoa disponível só falava italiano. Falei devagar o português e ela respondeu devagar em italiano e, no fim, todo mundo se entendeu.

      Quanto ao roteiro, acho que vai ficar meio apertado colocar uma visita a Toscana aí. Fiquei 4 dias na região e foi longe de ser o suficiente. Outra coisa: Veneza dá pra fazer em 2 dias apenas. A cidade é pequena e tem poucas atrações. Quem gosta dela acaba querendo ficar mais dias, mas para uma 1ª vez, 2 dias é o suficiente.

      Sugiro o seguinte: fique em Veneza nos dias 28 (que será pela metade, pois haverá um deslocamento neste dia), 29 e 30. Neste último dia, à tarde, pegue o trem até Florença. Fique na capital da Toscana o resto do dia 30, o dia 01 e o dia 02. À tarde deste dia, pegue o trem até Roma. E fique na cidade até o seu retorno.

      O deslocamento entre as cidades é muito tranquilo. Dá uma média de 2h de viagem cada trecho (Veneza-Florença e Florença-Roma). Isso se for no trem de alta velocidade.

      Espero que tenha te ajudado a tempo!

      Abs

  22. CAROL

    Flor, adorei suas dicas.
    Estou com viagem marcada para a Itália, preciso de uma ajudinha básica.
    Como vc chegou a Veneza?
    Eu vou sair de Milão, tem alguma dica sobre a viagem de trem entre essas cidades?
    Obrigada

    • Fernanda Rangel

      Oi, Carol!

      Desculpe pela demora da minha resposta. Eu estava viajando e só retornei há poucos dias.

      Veneza tem 2 estações de trem: a “Venezia Mestre”, que fica mais afastada, e a “Venezia Santa Lucia”, que está bem na entrada da cidade e é totalmente interligada às grandes cidades italianas.

      De Milão (“Milano Centrale”) até Veneza (“Venezia S. Lucia”) são 2h30 de viagem. Super tranquilo, vá sem medo.

      Dê uma olhada no site oficial da Trenitalia pra vc ter uma ideia dos horários disponíveis e preços das passagens.

      Espero tê-la ajudado!

      Abs

  23. NARLEY ALFARO

    Oi, Fernanda!Existe algum passe que dê acesso a várias atrações em Veneza?
    Obrigado. Seu blog é ótimo.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Narley!

      Desculpe pela demora da minha resposta. Eu estava viajando e só retornei há poucos dias.

      Antigamente existia o chamado “Venice Card”, que dava direito ao uso do transporte público, banheiros públicos e entrada em várias atrações. Mas parece que o passe mudou de nome e agora o que encontramos na web é o “Venezia Unica City Pass”.

      Dando uma lida por alto no site, me parece que é basicamente a mesma coisa do anterior.

      No meu caso, não utilizei nenhum passe porque minha visita se restringiu mais a um passeio pela cidade do que entrada em museus, ou seja, não valia a pena financeiramente. Mas dependendo do seu roteiro, pode ser vantajoso. É sentar e fazer as contas pra saber se compensa.

      Confira mais informações sobre o passe neste link para o site oficial da Venezia Unica City Pass.

      E para te ajudar na hora de decidir o que é melhor, dê também uma olhada no post que nosso editor Vinícius fez sobre como se locomover em Veneza, com dicas sobre o uso do transporte na cidade e alguns preços de passagens.

      Espero ter te ajudado! E obrigada pelo elogio!

      Abs

  24. leticia

    oi Fernanda, tudo bem?

    estou indo para italia e li muito os seus post.

    estou decidindo entre ir para Veneza ou Firenze, pois não vou ter tempo de fazer os dois.
    o que você diria?

    obrigada!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Letícia!

      Essa é uma escolha de Sofia… Rsrs…

      São 2 cidades incríveis e completamente diferentes. Aliás, essa é uma característica interessante sobre a Itália: as cidades são tão distintas que, mesmo passeando por dentro do seu território, parece até que vc mudou de país.

      Vou tentar descrever estas 2 cidades, usando minhas impressões, para ver se ajuda…

      Florença é uma cidade muito romântica, com ruas agradáveis para dar um passeio, aquele clima medieval e bastante cultural (afinal, foi o berço do Renascimento). É bem a cara da Toscana.

      Já Veneza se destaca por ser única no mundo. Nenhuma outra cidade é como ela, onde não há veículos além dos barcos, onde não há avenidas, só canais, pontes e vielas minúsculas. É pitoresca, diferente e exótica. Mas é o que citei no post: tem gente que ama e tem gente que odeia. Dificilmente há um meio termo…
      Não é que não seja uma cidade romântica (ela até é) e cultural (há museus tb), mas achei essas características mais “expressivas” em Florença.

      Arriscando um palpite, se vc procura por um passeio cultural e/ou romântico, indicaria Florença. Inclusive, estando lá, pode-se dar uma escapada até Pisa, outro cartão-postal da Itália.
      Mas se vc preferir visitar um lugar diferente de tudo que vc já viu, bem pitoresco, vá pra Veneza.

      Independe da sua escolha, não se preocupe. É quase que uma regra pra quem visita a Itália: a gente sai de lá sabendo que vai voltar um dia, que haverá uma 2ª vez. Por isso, a cidade que ficar de fora, um dia, vai acabar sendo visitada.

      Espero tê-la ajudado!

  25. Vitor

    Fernanda amei sua abordagem a respeito de Veneza, só não pude absorver mais do que descreveu porque nunca estive lá 🙁
    Quem sabe um dia, por falar nisso, em que mês do ano você esteve lá? É verdade mesmo que o melhor período é no inverno europeu, como no mês de março?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Vitor!
      Obrigada pelo elogio!
      Quando vc menos esperar, o dia de sua visita chegará! Eu tb ficava lendo sobre os lugares que já fui e ficava pensando no dia que eu iria, até que ele chegou finalmente!
      O inverno europeu não é uma boa época, pois é muito frio. E dependendo da cidade, pode até nevar (já tive uma amiga que pegou Veneza congelada em fevereiro, em pleno carnaval deles).
      O verão tb não é boa época, pois é muito quente e lotado, já que é época de férias por lá. Além de ser tudo mais caro.
      Por isso, a melhor época é ir entre as 2 estações, ou seja, primavera ou outono. No meu caso fui em maio, em plena primavera.
      Março não é de todo ruim, mas é bem frio.
      Espero que o dia da sua visita chegue o mais breve possível! Veneza é incrível (assim como a Itália, de um modo geral).
      Abs

  26. Vitor

    Obrigado Fernanda pelo incentivo. Obrigado mesmo, sorriso aqui de uma ponta a outra do rosto, rs. Em relação aos preços de maio (como passeios, comer fora, ou mesmo reservar hotéis e voos para essa época) ficaram mais altos do que poderiam estar durante o inverno?

    • Fernanda Rangel

      Hahahaha… Que bom que consegui incentivá-lo!
      Sobre os preços, realmente não saberia te dizer se tudo isso que vc mencionou é mais barato na época do inverno. Os hotéis sim, pois a procura é menor nesse período.
      Com relação às passagens, varia conforme a cia aérea e se é época de alta temporada no Brasil. Por exemplo, se vc for pra lá no período do carnaval brasileiro, utilizando alguma cia brasileira, pode esperar que vai pagar mais caro, mesmo que fevereiro seja baixa temporada na Europa… E infelizmente, tem cia estrangeira que está seguindo essa linha tb. O ideal é ficar de olho nas promoções com bastante antecedência.
      Do restante (passeios e alimentação), acho que não muda muito, mas não saberia dizer com 100% de certeza.
      Abs

  27. Vinicius e Bruna

    Boa tarde Fernanda,

    Eu e minha noiva estamos começando a montar nossa lua de mel, e estamos com algumas dúvidas, achamos muito interessante sua pronta resposta com seus leitores e as dicas que você fornece.
    Queremos fazer o seguinte roteiro:

    Roma – 4 dias
    Toscana – 4 dias
    Veneza – 2 dias
    Costa Amalfitana ( Pompeia, Sorento, Capri, Positano, Amalfi e Ravello) – 4 dias
    Paris – 4 dias
    Londres – 2 dias.

    Sairíamos do RJ dia 28/06/2016 e voltaríamos dia 19/07/2016.

    Gostaria de ver com você, qual seria a melhor estratégia de roteiro, se seria começar do Sul da Itália ( Costa Amalfitana ) e ir subindo para Veneza ou até mesmo se começar por Londres e descer Paris depois Itália.

    Muito Obrigado pela atenção.

    Abs,

    • Fernanda Rangel

      Oi, pessoal!

      Fiz um roteiro bastante parecido com o que vcs farão na Itália em minha visita de 2013. E coloquei essa semana mesmo no blog o meu roteiro de 18 dias pela Itália. Nele vcs encontrarão algumas respostas para suas dúvidas.
      Mas resumidamente: comecem por Roma, desçam até a Costa Amalfitana e depois subam até a Toscana e Veneza.

      Qto a Paris, já fiz visita de 1 dia e tb visita de 6 dias (que na verdade foram 8 dias, pois estiquei até Versalhes e Eurodisney). Mas para o essencial, 4 dias é uma opção.

      Sobre Londres, particularmente, acho 2 dias muito pouco. De repente, valeria mais a pena vcs fazerem 3 dias em Londres e 3 dias em Paris. Pra terem uma ideia, fiz um post com um roteiro de 5 dias em Londres e não foi, nem de longe, completo o suficiente! Já Paris, dá pra enxugar em 3 dias, se for somente às atrações principais. É uma cidade linda e encantadora (principalmente para casais) e até merece vários dias. Mas entre ela e Londres, a 2ª tem muito mais atrações pra visitar. Enfim, é só uma opinião…

      Como sugestão final, o que eu faria: visitaria a Itália primeiro e depois iria subindo. Mas lembrando que seria legal ir de avião entre a Itália e Paris (o trem leva muitas horas). Já desta última até Londres, indo de trem de alta velocidade (Eurostar), chega em 2 horas ao destino, através do Eurotúnel.

      Espero tê-los ajudado!

      Abs

  28. Glaucia

    Oi Fernanda,

    Considerando que você já conhece Veneza e Roma, qual das duas cidades você indicaria para quem pode visitar apenas uma delas e por três dias? Ah! Parabéns pelos seus posts.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Glaucia!
      É uma escolha de Sofia, pois as 2 cidades são incríveis e com-ple-ta-men-te diferentes.
      Como vc tem 3 dias, eu indicaria ir a Roma.
      Veneza é linda e especial, mas ela se resume mesmo Piazza San Marco e os canais. No fundo, vc conhece em 1 dia apenas – embora d~e vontade de ficar mais, pois é muito agradável (pelo menos, eu achei…).
      Já Roma é uma das grandes capitais europeias e há muito o que fazer por lá. Ficar 3 dias é pouco, mas dá pra conhecer o essencial.
      Espero ter conseguido ajudá-la!
      E obrigada pelo elogio aos posts!
      Abs

  29. mariana

    Oi, Fernanda!!

    Adorando suas dicas! 🙂
    Eu e meu marido vamos conhecer a Italia (Veneza-Florença-Siena e arredores), estava pensando em chegar por Veneza, ficar 3 noites, depois pegar um trem para Florença(me hospedar) e ali alugar um carro para os arredores, depois me hospedar em Sienna para conhecer outras regiões. Na volta vc acha que pego um voo de Florença mesmo, para retornar ao Brasil? Ou de Roma?

    Obrigada!!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Mariana!
      Obrigada pelo elogio!
      Vamos primeiro a essa pergunta…
      Como a parte final da sua viagem será pela Toscana, seria melhor voltar à partir de Florença, pois fica mais perto. O problema é que nem sempre tem vôo Florença-Brasil – é mais provável um que saia de Milão ou de Roma. A menos que vc faça alguma conexão dentro da Europa (TAP faz em Lisboa, KLM em Amsterdam, Air France em Paris e assim por diante).
      Abs

  30. mariana

    Oi, Fernanda!

    Eu de novo rsrs…
    Vi que vc se hospedou proximo a estação Venezia Santa Lucia, e vc usou bastante o vaporetto para se locomover, foi para ganhar tempo ou por que seu hotel ficava muito longe para caminhar até o centro turístico? Pergunto isso pois estou pensando em me hospedar proximo a estação também!

    • Fernanda Rangel

      Agora vamos a segunda pergunta… 🙂
      Utilizei o vaporetto porque ficava um pouco distante da Piazza San Marco e também porque é um dos maiores atrativos de Veneza. Passear na proa do vaporetto é um passeio imperdível e vale a pena.
      Mas dá pra ir do hotel até San Marco andando. Nosso editor Vinícius fez isso em sua viagem à Itália em 2014 e adorou (ele também ficou ao lado da estação ferroviária). É uma ótima oportunidade para ir se perdendo por dentro de Veneza e conhecendo suas vielas e canais. Cortando por dentro da ilha, dá pra ir andando até lá tranquilamente (apesar de ser um pouco distante).
      Quanto à hospedagem, fique perto da estação. Vc não precisa se deslocar pra dentro da ilha (o transporte até os hotéis às vezes sai bem caro). E de preferência, na mesma margem da estação. Atravessar a ponte que há em frente a ela com malas não é uma boa ideia, porque tem degraus.
      Espero ter conseguido ajudá-la!
      Abs

  31. CLAUDIMIR JUSTI

    Oi Fernanda,
    Bem legal as suas dicas de dois dias em Veneza. Em setembro/2015 eu e minha esposa vamos ficar tres noites em Turim, e mais tres em Milao com um grupo. Aí vamos espichar mais tres noites. Estou pensando em locar um carro em Milao, passar uma noite em Verona e depois ir para Veneza.
    O que voce acha da opçao de locar um carro em vez de ir de trem ?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Claudimir!
      Sou meio suspeita pra falar, porque procuro sempre me ver livre do carro nas minhas férias e minha preferência acaba pendendo para o uso do trem.
      Mas o pouco que andei pelas estradas na Itália (mais para a região da Toscana), achei muito boas para o motorista. Acredito que seja assim no país todo.
      O carro tem a vantagem de você ficar livre pra fazer as coisas no seu ritmo. Mas, por outro lado, tem a questão do estacionamento – que nas cidades italianas costumam ficar fora do centro histórico, ou seja, nem sempre tão perto das atrações.
      Eu utilizei basicamente o trem e foi muito tranquilo e prático.
      São 2 opções boas. Se você gostar de dirigir em estradas e não ligar pra questão do estacionamento, de repente é uma boa sim.
      Abs

  32. marco aurelio da silva martins

    VALEU MUITO SUAS DICAS , ESTOU INDO ESTE MES DE SETEMBRO COM MUITA ESPECTATIVA . OBRIGADO .

  33. nicolas

    Muito massa o teu blog! Estou indo para a Itália, ficar 20 dias partindo e saindo de roma em direção a assis, florença. milão, veneza, roma passando pela toscana, ciqterre, grandes lagos, verona e emglia! Sempre que pesquiso algo caio no seu blog e gosto muito dos seus passeios assim como os comentários que já estão me ajudando e irão me ajudar muito na Itália, gostaria de agradece por tal atenção e riqueza em suas emoções e detalhs da viagem…. continue assim para que muitos viajantes possam ser beneficiados com as tua experiência! 😉

  34. Vanessa

    Oi Fernanda!

    Amando suas dicas, tenho algumas duvidas, o Vaporetto quando pego a linha 1, posso pegar ele em uma estação e descer nela mesma, é uma espécie de volta que ele dá, ou tem sentidos contrários? Tenho dois dias inteiros para Veneza, mas tinha interesse em fazer um bate volta em Verona, você acha que dá ou fica muito apertado? Estou indo também para Cortina D’ampezzo, você tem alguma dica de lá? Muito obrigada, suas informações são sempre úteis. Parabéns pelo blog!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Vanessa!
      Obrigada pelo elogio!
      A Linha 1 não é circular, ou seja, ela vai até o Lido e faz o trajeto contrário. Nunca fui até o ponto final e voltei, mas acredito que seja obrigatório o desembarque por lá.
      A melhor coisa seria pegar em frente a estação ferroviária e saltar em Sâo Marcos. É trecho mais atrativo do passeio.
      O Vinícius Miranda escreveu um post aqui no blog dando dicas de como locomover-se em Veneza. vale a pena dar uma olhadinha.
      Daria pra conhecer Veneza em 1 dia, levando em consideração apenas as atrações principais. Mas pra fazer tudo com calma e poder dar um passeio pela cidade (que é um dos grandes baratos da visita a Veneza), o ideal seriam 2 dias. E como Verona exige 1 dia inteiro por lá, na minha opinião, vai ficar um pouco corrido.
      Com relação a Cortina D’Ampezzo, infelizmente não visitei. Por isso, não tenho nenhuma dica pessoal pra te dar a respeito dela.
      Abs

  35. Janice Torres

    Olá Fernanda! Estou de viagem marcada para a Itália em agosto de 2016. Estou em duvida onde ficar. Meu roteiro começa em Roma no dia 10 e termina o dia 21 em Veneza. Estou com duvidas de quantos dias ficar em Roma e em Florença, Veneza ficarei 2 dias. Pensei em alugar um carro para seguir de roma a veneza. Gostaria de saber sua opinião.

    Obrigada!!!!

  36. Cintia

    Que site maravilhoso!!! Estou começando a planejar uma viagem à Itália e me senti mais segura vendo suas dicas. Estava com medo de fazer Florença e Veneza em 2 dias cada, mas vi que é possível!!
    Vou ler tudinho!! Parabéns!!

  37. Marina

    Fui à Veneza no início do ano e já vou voltar agora. hehehe. A cidade é incrível e apaixonante!!!
    Quando fui visitei Murano, porém não achei que compensou não… Veneza é incrivelmente mais bonita e tem os mesmo artigos em vidro que tem em Murano. Creio que a visita vale a pena só se você tiver interessado em comprar algum artigo, que por sinal possui elevadíssimos preços.
    Agora penso em visitar Burano. Você sabe me informar se eu utilizo apenas um bilhete do vaporetto? Porque, sinceramente, eu não acho que vale a pena utilizar o transporte não… prefiro caminhar! Quando fui comprei o bilhete para usar 24 horas e acabei nem utilizando direito (a não ser para ir em Murano), porque o tempo gasto no vapores é bem maior que ir à pé. :-/
    Parabéns pelo blog! Está bem completo…
    Abraços!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Marina!
      Obrigada pelo elogio! 🙂
      Vc disse tudo: Veneza é suficientemente incrível para se “perder tempo” indo a Murano e Burano. Não que elas sejam ruins, mas a sensação que tive quando voltei de Burano foi de que eu poderia ter utilizado esse tempo que levei pra visitá-la só para Veneza.
      Mas descontando isso, Burano é uma gracinha. O que mata é o deslocamento até lá: o Vaporetto leva uns 40 minutos só pra ir (e o mesmo tempo pra voltar). Acaba que o passeio ocupa um meio período do dia, no mínimo.
      O bilhete é o mesmo utilizado para o Vaporetto em Veneza. É preciso ir até a estação “Fondamenta Nuove” e de lá pegar a Linha 12, que passa também em Murano.
      Abs

  38. Rihana

    Olá Fernanda, primeiramente: adorei teu posto, alias, não só este post, como todo teu blog!!! Já faz uns dias que ando visitando teu blog, também sou médica e no próximo mês estarei visitando a Itália com meu marido, ficaremos 11 dias, a principio nossos destinos se resumiam em Roma e Sicilia, mas batia aquele aperto de ir para Itália e não passar por Veneza nem que fosse rapidinho, ai decidimos incluir no roteiro e ficaremos praticamente dois dias antes de viajar para Sicilia! Faço meu roteiro guiado no teu blog também, que tem excelentes dicas!
    Queria saber tua opinião sobre Sicilia, se já fostes, e quais foram a cidades que visitastes e se tem algumas dicas sobre a ilha.
    Ah, Pegaremos trem de Roma para Veneza pois não achei nenhuma agencia de avião que fizesse o trajeto, conheces alguma ou vale a pena mais ir de trem?
    Obrigada desde já!
    Beijos!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Rihana!
      Eu que agradeço o elogio!
      Entendo perfeitamente seu dilema. Quanto mais a gente lê sobre a Itália, mais coisas interessantes aparecem para visitar. E aí percebemos que “é muita Itália para alguns dias de férias”! 😀 No final, sempre sobra uma lista de cidades de fora para uma 2ª vez.
      E a Sicília ficou nesta “lista 2” para uma próxima. Morro de vontade de ir pra lá conhecer Palermo, Taormina, o vulcão Etna, Messina… Dizem que é uma das regiões mais lindas da Itália.
      Um dos motivos da ilha ter ficado de fora foi a distância para as cidades principais. Ela fica meio longe de tudo… Por isso, como vc vai pra lá vindo de Veneza, o certo é ir de avião, pois de trem seria 1 dia de viagem.
      O melhor a se fazer é pesquisar o trecho nos sites de pesquisa de vôos para comparar os preços e ver as opções. Mas acredito que a Alitalia seja a cia principal que opera esses vôos dentro da Itália. Se vc ainda não fechou a sua passagem Brasil-Itália, tenta incluir esse trecho interno na reserva. As cias geralmente tem ótimos descontos.
      Por fim, tem as cias “low cost”, como Ryanair, EasyJet e etc. Nunca utilizei os serviços deles, mas sei que costumam ser baratas apenas para quem não tiver andando de bagagem (que é cobrada à parte e não costuma ser barato).
      Abs

  39. ELENIRA RESTEL DOS SANTOS

    Adorei seu blog. Já salvei no meu email para acessá-lo onde estiver. Estou indo para Italia dia 01/06 e estava morrendo de medo por não ir de excursão, mas as suas dicas me ajudaram e muito. Fiquei mais animada e menos receosa. Parabéns, estou lendo tudo!!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Elenira!
      Obrigada pelo elogio!
      Isso é super normal. Mesmo escrevendo blog e fazendo planejamento pré-viagem, até hoje fico com frio na barriga antes de começar uma viagem. Fico pensando se dará certo, se o planejamento foi bom, se vou conseguir me virar… Mas digo por experiência própria: dá sempre tudo certo! Até os perrengues são válidos. 😀
      Uma excelente viagem pra vc!

  40. Wendel Ribeiro

    Olá Fernanda, queria agradecer por compatilhar as informações sobre Veneza. Você poderia indicar alguns lugares mais em conta para alimentação? Vi que existem os baccari que servem os famosos cicchetti. Dá pra se sustentar com isso e continuar caminhando pelas vielas. Existem outros restaurantes mais em conta? Outra coisa: qual o melhor lugar pra ver o pôr do sol em Veneza. Tenho um amigo que quer ir a Veneza com esse objetivo, rsrs.

    Abraços

    • Fernanda Rangel

      Oi, Wendel!
      Eu que agradeço o elogio! 😀
      Olha, só fiz 3 refeições “decentes” lá em Veneza e, infelizmente, não faço mais ideia de quanto paguei em cada uma (já se vão 3 anos e meio dessa viagem!).
      Duas delas foi em restaurante e me lembro bem que os preços eram mais ou menos compatíveis com os das outras cidades italianas (12 a 15 euros um prato de massa + bebida). A outra refeição foi em um restaurante self-service famoso em Veneza chamado “Brek Bar”, que fica no Cannaregio e pertinho da Estação Santa Lucia. Lembro bem que a comida lá era mais barata que os restaurantes e achei gostoso. Creio que te sustente melhor que os cicchetti – que me parece ser tipo “tapas”, certo? Não os conhecia na época que visitei a cidade…
      Se te interessar, eis os 2 restaurantes que fui: “Il Sandolo” (que ficava em frente ao meu hotel e não era nenhum estabelecimento fenomenal, mas a massa era boa) e o “Beppino” (perto da Piazza San Marco).
      Quanto ao pôr do sol em Veneza, dizem que o ponto tradicional é na margem sul do Dorsoduro, mais especificamente na avenida chamada “Zattere Ai Gesuatti”. Estando ali e de frente para a Giudecca, o sol se põe à sua direita.
      Mas na minha humilde opinião, um lugar bem bacana de ver o pôr do sol é mesmo do alto do campanário de San Marco, com Veneza aos seus pés.
      Abs

    • VN

      Cara Fernanda,
      Apercebi-me que algo não batia certo no texto de um post de um blog onde passo às vezes e fiz uma pesquisa por algumas frases, tendo vindo ter ao seu blog e confirmando assim que o post que estava a ler era quase um copy+paste do seu.
      Acho que estou certa que partilha aqui informações para inspirar os seus leitores para programarem as suas férias, não para copiarem as suas palavras como se fossem deles… Achei feio. O plágio é coisa que me incomoda.
      Boa sorte e boas viagens!

      • Fernanda Rangel

        Olá, VN!
        Infelizmente, isso vem se tornando comum na internet. Nem sempre as pessoas são éticas no trabalho que fazem.
        Já estamos tomando medidas à respeito desse episódio.
        Obrigada pelo aviso!
        Abs

  41. Ana Maria Ricco

    Ola Fernanda, estou indo para Veneza em Maio, ficarei dois dias por isso estava procurando roteiros para dois dias e encontrei seu blog, gostei muito das suas dicas, mas optei por ficar em Mestre porque realmente é muito mais em conta e estarei vindo de Amsterdam de avião e como a minha viagem será muito extensa estarei com duas malas e li que é muito complicado chegar com malas nas ruas de veneza, depois da viagem te conto o que achei de ficar em mestre. Gostaria de dicas de restaurantes e quais lugares você acha imperdiveis em Veneza, estaremos eu, meu marido e meu filho que mora em Amsterdam então acho que o programa é mais voltado para o público masculino, se puder me dar mais dicas agradeceria.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Ana Maria!
      Comi pouco em restaurantes em Veneza, nenhum em especial. É realmente uma cidade cara, a começar pelas hospedagens.
      O que é mais imperdível em Veneza é deixar-se perder pelos labirintos de ruas. Claro que a Basílica San Marco é linda e passear de vaporetto pelo Grande Canal é o passeio mais realizado por quem vai à cidade, mas o mais bacana é se embrenhar pelas ruelas e ir descobrindo as lojas e restaurantes pelo caminho.
      Uma dica que costumo seguir (e sempre deu certo comigo) é observar na porta de entrada dos restaurantes algum selo do Tripadvisor ou de qualquer outro site de excelência. Se tiver, já é meio caminho andado para que aquele estabelecimento seja bom. E se os preços do cardápio exposto na porta estiverem bom, não pensaria duas vezes.
      Abs

  42. Andréia Vasconcelos

    Que lugar maravilhoso, meu sonho é conhecer a Itália, de preferência Verona, mas, acho muito caro. Os hotéis não ficariam mais baratos se eu alugasse um quarto ao chegar la? Porque os pacotes aqui no Brasil são bem caros. Assim, eu compraria somente as pessagens, e ao chegar la procuraria um hotel, ate porque tenho vontade de ir nas demais cidades vizinhas.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Andréia!
      Deixar pra ver hospedagem quando chegar ao destino é um risco muito grande. E se não achar vagas? E se os locais que achar forem ruins? É muito dinheiro investido numa viagem dessas pra correr esse tipo de risco.
      Pacotes turísticos são sempre a opção mais cara, pois geralmente estão embutidos as comissões das empresas. Mas a vantagem é que vc não precisa se preocupar em programar nada.
      Particularmente, acho veneza muito cara pra ser “cidade sede” para bate-volta pela região. Uma opção mais em conta seria ficar em Pádua ou em Veneza Mestre.
      Outra ideia de hospedagem mais em conta seria ficar num hostel.
      Tem que ficar de olho nas promoções dos sites de reserva. Temos vasta experiência (e boa referência) com o Booking.com – motivo pelo qual fazemos parceria aqui no blog.
      Abs

  43. Ana

    Parabens Fernanda!

    Estou planejando com meu marido nossa lua de mel pela Italia e estou anotando todos os seus roteiros, obrigada!

  44. Aaronpedge

    Hello. And Bye.

  45. Regiane

    Boa noite
    Estou planejando e estou com dúvida em como ir de Roma a Veneza.
    De trem é interessante, mas acho perigoso, pois o voo chegará tarde e viajarei a noite.
    Pensando em ir de ônibus. É uma opção barata e viajaríamos a noite.
    Vocês recomendam?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Regiane!
      Não tenho experiência de viajar de ônibus pela Itália, mas penso que não deva ter muita diferença para os trens, em termos de “perigo”. Talvez seja o contrário: as poucas vezes que usei serviço de rodoviária na Europa, achei as estações bem mais estranhas do que as de trem. Mas não sei exatamente como seria na Itália…
      Talvez fosse melhor vc pernoitar na cidade de chegada e seguir viagem de trem cedo no dia seguinte. Acho que é o mais seguro.
      Abs

  46. Wendel Ribeiro

    Oi Fernanda, bom dia.

    Parabéns pelo blog, tem me ajudado muito. Seguinte, estou indo para Veneza na próxima semana e estou com uma dúvida. vou passar um dia lá e meu itinerário contempla caminhar da estação à praça San Marco, depois ir a Dorsoduro e de lá voltar para a estação ferroviária. O google maps indica pegar uma balsa de San Marco até Dorsoduro. Pergunto: que balsa é essa? Será o Vaporetto ou existe outro tipo de embarcação que faz esse trajeto? Vou andar de gôndola. Será que o gondoleiro me deixaria lá após o passeio ou ele retorna sempre para o ponto de partida? Para voltar de Dorsoduro à estação é possível pegar o vaporetto e ir pelo grande canal? Não encontrei essa opção de trajeto no site da ACTV e queria fazer esse passeio pelo Grande Canal ou na ida ou (de preferência) na volta, pois como retornarei após o pôr do sol (esse é um dos objetivos de minha ida até lá, rs) não gostaria de retornar caminhando à noite. Vc consegue me ajudar? Obrigado

    • Fernanda Rangel

      Oi, Wendel!
      Eu que agradeço o elogio!
      É só pegar o Vaporetto (Linha 1) da estação “San Marco – Vallaresso” e saltar na seguinte, chamada “Salute”. Pronto, vc estará no Dorsoduro. 😉
      Os gondoleiros costumam deixar os passageiros no ponto de partida. No caso de precisar fazer um trajeto de um ponto até outro com uma embarcação parecida com a gôndola, usa-se o traghetto.
      Eu acho que um passeio de Vaporetto pelo Grande Canal algo bem bacana de ser feito e recomendaria a todos que visitam Veneza. Se vc tiver algo em especial para visitar no Dorsoduro, de repente seria interessante fazer o seu passeio da estação até San Marco, depois andar pelo Dorsoduro até a estação, pegar um Vaporetto até San Marco de novo (indo pelo Grande Canal) e chegar lá na praça para ver o por-do-sol. Uma ideia legal é assisti-lo do alto do Campanário de San Marco, que tal? Se não me engano, ele fecha por voltadas 19:00 (teria que conferir). E na descida, pegar o Vaporetto de volta pra estação de trem (a Linha 2 chega mais rápido que a Linha 1).
      Abs

      • Wendel Ribeiro

        Oi Fernanda, grato pela atenção e prontidão. Acho que não dá pra assistir o pôr-do-sol do Campanário pq nessa época o sol se põe lá pelas 21h e ele já fechou. Estava pensando em assistí-lo da ponte Accademia ou da Zatere mesmo e do Dorsoduro pegar o Vaporetto para retornar a estação. Pelo que entendi posso pegá-lo nessa estação “Salute” mesmo em direção à estação, estou correto? Vc sabe se nessa estação (Salute) posso compra os tickets? Não vou comprar os tickets de 24h pq quero caminhar pela cidade. Vou comprar o de 1h apenas para retornar à estação. Abraços!

        • Fernanda Rangel

          Oi, Wendel
          Sim pode pegar o Vaporetto (linha 1) em Salute, subir o Grande Canal e saltar no ponto em frente a estação. Ou se assistir o por-do-sol na ponte Accademia, pode pegar ali mesmo a Linha 1 em direção a estação.
          Eu comprei o bilhete de uso ilimitado por 48h (pois fiquei lá 2 dias e andei bastante de Vaporetto) e, por isso, não prestei atenção se em todas as estações tinha uma máquina de compra. Mas acredito que sim, pois sempre pode haver alguém que esteja começando o trajeto naquele ponto.
          Abs

  47. Valmir Calsavara

    Boa noite.
    Gostaria de saber se é possível acessar a pé o Giardino delle vergini, perto da Torre del’Arsenale, em Veneza.
    A ideia seria ir a pé a partir da praça São Marcos.
    Obrigado

    • Fernanda Rangel

      Oi, Valmir!
      Com certeza. Dá pra rodar Veneza toda a pé. Aliás, essa é uma das maiores graças de lá: andar por suas vielas e, de preferência, deixar-se perder por elas e descobrir várias surpresas pelo caminho.
      É bem complicado seguir um mapa com aquele labirinto de ruas, mas pra te ajudar, eis o trajeto proposto pelo Google Maps (aqui).
      Abs

      • Valmir Calsavara

        Oi, Fernanda.
        Obrigado pela resposta.
        A questão é aquela porta que aparece no percurso, ao atravessar o rio de le virgini, a ponte dei pensieri.
        Parece que faz parte de uma tal bienal. Será que é sempre aberta? Você sabe se tem ingresso para entrar?
        Um abraço.

        • Fernanda Rangel

          Não faço ideia, Valmir. Não visitei essa atração quando estive em Veneza… 🙁
          Dei uma olhada no Tripadvisor e nem lá tem informações sobre o Giardino delle Vergini. Eles citam, mas não tem fotos, avaliações, comentários…
          Eu deixaria essa visita no roteiro e colocaria uma outra em “stand-by”. Chegando lá, perguntaria para a recepção do hotel. Se tiver aberto ao público, maravilha. Caso contrário, é só seguir a atração que ficou como 2a opção.
          Abs

  48. Lucas

    Boa tarde, Fernanda! Inicialmente, parabéns pelas excelentes dicas! Você acha que compensa comprar o passeio para conhecer o interior da Torre do Relógio? Muito obrigado! Um grande abraço!

    • Fernanda Rangel

      Eu que agradeço o elogio, Lucas! 😀
      Não visitei a Torre do Relógio, por isso não saberia te dizer com certeza como é o passeio. Fui na Torre do Campanário e achei que valeu muito.
      Dando uma olhada aqui no Google, parece ser um passeio bacana. Dá pra conhecer o mecanismo interno do relógio e as esculturas que o compõe, além de ter uma bonita vista da Piazza San Marco. Por ser mais alto, o campanário oferece uma vista bem mais incrível, porém de um ângulo diferente.
      Eu penso que as visitas turísticas valem sempre a pena – mesmo que a gente não ache espetacular. É sempre bom de alguma forma.
      Abs

  49. Luciano Pimenta Gnone Filho

    Agradeço muito pelas suas informações. Me serão de grande valia, para a nossa viagem em abril, com um casal de amigos. Estive lá em 1975, muito rapidamente. Só me lembro dos pombos. Hahaha. Agora, com as suas indicações, será muito diferente. Obrigado.

    • Fernanda Rangel

      Eu que agradeço o elogio, Luciano!
      Realmente, são inesquecíveis. Hahahaha! Principalmente pra quem não é muito fã dos bichos (#eu). 😀
      Espero que a nova jornada em Veneza seja tão especial quanto foi a minha.
      Abs

  50. Lucio Rezende

    Oi Fernanda Rangel , eu estou indo para Veneza em novembro , ficarei 2 dias , acho que é suficiente , conforme seu relato . Minha dúvida é , será que novembro é época ideal ? E depois irei para Gênova onde embarcarei em um cruzeiro em direção ao Brasil . Minha dúvida qual o melhor meio de transporte de Veneza par Gênova , alugo um carro ou vou de trem ?

    Att Lucio Rezende

    • Fernanda Rangel

      Oi, Lucio!
      Veneza é maravilhosa em qualquer época e creio que novembro, apesar do frio, não seja uma época tão ruim. Já aconteceu de nevar por lá, mas foi no auge do inverno (janeiro/fevereiro). O clima do planeta anda louco, nunca é garantido, mas creio que não seja ruim ir em novembro…
      Já entre Veneza e Genova, vai depender da preferência de cada um. Eu sempre prefiro me livrar do carro nas férias (que inclui gasto de gasolina, atenção na estrada, procura por estacionamento…). Gosto mais de viver o charme das viagens de trem, algo tão tradicional na Europa e tão longe da realidade do brasileiro.
      Mas repito: é uma questão de preferência. Tem muita gente apaixonada por uma roadtrip que adora circular de carro na Itália.
      Pra te ajudar a decidir: entre Veneza e Genova são cerca de 450 km de estrada. Isso dá umas 4h30 de viagem, no geral. De trem serão 4h20 de viagem, com conexão em Milão.
      Abs

  51. Eduardo Barros Leal

    Parabéns pelo Blog !
    Não viajo tranquilo sem as valiosas dicas dos blogs de viagens, ano passado fui ao Oriente Médio, (Emirados, Jordania e Israel), e pude constatar o quão valiosas são as dicas de vocês. Este ano em setembro visitarei a Costa Amalfitana, e Paris, a agencia me ligou e perguntou se concordaria acrescentar ao roteiro a cidade de Veneza, corri para seu blog e após ler seus relatos liguei para a agencia e concordei com o acréscimo no roteiro, já me sinto passeando pelas ruelas e canais. Nas minhas viagens anteriores tive a cruel dependencia dos Hi Fi dos hoteis e de restaurantes, em Dubai e Israel, os hoteis cobram caro pelo hi fi, paguei 18 dolares pelo uso em quatro dias, este chip da EasySim 4u é exatamente o que preciso para esta viagem, deverei ficar fora 19 dias, e queria tirar uma duvida: Posso compra-lo com alguns meses de antecedencia, com a ativação para a data da viagem ?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Eduardo!
      Obrigada pelo elogio!
      Fiquei muito contente pelo blog estar ajudando no seu planejamento. Eu tb faço isso antes das minhas viagens: leio todos os blogs, guias e revistas de viagem, vídeos no youtube. É fundamental para que a viagem dê certo. E mesmo com os imprevistos e perrengues, aprendemos muito também – e voltamos com um monte de histórias engraçadas pra contar.
      Respondendo à sua pergunta, a compra do chip não só pode, como DEVE ser feita com antecedência, pois vc o receberá pelos correio. Sempre é bom ser com um tempo antes da sua viagem pra evitar qualquer atraso.
      Abs

  52. Alessandra

    Parabéns pelas dicas! Estou definindo o meu roteiro de 9 dias na Itália (Roma, Florença e Veneza), marinheira de primeira viagem :-)), e estou adorando as dicas. Super obrigada!

    • Fernanda Rangel

      Eu que agradeço o elogio, Alessandra! 😀
      Fico muito contente pelo post estar sendo útil para o seu planejamento.
      A Itália é um país incrível, tenho ctz que vc vai adorar (e querer voltar)!
      Abs

  53. Ricardo

    Boa noite, tudo bem? Ótimas dicas!! vai me ajudar muito, só tenho um pequena dúvida, caso saiba como me ajudar ficaria muito grato, eu pretendo ficar umas duas noites em veneza, mas estarei de carro, sei que tem que deixa fora e toda essa história, mas sabe me dizer se há locais onde eu possa deixar por mais de um dia? ou se souber algum site onde pesquisar, estou revirando a internet pra ver se acho preços sobre isso.

    Muito obrigado.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Ricardo!
      Eu que agradeço o elogio!
      Olha, eu não sei se existe essa restrição de tempo pra deixar o carro no estacionamento, confesso que não tenho experiência sobre isso na Itália (fiz tudo de trem).
      O Google lista opções de estacionamento na estrada de Veneza (e arredores) e alguns deles tem site. Dá uma olhadinha aqui.
      Abs

  54. Janaina Ponte

    Oi Fernanda , parabéns pelas dicas ! Se possível gostaria de saber se existe diferentes tipos de gôndolas.? Se podemos fazer uma celebração com champanhe , pois será nosso casamento informal

    • Fernanda Rangel

      Oi, Janaina!
      Obrigada pelo elogio!
      Existem vários tipos de embarcações em Veneza. Mas as gôndolas são o grande charme da cidade, ainda mais que vcs estarão numa situação especial.
      Quanto ao champanhe… Boa pergunta! Não saberia te dizer com 100% de certeza, mas acredito que possa sim. É o gondoleiro que vai estar dirigindo mesmo… Hehehe 😀
      Para saber mais opções de barcos, sugiro ler o post do meu primo Vinícius Miranda, que tb escreve o blog: Como Locomover-se em Veneza na Itália
      Abs

  55. Maythê Mota

    Boas recomendações, Fernanda, amei!!!!
    Já anotei todas as dicas e pretendo segui-las…rs
    Vou amanhã e já estou chorando de emoção, felicidade, sei lá…um misto de sensações me consome…
    Sempre foi um sonho (de criança) conhecer Veneza e vou realizar AMANHÃ!!!!
    Estou na Alemanha (país incrível) já conheci outros mas Veneza, acho, ficará no TOPO.

    E como boa viajante gosto de trazer coisinhas, você disse que as lojas no Rialto são caríssimas, onde posso encontrar souvenir, entre outros, “mais barato”?

    Bjs, bjs.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Maythê!
      Obrigada pelo elogio! 😀
      As lojas da Ponte Rialto são caras. Se ainda tiver em tempo: as lojinhas no Canareggio costumam ter os preços melhores.
      Espero que vc esteja curtindo muito essa cidade única! Depois venha nos contar como foi essa experiência.
      Bjs

  56. larissa

    ei fernanda,seu blog é maravilhoso e esta sendo uma mão na roda para minha eurotrip desse ano hahahaha
    vou fazer um bate e volta em veneza e fiquei um pouco em duvida em um percurso
    saindo da estacao santa luzia eu pego a linha 1 do vaporetto e paro na estacao salute para visitar a igreja de santa maria della salute,depois saindo de la eu pego qual linha do vaporetto e paro em qual estacao para visitar a piazza san marco?
    obrigada

  57. Priscilla

    Adorei o post! Ótimo resumo do que visitar em Veneza para quem tem pouco tempo lá. Tem contato desse gondoleiro que fez esse passeio sensacional com você por preço razoável e ainda foi comentando sobre os pontos turísticos?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Priscilla!
      Obrigada pelo elogio! 😀
      Infelizmente não tenho o contato dele. Nem mesmo o nome eu lembro, vc acredita? Fiquei tão absorvida no passeio que deletei mesmo da mente.
      Todos os gondoleiros costumam ser meio guias. O problema é o idioma, mas acho que eles estão acostumados a receber pessoas de toda parte do mundo. Eles devem ter alguma “saída” para isso.
      De qq forma, esse gondoleiro eu encontrei mais ou menos nas imediações da Piazza San Marco, se não me engano era perto da Ponte dei Ferali.
      Lembrando que essa viagem foi há quase 6 anos. Não sei se ele ainda está nesse mesmo ponto.
      Abs

  58. Marilise

    Oi Frernanda!
    Você lembra o nome do gondoleiro que fala o português?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Marilise!
      Desculpe a demora pela resposta.
      Infelizmente, não lembro. E o pios é que pergunto para a minha mãe e minha prima, que estavam comigo nessa viagem, e elas tb deletaram o nome do rapaz. A gente costuma brincar que parece até que ele foi uma aparição pra nós! Hehehe…
      Mas brincadeiras à parte, ele existe sim e fazia ponto num canal próximo a Piazza de San Marco, numa viela logo atrás. É difícil apontar ao certo, pois Veneza é um labirinto. Mas era pertinho da praça, entrando pra dentro do bairro.
      Abs

Totos os direitos reservados