Roteiro de Visita às Ruínas de Pompeia na Itália

Já pensou em visitar as ruínas de uma autêntica cidade da Roma Antiga, relativamente preservada? Então não perca este roteiro de visita a Pompeia, a cidade eternizada por uma tragédia.

Pompeia

Pompeia

Se você estiver passando alguns dias em Roma ou na região da Campania, uma ótima opção de passeio “bate e volta” é visitar as ruínas da lendária cidade de Pompeia.

Como adoro tudo que é relacionado ao tema “Roma Antiga”, não perdi essa oportunidade. Ainda mais que eu estava passando 4 dias nas proximidades, em Maio de 2013.

E realmente foi um passeio inesquecível, embora tenha sido feito em pouco mais de 4 horas. Eu só tinha uma manhã livre para a visita e, no final das contas, achei que foi tudo meio corrido. Mas deu pra ver bastante coisa.

Naquela altura da viagem, eu já tinha visitado o Forum Romano e o Palatino em Roma e, por mais que tenha gostado do passeio, confesso que fiquei um pouco frustrada ao encontrar tudo muito destruído.

Isso não acontece em Pompeia, onde encontramos as ruínas relativamente preservadas, com placas informando os nomes dos locais principais. Além disso, é possível passear por entre os antigos edifícios e até mesmo entrar em alguns deles.

Uma coisa que sempre achei incrível na história de Pompeia é o triste fato de que uma grande tragédia acabou sendo um presente para a sociedade moderna, pois as cinzas do vulcão soterraram e “congelaram” no tempo um exemplar genuíno de uma cidade do estilo romano – que permitiu aos arqueólogos da modernidade ver e entender muito sobre o cotidiano e o estilo de vida da Roma Antiga.

É bem provável que as ruínas de Pompeia tenham contado muita coisa sobre os costumes daquela época. E se duvidar, deve ter mostrado mais até do que as próprias ruínas da cidade de Roma.

Neste post trago o roteiro da minha visita, incluindo algumas curiosidades e impressões sobre o que vi. É uma ótima oportunidade para que você saiba o que ver em Pompeia.

Tentei fazer um artigo mais completo possível, para que o leitor ou leitora do blog possa entender melhor o significado das ruínas e saber um pouquinho da história da cidade – com o objetivo de enriquecer a sua visita e torná-la bem mais interessante.

Para começarmos, vamos a um breve relato sobre o evento-chave que selou o destino da cidade.

A Tragédia em Pompeia

A próspera cidade de Pompeia ainda restaurava seus edifícios – danificados após um grande terremoto ocorrido no ano 62 – quando no início de uma tarde de agosto do ano 79 (há estudiosos que afirmam ter sido em outubro), o vulcão Vesúvio entrou em erupção.

Reza a lenda que os habitantes de Pompeia não se deram conta do perigo iminente. Diferentemente do que imaginamos, primeiramente não houve um rio de lava descendo montanha abaixo, mas sim uma grande chuva de pedras-pome sobre a cidade.

Achando que era apenas mais um evento semelhante ao ocorrido 17 anos antes, num primeiro momento, a população fez o óbvio: correu para suas casas para se proteger da chuva de pedras. Aqueles que não morreram logo com uma pedrada na cabeça, ficaram abrigados esperando tudo acabar.

A chuva de pedras durante a erupção do Vesúvio

A chuva de pedras durante a erupção do Vesúvio

Só que a “chuva” não acabou e ainda gerou a segunda onda de mortes em Pompeia: o peso das pedras acumuladas nos tetos das casas fez com que eles desabassem sobre as pessoas que estavam abrigadas embaixo deles.

Quem sobreviveu a este segundo ocorrido decidiu, por fim, fugir correndo da cidade. Só que já era muito tarde, pois uma onda de fumaça tóxica, cinzas e rochas escaldantes invadiu Pompeia e fez com que a maioria maciça morresse sufocada, tentando escapar da catástrofe que selou o destino da cidade.

O material expelido pelo Vesúvio durante toda a erupção de 79 (que teria durado dias) soterrou por séculos os edifícios e os corpos das vítimas, varrendo Pompeia do mapa - assim como as suas vizinhas Herculano e Stabia, caindo todas no esquecimento.

Isso até o século 18, quando um projeto de construção de um aqueduto trouxe a cidade à tona novamente.

Esta versão relatada acima é a mais aceita hoje pelos estudiosos, que se basearam nas evidências arqueológicas e no relato de Plínio, o Jovem – que teria testemunhado o ocorrido e feito uma carta contando tudo a Tacito, um dos maiores e mais conhecidos historiadores da Antiguidade.

Reza a lenda que, por muitos séculos, o manuscrito de Plínio foi considerado um exagero por alguns, e até mesmo uma invenção, por outros. Isso até o século 18, quando a cidade e as evidências arqueológicas confirmaram a catástrofe relatada por ele.

Graças a isso, todas as erupções de grande magnitude, semelhantes a do Vesúvio em 79, passaram a ser chamadas de erupções plinianas.

Internet no celular durante a viagem

Não dá mais pra viajar para o exterior sem internet no celular. Para fugir das altas tarifas das operadoras a melhor solução é comprar um chip internacional antecipadamente e já chegar no destino com tudo funcionando. A EasySim4u oferece planos na Europa com conexão de internet 4G e opções de franquias de 10GB, 20GB e ilimitada para pacotes de 10, 20 ou 30 dias respectivamente.

Não perca a nossa resenha no post: Utilizando o chip da EasySim4U na Europa

Visitando Pompeia

Aproveitando que eu estava sediada em Sorrento e passando alguns poucos dias pela região, acabei reservando 1 dia para visitar Pompeia pela manhã e Nápoles à tarde.

Por isso, peguei o trem cedinho e fui até a entrada do sítio arqueológico.

Baseado na minha visita, já de cara tenho 2 dicas importantes pra você:

DICA 1: Chegue cedo à Pompeia, de preferência uns 15 min antes de abrir. Fiz isso e encontrei a bilheteria bastante vazia e sem filas. Tudo bem que visitei numa época de baixa temporada (Maio de 2013), mas depois das 10h da manhã o local ficou bastante cheio. Se você estiver visitando na alta temporada, certamente encontrará mais lotado. Por isso, evite perder tempo em filas: chegue cedo!

DICA 2: Se você gosta do tema Roma Antiga e/ou adora uma visita a um sítio arqueológico, é melhor tirar o dia todo pra visitar Pompeia. Eu tentei fazer tudo em uma manhã, mas achei bastante corrido e acabei o passeio com uma sensação de visita incompleta. O local é gigantesco (afinal, era uma cidade!) e com calçada irregular – o que impossibilita andar rápido. A menos que você prefira uma visita panorâmica, aconselho tirar o dia todo para conhecê-la. Inclusive, há restaurante e banheiro lá dentro, possibilitando que o visitante programe um passeio mais amplo.

Para facilitar a sua visualização no mapa (já que o local é enorme), separei o roteiro em 3 partes, como você pode ver na foto abaixo:

Roteiro em 3 partes

Roteiro em 3 partes

Logo na saída da estação de TREM encontramos a entrada principal de Pompeia ( E ), conhecida como Porta Marina – a antiga via de saída para o mar nas épocas áureas.

As ruínas vista da entrada do sítio arqueológico

As ruínas vista da entrada do sítio arqueológico

Comprei o ingresso na bilheteria que havia por lá, peguei o mapa e esperei a hora de abrir.

Já dali a gente consegue ver a grandiosidade das ruínas e como elas estão muito mais preservadas que as de Roma. Vemos paredões altos e o calçamento de pedras bastante intacto.

Aliás, há 3 coisas interessantes que me chamaram atenção nesta visita:

• O fato dos edifícios estarem bem preservados, apesar da maioria ter apenas as paredes (os tetos ruíram com o peso da chuva de pedras-pome na época da erupção, lembra?). Somente alguns tiveram seus telhados reconstruídos, com o objetivo de preservar as pinturas e detalhes daquele determinado edifício.

E o incrível é que estes edifícios poderiam estar bem mais inteiros do que estão hoje em dia, se não estivessem em fase de reconstrução e restauração na época da tragédia. Ou seja, quando a erupção em 79 varreu a cidade, ela já se encontrava um pouco em ruínas por causa do terremoto do ano 62;

As ruas ainda manterem o calçamento original. É muito louco pensar que estamos caminhando no exato local onde, há quase 20 séculos (!!!), caminharam os cidadãos de Pompeia. Inclusive, ainda podemos ver em algumas ruas, os vestígios das rodas das bigas romanas que passavam por ali, bem como um trio de pedras que, dizem, facilitava a travessia do pedestre de uma calçada até outra;

Ruas de Pompeia: as marcas das rodas das bigas (esq) e as pedras no meio da rua (dir)

Ruas de Pompeia: as marcas das rodas das bigas (esq) e as pedras no meio da rua (dir)

• O fato de que uma parte considerável do local ainda não ter sido escavada. Há equipes de arqueólogos trabalhando em Pompeia, enquanto estamos visitando o sítio. Já parou pra pensar as maravilhas que devem estar ainda enterradas naquele local, esperando pra serem descobertas?

Os objetos achados nas ruínas não estão em Pompeia. Foram todos levados para o Museu Arqueológico de Nápoles, para ficarem preservados. O máximo que encontramos são galpões com alguns jarros, ânforas, estátuas, frisos e outros objetos antigos, assim como os impressionantes moldes dos corpos das vítimas da tragédia, espalhados pelo local (falaremos mais sobre isso adiante).

Outra coisa incrível desta visita foi perceber a semelhança urbanística da época da Roma Antiga com a nossa atual. Nos deparamos lá dentro com padarias, templos, mansões, fontes, teatros e até prostíbulos – tal como qualquer cidade da atualidade. Quase 2000 anos nos separam dela e, mesmo assim, não notamos muita diferença com relação a nossa concepção de “cidade”.

Um parênteses aqui... Há uma coisa que sempre me intrigou: onde foi parar essa noção avançada de urbanismo e os costumes romanos durante a Idade Média? Como é que a humanidade deixou escapar esses avanços e não aproveitou (ou desenvolveu) isso nos séculos seguintes? Basta visitar qualquer cidade medieval da Europa pra notar que elas são muito diferentes e um tanto desorganizadas, urbanisticamente falando.

É muito louco pensar que somente no início do século 20 é que a humanidade começou a fazer reformas urbanísticas e construções que se assemelham às antigas cidades romanas.

Deixando a filosofia de lado, vamos começar o roteiro da minha visita propriamente dita...

1 – Via Marina, Forum de Pompeia e Casa de Fauno

1ª parte do roteiro

1ª parte do roteiro

Logo que passamos pela Porta Marina ( P ), após uma pequena subida, nos deparamos com a VIA MARINA, a rua que dava acesso a grande praça pública de Pompeia – o seu Forum.

Ao longo da via encontramos 3 ruínas de edifícios importantes da cidade:

Templo de Vênus

Templo de Vênus

A. Templo de Vênus – O grande espaço com restos de colunas e frisos pelo chão que vemos hoje era onde ficava o templo de adoração a deusa Vênus, uma das padroeiras de Pompeia. Segundo evidências arqueológicas, estava na fase final de reconstrução (devido ao terremoto de 62) quando ocorreu a erupção.

Basílica

Basílica

B. Basílica – No espaço logo em seguida e do mesmo lado do Templo de Vênus, fica um dos edifícios mais antigos da cidade (datado de 120 a.C.): a Basílica. Nela, ocorriam atividades de natureza jurídica e política de Pompeia.

Hoje, vemos grande parte de suas paredes e as bases de suas colunas. Achei interessante notar enorme tamanho que tinha o edifício, dando pra imaginar a grandiosidade dele nas épocas áureas.

Templo de Apolo

Templo de Apolo

C. Templo de Apolo – Do outro lado da calçada da Via Marina, na altura da Basílica, está um dos edifícios mais famosos de Pompeia: o Templo de Apolo. Pesquisas arqueológicas revelaram que era um dos principais da cidade, já que Apolo era outro padroeiro de Pompeia.

Hoje, vemos as paredes do entorno, os restos do pórtico que o rodeava (com as ruínas dos frisos e das colunas), o pódio onde ficava o templo e a base das paredes, com algumas colunas.

Outros destaques são: a réplica de bronze da estátua de Apolo próximo ao pórtico lateral e uma coluna branca ao lado do templo, onde existia um relógio solar no topo.

A Via Marina termina na grande praça pública da cidade: o FORUM DE POMPEIA.

O Forum (esq) e o grande culpado de tudo (dir)

O Forum (esq) e o grande culpado de tudo (dir)

De formato retangular e enorme, o Forum era rodeado por um pórtico de colunas (cujos vestígios ainda são vistos) e importantes edifícios no entorno e no centro. São eles:

Portal do Edifício de Eumachia

Portal do Edifício de Eumachia

D. Edifício de Eumachia – Acredita-se que era uma espécie de indústria têxtil de Pompeia, onde se controlava a produção de tecidos da cidade. Era dedicado à sacerdotisa Eumachia, em nome da associação dos comerciantes de lã.

Hoje, vemos as paredes que delimitavam o edifício e o enorme espaço que ele ocupava. Mas o destaque mesmo é o portal que dá para o Forum, onde vemos entalhes de folhas esculpidos.

Durante a sua visita, não deixe de notar também a presença de 2 tribunas de cada lado do portal. Ali ficavam estátuas de membros da dinastia de Julio Cesar e do Imperador Romano Augusto.

Templo do Genio de Vespasiano

Templo do Genio de Vespasiano

E. Templo (do Gênio) de Vespasiano – Logo ao lado, ficava um templo que ainda estava incompleto no momento da erupção do Vesúvio. Acredita-se que era dedicado provavelmente ao Imperador Vespasiano – ou melhor dizendo, ao seu “Gênio”, pois não era de costume adorar a figura do Imperador em primeira pessoa.

Há vertentes que acreditam que, na verdade, era dedicado ao “gênio” de Augusto.

Além das paredes do entorno e do templo propriamente dito, o destaque que vemos hoje é uma espécie de altar de mármore situado em frente ao pódio do templo, decorado com relevos retratando o sacrifício de um touro – uma cerimônia que era feita na Roma Antiga, em honra a um Imperador vivo.

Macellum

Macellum

E. Macellum – Era o antigo mercado de alimentos de Pompeia. Com paredes bem preservadas, ele também se recuperava do terremoto de 62 – tal como os outros edifícios do Forum.

Aqui é possível entrar no edifício, que possui um espaço central em formato de dodecaedro e bases de colunas – onde se acredita que era a peixaria do lugar. Ao fundo, ficavam os mercados de carne (à direita), uma sala dedicada à Família Imperial (no centro) e uma sala à esquerda, cuja função não se sabe bem até hoje.

Mas o maior destaque, sem dúvida, é a parte que fica atrás da fachada pro Forum. Nas paredes, vemos várias pinturas originais da época e, logo em frente, há 2 corpos, protegidos por uma redoma de vidro.

Corpos de 2 vítimas de Pompeia

Corpos de 2 vítimas de Pompeia

Todo mundo que visita Pompeia já sabe que vai encontrar os tais moldes dos corpos das vítimas. Mas nada se compara ao impacto que é ficar cara-a-cara com eles, ao vivo e a cores...

Gente... O molde é tão perfeito que você consegue ver os detalhes da roupa da pessoa. E o mais impressionante: a expressão facial de desespero e a posição da vítima no exato momento de sua morte (ocorrida de imediato, graças ao contato com a onda de cinzas escaldantes expelidas pelo vulcão).

Templo de Júpiter

Templo de Júpiter

F. Templo de Júpiter – Voltando ao Forum, o edifício que fica em destaque ali é o antigo templo dedicado ao culto de Júpiter, o “deus dos deuses”. No subsolo, ficava guardado o tesouro público.

O que vemos hoje é apenas o pódio onde ele ficava, a escadaria de acesso e os resquícios do templo propriamente dito.

Durante a visita, note também os arcos triunfais de cada lado do templo. Eles delimitavam o lado norte do Forum. Reza a lenda que cada um possuía uma estátua equestre de um Imperador Romano (provavelmente Tibério e Germanico).

Já contratou o Seguro Viagem?

Você sabia que quando se viaja para a Europa a contratação de um seguro viagem com cobertura mínima de 30 mil euros é obrigatória? Então, faça agora mesmo uma cotação na Seguros Promo e escolha entre as melhores seguradoras sempre com ótimo custo benefício. Aproveite esse cupom especial do Black November, disponível por tempo limitado, e garanta um desconto de 15% pagando no cartão ou economize 20% no boleto. Utilize o código: BLACK.

Galpão

Galpão

G. Galpão – Aqui há uma série de peças arquivadas em prateleiras, parecendo mais uma espécie de “arquivo arqueológico”. Há vasos, ânforas, frisos e estátuas expostos ali, que podem ser vistos através de uma grade.

Vemos também mais alguns moldes de corpos, com destaque para o impressionante rapaz sentado todo encolhido, em posição de reza (foto ao lado). Muito provavelmente estava implorando aos deuses pela vida, quando as cinzas escaldantes invadiram a cidade...

Estando de frente para o Templo de Júpiter e passando pelo arco triunfal da direita, chegamos à Via del Foro. Nela, há outros edifícios delimitados por paredes intactas.

Via del Foro

Via del Foro

Logo à esquerda, encontra-se um Restaurante do sítio arqueológico (o R em azul escuro no mapa). Ali você pode parar para um lanche ou almoço durante sua estada em Pompeia. Há banheiros por lá também.

Seguindo por esta rua e chegando ao primeiro cruzamento, encontramos outro destaque nas ruínas de Pompéia:

Templo da Fortuna Augusta

Templo da Fortuna Augusta

H. Templo da Fortuna Augusta – Trata-se de um pequeno templo, construído pelo magistrado Marcus Tulius (com o dinheiro de seu próprio bolso) em honra a deusa Fortuna. Continha também uma estátua dedicada ao Imperador Augusto, o “pai da pátria” (Pater Patriae). Ainda estava bastante danificado na época da erupção, devido ao terremoto de 62.

O curioso é que, reza a lenda, a cada mudança de Imperador, colocavam alguma nova homenagem (provavelmente uma estátua) em sua honra neste templo.

Seguindo pela Via della Fortuna, logo nos deparamos com a casa mais famosa de Pompéia:

Casa de Fauno

Casa de Fauno

I. Casa de Fauno – Era a maior casa da cidade, uma espécie de mansão (reza a lenda que esta era uma área nobre de Pompeia). Não se sabe ao certo a quem pertencia, mas seu nome se deve à presença de uma pequena estátua do deus Fauno no centro do pátio de entrada da casa.

É possível entrar nas ruínas da mansão e ver de perto como era a disposição de uma casa abastada da Roma Antiga, com vários pátios internos, fontes e jardins, rodeados por salas e quartos. Tinha até uma termas particular.

Além da estátua dançante de Fauno, destaco os mosaicos do chão da casa e os resquícios das antigas colunas e frisos, que enfeitavam o edifício. Muito bonito e interessante.

Um dos mosaicos e a parte dos fundos da Casa de Fauno

Um dos mosaicos e a parte dos fundos da Casa de Fauno

Aliás, Pompeia é cheia de casas com nomes curiosos, sempre fazendo referência a alguma pintura ou estrutura presente no local.

Por exemplo, tem a “Casa do Urso Ferido”, a “Casa do Poeta Trágico”, “Casa da Vênus na Concha” e assim por diante. A maioria delas está relativamente bem preservada em com boa parte das pinturas ainda visíveis. Veja só na foto abaixo:

Casa do Urso Ferido (esq) e Casa da Vênus na Concha (dir)

Casa do Urso Ferido (esq) e Casa da Vênus na Concha (dir)

Continuando pela Via della Fortuna e virando na primeira rua à esquerda, encontramos logo a frente um exemplar de uma padaria de Pompeia.

Panifício

Panifício

J. Panifício – Há outras pela cidade, mas essa chamou a atenção dos arqueólogos por ter sido encontrada relativamente inteira. Reza a lenda que, inclusive, encontraram pães carbonizados no local.

Adentrando a ruína da padaria, ainda podemos ver o forno onde o pão era assado e os moinhos, onde os padeiros trituravam os grãos.

Minha ideia era continuar seguindo por esta rua da padaria, mas o acesso estava fechado no dia da minha visita. Por isso, precisei voltar ao Forum e seguir para a 2ª parte desta visita.

2 – Lupanare, Termas Stabianas, Templo de Isis e os Teatros

2ª parte do roteiro

2ª parte do roteiro

A Via dell’Abbondanza, que começa à partir do Forum, era uma espécie de rua comercial da cidade e contém uma série de casas e tabernas.

Ela cruza com outra avenida principal de Pompeia, a Via Stabiana, onde encontra-se um dos maiores banhos públicos da cidade.

Antes de ir até ela, virando numa rua antes à esquerda e seguindo em frente, chegamos a um dos pontos mais visitados de Pompeia:

Lupanare

Lupanare

L. Lupanare – Era um dos vários prostíbulos que existiam em Pompeia. Sobreviveu relativamente intacto à erupção do Vesúvio e está bem preservado graças à reconstrução do teto.

E é realmente um ponto bastante procurado pelos turistas, tanto que havia uma pequena multidão na entrada para visitá-lo, como você pode conferir na foto. E tinha de tudo: casal de velhinhos, famílias inteiras...

O lugar é realmente minúsculo e ainda preserva os quartos onde os “serviços” eram prestados. Na verdade são verdadeiros cubículos, com uma cama de pedra – onde, acredito eu, devia haver algum colchão (ou será que não?).

Em cima de cada quartinho ainda vemos as pinturas eróticas, originais da época. Reza a lenda que era uma espécie de “cardápio”, embora haja vertentes que dizem que representavam a “atividade” praticada em cada cubículo.

O quarto do Lupanare (esq) e o cardápio de serviço (dir)

O quarto do Lupanare (esq) e o cardápio de serviço (dir)

Saindo do Lupanare, voltei até a Via dell’Abbondanza até o cruzamento com a Via Stabiana.

Termas Stabianas

Termas Stabianas

M. Termas Stabianas – Uma das mais bem conservadas de toda a Itália, ainda se pode ver bastante coisa, como os salões das piscinas e vestiários.

Infelizmente não entrei para conhecê-la, pois a essa altura do dia, o local já estava bastante cheio e a fila pra entrar era enorme. E eu ainda tinha que conhecer o restante do sítio arqueológico antes de encerrar a visita e ir para Nápoles.

Descendo a Via Stabiana à direita, fui visitar mais um conjunto de ruínas famosas de Pompeia:

Templo de Isis

Templo de Isis

N. Templo de Isis – o templo de culto à deusa egípcia e das outras 2 figuras com quem formava uma espécie de “Santíssima Trindade” da Antiguidade: Horus e Osíris.

Está bem preservada graças ao fato de ter conseguido ser reconstruída após o terremoto de 62 e antes da erupção. Tal como outros edifícios religiosos da cidade, restou o pódio e a escadaria de acesso. Mas diferentemente dos outros, aqui restou também parte das colunas e das paredes do templo.

Um destaque é a pequena “casa” anexa, chamada de Purgatorium – cujo subsolo guardava uma amostra da água do Rio Nilo, utilizada nas cerimônias de purificação.

O. Teatro Grande – É um anfiteatro semicircular em estilo grego, com capacidade para 5.000 expectadores, que recebia espetáculos de gladiadores.

P. Teatro Piccolo – Uma cópia em menor escala do vizinho Teatro Grande, possuía um palco onde eram apresentados espetáculos de música, leitura de poesias e peças de teatro. Tinha capacidade para 800 pessoas e era coberto.

Teatro Grande (esq) e Teatro Piccolo (dir)

Teatro Grande (esq) e Teatro Piccolo (dir)

Chamou-me a atenção o fato dos 2 teatros estarem bastante preservados. A arquibancada está praticamente intacta, inclusive com alguns trechos ainda com o revestimento de mármore original. Daria até pra fazer apresentações ali, hoje em dia.

3 – Via dell’Abbondanza, Fullonica di Stephanus, Tabernas, Casa da Vênus na Concha, Jardim dos Fugitivos e Anfiteatro

3ª parte do roteiro

3ª parte do roteiro

A parte final do passeio foi bastante corrida pra mim, pois a tarde já tinha chegado e eu precisava ir embora.

Saindo dos teatros e voltando a seguir pela Via dell’Abbondanza, fui apreciando os edifícios presentes nela, muitos deles tão bem preservados que ainda possuem as pinturas decorativas nas paredes e alguns mosaicos.

Logo no início, um dos destaques entre as casas desta rua:

Fullonica di Stephanus

Fullonica di Stephanus

Q. Fullonica di Stephanus – Era uma lavanderia e tinturaria que pertencia a algum homem chamado Stephanus.

Possui ainda parte das pinturas nas paredes e alguns tanques onde as roupas sujas eram lavadas e as novas eram amaciadas, no processo final de sua produção. Reza a lenda que eles utilizavam água e urina pra isso. Eca...

Taberna

Taberna

Seguindo adiante pela Via dell’Abbondanza, encontramos à nossa direita uma série de tabernas, a maioria muito bem preservada.

Ainda conseguimos ver os balcões de atendimento (decorados com mosaicos de pedras), os buracos onde colocavam os alimentos a serem servidos e as pinturas decorativas nas paredes. Impossível não imaginar como devia ser em outras épocas.

Do outro lado da rua, percebemos vários edifícios ainda em processo de escavação. Na verdade, grande parte da área toda que está atrás dela ainda está soterrada.

Dali já conseguimos ver algumas coisas interessantes, como as pixações nas paredes (reza a lenda que o povo fazia seus protestos grafitando os muros) e também vestígios de pinturas nas ruínas em escavação.

Pintura do edifício em escavação (esq) e pixações nas paredes (dir)

Pintura do edifício em escavação (esq) e pixações nas paredes (dir)

Virando na Via dei Fuggiaschi e seguindo-a até o final, chegamos a um dos pontos altos da visita à Pompéia:

Jd. dos Fugitivos

Jd. dos Fugitivos

R. Jardim dos Fugitivos – Local onde se encontram um grupo de corpos de vítimas da erupção, que tentavam desesperadamente fugir da cidade quando foram surpreendidos pela onda de fumaça e cinzas escaldantes, levando-os à morte imediata.

Tal como citei anteriormente, os corpos estão paralisados na exata posição em que estavam no momento em que morreram.

Mesmo tendo visto alguns deles lá no Forum, achei o conjunto que estava aqui mais impactante – não só por ter mais exemplares, mas também porque haviam corpos de crianças ali. Um triste retrato da catástrofe que não poupou nada e nem ninguém em 79.

As vítimas que tentaram se salvar da tragédia

As vítimas que tentaram se salvar da tragédia

CURIOSIDADE: Você sabe como é que os arqueólogos conseguiram adquirir esses moldes dos corpos?

Foi através de uma técnica simples e genial, criada por Giuseppe Fiorelli no século 19.

Após invadir a cidade de Pompeia, as cinzas escaldantes do Vesúvio se depositaram sobre as ruínas da cidade (e dos corpos das vítimas) e logo em seguida resfriaram e petrificaram – tal como se jogássemos um cimento.

Com o passar dos anos, os corpos entraram em decomposição, sobrando apenas os seus ossos e o espaço em que eles ocupavam – que acabou gerando uma espécie de molde natural.

Quando os arqueólogos descobriam a presença de algum desses "moldes", faziam uma pequena abertura e injetavam gesso lá dentro até preencher todo o espaço vazio.

Uma vez seco, eles continuavam a escavação até desenterrar o molde pronto do corpo daquela vítima.

Para conseguir visualizar melhor este processo, veja este excelente esquema, extraído do site do arqueólogo Emiliano Tufano.

Minha visita às ruínas se encerrou nesse ponto, pois a hora estava bastante avançada e, como citei anteriormente, eu ainda iria visitar Nápoles naquele mesmo dia. Voltei pela Via dell’Abbondanza e segui reto até sair pela Porta Marina.

Se não tivesse tão tarde, eu teria seguido em frente e visitaria mais 2 ruínas importantes do sítio arqueológico de Pompeia:

Casa da Vênus na Concha

Casa da Vênus na Concha

S. A Casa da Venus na Concha – Uma residência particular, cujo afresco na parede chamou a atenção dos arqueólogos por possuir o desenho o nascimento da deusa Vênus numa concha – um pouco parecida com o famoso quadro de Botticelli, pintado mais de 1.400 anos depois.

Anfiteatro

Anfiteatro

T. Anfiteatro – Uma espécie de Coliseu de Pompeia, também está bastante preservado (bem mais do que o de Roma). Com capacidade para 20.000 pessoas e em formato oval, ali ocorriam lutas de gladiadores e corridas de biga.

É considerado o anfiteatro romano mais antigo já descoberto até hoje.

Há mais coisas a serem visitadas em Pompeia?

Com certeza!

Há muitas outras ruínas interessantes espalhadas pelo sítio arqueológico que merecem uma visita. Mas eu só tinha uma manhã disponível, de modo que precisei resumir o roteiro. E mesmo assim, fiquei mais tempo do que o planejado por lá.

Apesar de haver outros belos destaques em Pompeia, não posso deixar de citar um dos mais bonitos e procurados pelos visitantes – a Villa dei Misteri (ou Vila dos Mistérios).

Localizada na periferia de Pompeia, trata-se de uma antiga residência cujas paredes ainda contém os afrescos magníficos, muito bem preservados, retratando rituais dionisíacos.

As belas pinturas da Villa dei Misteri

As belas pinturas da Villa dei Misteri

Como chegar a Pompeia?

A melhor forma é indo de TREM. A estação que deixa em frente à Porta Marina pertence à linha da Ferrovia Circumvesuviana que liga Nápoles a Sorrento.

A estação que você deverá saltar é a Pompeii Scavi-Villa dei Misteri. Ela fica mais ou menos na metade do caminho entre as 2 cidades, sendo uma média de 20 a 30 min de viagem, dependendo de qual delas a pessoa vem.

Pra quem estiver de CARRO, há um estacionamento ao lado do sítio arqueológico. Dizem que é caro e não vale a pena – já que a passagem de trem é barata e muito perto da entrada principal.

Alugar um carro pode ser uma ótima opção

A melhor forma de explorar um novo destino, com liberdade total, é alugando um carro. Em muitos casos você poderá economizar, evitando despesas com translados e deslocamentos em geral. Será que vale a pena? Faça uma cotação online na RentCars e encontre as menores tarifas entre as principais locadoras. Você tem a vantagem de poder pagar em reais, sem IOF, e ainda parcelar no cartão.

Mais dicas e informações para quem vai visitar Pompeia

Prepare-se para andar bastante. Como comentei no post, o sítio arqueológico é gigantesco.

Utilize um calçado confortável, de preferência um tênis. O chão é todo irregular, cheio de paralelepípedos e com um espaço grande entre eles. Em algumas ruas, o meio-fio é alto e as calçadas possuem uma espécie de cascalho. É preciso ter atenção e calma para caminhar pelas ruínas.

• Se o dia estiver muito quente ou com um sol de rachar (como ocorreu no meu caso), use protetor solar e chapéu ou boné. Caí na besteira de esquecer os dois e terminei o dia bronzeada e com a marca da minha blusa nos braços e no pescoço.

Leve uma garrafinha. Há torneiras de água potável (e boa) espalhadas pelo sítio arqueológico.

• Obtenha mais informações sobre o horário de abertura e preço do ingresso para visitar Pompeia, disponibilizados no site oficial.

• Se preferir, há ingressos combinados para visitar Pompeia e os sítios de Herculano e Stabia, disponibilizados no mesmo site oficial.

• Não perca também nossas dicas de sobrevivência para quem vai à Itália, para que você não entre em nenhuma roubada e desfrute ao máximo a visita a esse maravilhoso país.

• Caso esteja planejando passear por várias cidades italianas e quer uma sugestão de roteiro completo, não deixe de conferir nosso Roteiro de 18 dias pela Itália.

• Se preferir sugestões separadas por cidades, confira também meus roteiros de visita a Sorrento, Nápoles, Costa Amalfitana, Ilha de Capri, Roma, Florença, dentre muitas outras. Ou então, acesse todo o nosso conteúdo publicado sobre a Itália.

Vai Viajar?

 Encontre o hotel perfeito para sua próxima viagem com garantia do menor preço. O nosso blog tem parceria com o Booking, serviço que te ajuda a comparar preços de hospedagem em qualquer lugar do mundo de maneira rápida e segura. Você ainda pode fazer uma reserva com a opção de cancelamento gratuito e deixar para pagar só na hora do check-in. Garanta sua reserva de hotel agora mesmo.

 Não esqueça do seguro viagem. Economize tempo e dinheiro fazendo uma cotação na Seguros Promo. Encontre os melhores planos das principais seguradoras por preços imbatíveis. Aproveite esse cupom especial do Black November, disponível por tempo limitado, e garanta um desconto de 15% pagando no cartão de crédito ou economize 20% no boleto bancário. Utilize o código promocional: BLACK.

 Compre um chip internacional e se mantenha conectado durante sua viagem. A Easysim4u oferece planos sob medida na Europa com conexão de internet 4G franquias proporcionais ao número de dias do pacote. Você recebe o chip em sua casa, de forma antecipada, e chega em seu destino com tudo funcionando. Compre com 10% de desconto usando o nosso cupom exclusivo: PARAVIAGEM10.

 Encontre as melhores datas para a sua próxima viagem e economize na hora de comprar as passagens aéreas. Usando a plataforma do Passagens Promo você pode pagar com cartão de crédito em parcelas sem juros e sem cobrança de IOF. A empresa conta ainda com selo de qualidade no atendimento. Agora não tem mais desculpe, partiu Pompeia!

Reservando com nossos parceiros, além de garantir o menor preço e um serviço de qualidade, você também ajuda a manter o blog e nos motiva a produzir cada vez mais conteúdo.

Galeria de Fotos:

61 Comentários
  1. Marcela

    Olá Fernanda, estou indo a Pompeia amanhã, passei para pegar umas dicas. Pena que o museu estará fechado amanhã (não abre terça feira), mas já é um bom motivo para voltar 😉
    Adorei seus relatos bem detalhados sobre Roma e Innsbruck!
    Obrigada pelas dicas

  2. Jair

    Marcela,

    Pretendo conhecer Pompéia em janeiro. Numa pesquisa na internet encontrei suas valiosíssimas e detalhadas informações: parabéns! Estão muito bem elaboradas e escritas do jeito que um turista andarilho gosta de ler, com dados práticos e objetivos.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Jair!
      Obrigada pelo elogio! 🙂
      Fico muito contente por meu post ter ajudado no seu planejamento. Pompeia é incrível, pra quem gosta de história e sítios arqueológicos, é um passeio imperdível.
      Uma excelente viagem pra vc!

  3. Gina

    Estive em Pompeia em 2008 e acredita que só agora estou organizando as fotos, nomeando os lugares? Tenho um blog de culinária (NacoZinha) e já fiz um post falando sobre Pompeia, numa associação de espiritualidade e gastronomia.
    Seu post me foi muito útil na confirmação dos lugares visitados e fiquei com a mesma sensação que você, que ainda faltou muito. Um dia inteiro seria, de fato, o ideal.
    Um abraço.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Gina!
      Eu também levei um tempão organizando as minhas, entendo perfeitamente. 🙂
      Pompeia é incrível, ainda mais quando a pessoa gosta de história, de sítios arqueológicos… Aí fica um passeio bem especial.
      Gostei muito do seu blog!
      Abs

  4. Danielle

    S E N S A C I O N A L esse post Fernanda. Amei seu roteiro pela Itália e confesso que estou copiando para visitar no final de 2016 esse lugar incrível.
    Obrigada por relatar tao perfeitamente sua viagem e informações tão e essenciais para quem quer conhecer a Itália.
    Bj
    Danielle

    • Fernanda Rangel

      Oi de novo, Danielle! 😀
      Eu que agradeço o elogio!
      Fico muito contente dos posts estarem ajudando no seu planejamento. Pode ficar à vontade!
      Que a sua viagem à Itália seja tão incrível quanto foi a minha.
      Bjs

  5. Christina

    Fernanda, seus roteiros ajudam muito, mas esse foi o máximo, não vou precisar nem de guia para visitar Pompéia! Muito obrigada pela ajuda e parabéns pelo blog, já coloquei entre os meus favoritos.
    Até mais!

    • Fernanda Rangel

      Eu que agradeço o elogio, Christina!
      Fiquei muito contente pelos posts estarem ajudando no seu planejamento.
      Sou meio suspeita para falar desta visita à Pompeia, pois eu adoro esse tema de antiguidade e história. Mas que esse passeio foi especial, isso foi… Certeza que o seu tb será.
      Abs

  6. Marcelo

    Fernanda,
    Eu normalmente não costumo comentar em sites ou blogs (nem Facebook! ahaha), mas faço questão de comentar este seu roteiro. Sensacional a sua descrição! Apenas como curiosidade, você comentou que poderia ter eventos nos teatros de Pompéia, tamanho o estado de conservação, e na verdade o Pink Floyd gravou disco lá, chama-se “Live at Pompei”.
    Mais uma vez, parabéns pelo seu excelente roteiro!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Marcelo!
      Fico lisonjeada pelo comentário e pelo elogio! 😀
      Achei Pompeia tão incrível e vi tão poucas informações sobre ela no meu planejamento pré-viagem, que prometi pra mim mesma que faria um post o mais informativo possível quando voltasse, para que pudesse ajudar aqueles que também se interessam pelo tema e/ou que buscam informações sobre o passeio.
      E vc tem razão: o Pink Floyd tem uma gravação feita lá, mas pelo que vi aqui, foi sem platéia. Uma pena… Já pensou como ia ser incrível um show deles (convencional) no anfiteatro?
      Abs

      • Gustavo Comeli

        Oi Fernanda.
        Primeiramente parabéns pelo post, sensacional. Estou indo agora em Janeiro e com certeza vai me ajudar.

        O David Gilmour (guitarra e vocal do Pink Floyd) fez dois shows em Julho de 2016 no anfiteatro que virou DVD/Blu-ray, vale a pena conferir, as imagens são lindas e a produção impecável.

        Abraços

        • Fernanda Rangel

          Oi, Gustavo!
          Obrigada pelo elogio! 😀 Fico muito contente pelo post ter lhe sido útil.
          Deve ter sido incrível mesmo. Ainda não parei pra assistir o vídeo desse show.
          Abs

  7. Alberto Porto

    Olá Fernanda,
    Irei à Pompéia no final deste mês. Gostaria de saber se A Casa de Fauno e a Vila dos Mistérios necessitam de reserva prévia para visitação. Aproveito para elogiar o Blog; pois é de alto nível! Parabéns!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Alberto!
      Obrigada pelo elogio!
      Não visitei a Villa dei Misteri. Por isso, dei uma pesquisada no site oficial de Pompeia agora há pouco e eles não falam nada se precisa de reserva. Creio que não, pois não há ingresso separado ou qualquer sinal de agendamento no site.
      Já a Casa de Fauno eu visitei e não precisa. É chegar e entrar.
      Abs

      • Alberto Porto

        Obrigado pela presteza, Fernanda! Quanto voltar de viagem, entrarei em contato para relatar minhas experiências.

  8. Mario Carvalho

    Parabens Fernanda, li seu relato inteiro e vou me basear em alguns lugares que eu vou na sua viagem hehe, está de parabens. Muito bem explicado e com varias dicas. Curti o site. vlww 😀

  9. Paulo Cezar dos Santos

    Ola Fernanda, estou indo para Pompeia na próxima semana, achei sua descrição show de bola, vou fazer os seu roteiros, muito obrigado

  10. Alice

    Estou me preparando para ir para a Itália em outubro e seus posts estão ajudando MUITO! Adoro como voce relata suas viagens, com detalhes, sem deixar de ser prática. Sei que exige muita dedicação. Parabéns e obrigada pela ajuda!

  11. Felipe Ramirez

    Fernanda,
    Eu e minha esposa acabamos de chegar de Pompéia e fizemos exatamente o roteiro que você indicou. Isso nos salvou um tempo precioso, já que também tinhamos planejado um passeio pelo Vesuvio na sequência. Deu tudo certo. Muito obrigado pelas dicas e parabéns pelo site.

  12. Maria

    Todos os posts da Itália estão ótimos, mas esse é sensacional! Obrigada por nos ajudar na nossa tarefa em montar nosso roteiro!! Parabéns!

  13. SINITI

    Olá Fernanda, estou indo com a familia pra Italia e tinha até pensado em contratar um guia turístico só pra Pompeia, mas lendo esse seus posts, bem explicadinho, inclusive com fotos, decidi dispensar o guia. Parabens e obrigado pelas dicas. No retorno te contarei como foi. Abraços!

  14. Renato

    Olá Fernanda,

    Parabéns e obrigado pelas dicas. Sensacional seu post.
    Começo agora a me preparar para ir no segundo semestre de 2017 mas uma grande preocupação minha é que ouvi dizer que existem épocas do ano que o acesso as ruínas é restrito devido a manutenção.
    Sabe algo sobre isso e que época ocorre ?
    Minha viajem vai ser curta e não posso me dar ao luxo de não poder entrar porque está fechado.
    É pra mim de fato um sonho a ser realizado sob vários aspectos e não gostaria que nada desse errado.
    Obrigado

    • Fernanda Rangel

      Olá, Renato!
      Desculpe a demora pela resposta. E agradeço o elogio! 🙂
      No site oficial (veja aqui) há um link que te mostra a lista de edifícios abertos à visitação. Mas não especifica se haverá alguma restrição para o 2º semestre…
      Por via das dúvidas, eu mandaria um e-mail pra administração. Eles informam o endereço aqui.
      Abs

  15. Carolina

    Boa noite. Otimo blog. esse sittio de herculano e stabia sao pertos, na compra do combo? Muito obrigada

  16. Rebeca

    Fernanda, obrigada por todas as suas informações! Estava tentada a contratar um guia, mas pelo que percebi não será necessário. Esses detalhes estão no folheto explicativo que tem lá ou foi baseado em pesquisa?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Rebeca!
      Esse post foi baseado em pesquisas na web que fiz antes de visitar (levei anotado num papel pra me guiar quando estivesse lá). E tb utilizei informações de um livreto que comprei num camelô em frente à entrada, que trazia histórias e curiosidades sobre Pompeia, contendo também algumas fotos de como eram e como estão hoje alguns pontos da cidade. E é em português ainda por cima! Uma lembrancinha bem bacana pra trazer de recordação.
      Mas existem passeios guiados que vc pode agendar na entrada da atração, no dia da visita.
      Abs

  17. Ana Maria Madeira de Freitas

    Fernanda, bom dia!!! Estivemos na quinta-feira na Pompeia e seguimos seu roteiro. Parabéns pelo trabalho, sua descrição do lugar é tão perfeita que com ela em mãos não precisamos de guia, gastamos 5 horas lá e no fim já estávamos bem cansados, já que viemos de Roma e voltaríamos no mesmo dia e a viagem é um pouco longa de trem.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Ana Maria!
      Obrigada pelo elogio! 😀
      Fiquei muito contente pelo post ter sido útil para a sua visita à Pompeia. É um passeio incrível, não é? Foi um dos que mais gostei de fazer na Itália.
      Grande abraço.

  18. Raquel Araujo Godoy

    Oi Fernanda,

    Já é a terceira pergunta que faço nos seus posts que estou seguindo como Guia da Vida pra minha viagem de setembro. Vou estar hospedada em Sorrento tbm, pretendo fazer o checkout no hotel e ir pra pompeia, deixar a mala no armário deles lá e ai seguir pra Nápoles onde fico hospedada no meu ultimo dia de viagem. A minha pergunta é quando você diz ‘sai cedinho’ é que hora? Vi que na data que vou, pompeia abre as 8:30, como vc falou que a circunvesuviana demora Uma hora mais ou menos, devo sair de Sorrento umas 7:30? Naquele esquema de comprar o bilhete um dia antes ne? rs

    • Fernanda Rangel

      Oi, Raquel!
      Fico muito contente do blog estar lhe sendo útil mais uma vez! 😀
      O ideal é chegar uns 15 minutos antes de abrir. Levando em consideração que abre 08:30, o ideal é estar lá umas 08:15.
      Eu sairia de Sorrento umas 07:30, no máximo. Pompeia fica mais ou menos no meio do trajeto entre Sorrento e Nápoles, ou seja, em uns 20 ou 30 min vc chega na estação “Pompei Scavi”.
      E isso aí: compra o bilhete do trem na loja de conveniência da estação de Sorrento no dia anterior, por garantia. Hehehe… 😉
      Desculpe a demora pela resposta!
      Abs

  19. Carmen Macedo

    Bom dia Fernanda!
    o que não posso deixar de ver já que só tenho 02 horas para visitar em Pompeia?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Carmen!
      Difícil essa pergunta, já que 2h é muito pouco para Pompeia (fiquei uma manhã inteira e ainda não foi o suficiente). Será que vale a pena ficar tão pouco numa atração tão importante e extensa?
      Se mesmo assim vc quiser ir, arriscaria o Forum, a Casa de Fauno, os 2 teatros e, se der, o Jardim dos Fugitivos.
      Abs

  20. Jacqueline Leal

    Boa tarde Fernanda!

    Fiquei encantada com a riqueza de detalhes de seu post!Parabéns pela iniciativa!
    Vou visitar Pompeia e Herculano e com certeza seguirei sua dicas..
    Um grande beijo 🙂

    • Fernanda Rangel

      Oi, Jacqueline!
      Obrigada pelo elogio! 😀
      Fico muito contente por ter curtido o post. Pompeia é mesmo um lugar incrível.
      Não fui a Herculano, mas está nos planos para o dia que retornar à Itália.
      Espero que sua estada em Pompeia seja tão especial quanto foi a minha!
      Bjs

  21. Ro

    Olá !
    Estarei em Sorrento e de lá pegarei o trem (estarei com as malas) para Pompéia, pretendia pegar das 7:55 hs e chegar em Pompéias as 8:25 hs. Terei que deixar as malas no guarda volumes.
    Pretendo fazer as ruínas e tb o vulcão, seria melhor fazer o vulcão primeiro ? Saberia dizer como faço para pegar o ônibus que faz este passeio ? Compro já de manhã a entrada para as ruínas junto com a do vulcão ? E o audio guia, compro junto ?
    Não sei se os dois juntos ficará corrido, mas é o unico dia q tenho para isso, e gostaria muito de subir no vulcão. Poderei pegar a transvesuviana umas 17 hs rumo a Napoli e depois o trem para Roma lá pelas 18 ou 19 hs.

    • Fernanda Rangel

      Oi, Ro!
      Não visitei o Vesuvio. Por isso, não saberia te dar mais detalhes sobre isso.
      Mas se tivesse que incluir essa visita, eu iria logo de manhã nele e ficaria depois livre pra passear em Pompeia e ficar lá o máximo de tempo possível. Acho a melhor opção.
      Abs

  22. Oswaldo

    Parabéns. Bem explicativo e útil. Não tem uma opção rápida e essencial para cadeirante, idoso ou pra quem dispõe de apenas 1h? Obrigado

    • Fernanda Rangel

      Oi, Oswaldo!
      Eu que agradeço o elogio! 😀
      Quanto a questão do idoso, minha mãe foi comigo nesse passeio e ela não só tinha 62 anos na época, como estava com o joelho inflamado. Claro que em alguns momentos tive que ajudá-la a subir em alguns meio-fios, mas no geral ela tirou de letra o passeio.
      Quanto a questão do cadeirante, o site informa que eles fizeram adaptações para que cadeiras de roda pudessem transitar pelo sítio arqueológico. Achei uma iniciativa muito bacana. Dá só uma olhada aqui.
      E quanto ao roteiro de 1 hora, honestamente… Se vc só tiver esse tempo por lá, é melhor nem ir. Eu fiquei uma manhã e não foi o suficiente. Fora que o parque é imenso (afinal, Pompeia era uma cidade). Uma visita de apenas 1h fica corrida demais, na minha humilde opinião…
      Abs

  23. pedro

    Ola, tudo joia? me ajuda? Estarei com um carro alugado por toda minha estadia na Italia em Novembro. Estarei em Roma, e pretendo acordar bem cedo, visitar Napoles (o centrinho só) pela manha, almoçar e ir visitar as ruínas de Pompeia a tarde. E dormir por la. Pois no outro dia de manha, pegarei estrada e irei conhecer Positano e Amalfi, e a tardinha/noite retornarei para Roma. Sei que vai ser um cado corrido. Mas sera que essa logística vai dar certo?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Pedro!
      A logística é boa (embora corrida), mas é preciso ver a questão do estacionamento em Nápoles. Não sei como é lá, mas na maioria das cidades italianas, eles não costumam ficar no centro… Principalmente nas maiores.
      Quanto a estadia, acho bem mais interessante vc pernoitar em Sorrento. É uma cidadezinha super agradável e mais perto da Costa Amalfitana.
      Abs

  24. Giovanna

    Boa tarde, parabéns pelo excelente roteiro! Nem precisarei mais de guia kkkkkk…
    Tenho uma dúvida em relação aos ingressos comprados online: só aparece a opção das 08:30, comprando esse ingresso eu posso entrar em qualquer horário? Ou somente às 08:30?
    Obrigada!!!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Giovanna!
      Eu que agradeço o elogio! 😀
      Não sei te dizer. Tentei procurar algo a respeito no site, mas não encontrei nenhuma explicação pra isso. Tentei simular a compra, mas até onde consegui ir (sem efetuar o pagamento), aparece o horário de 08:30 e nada mais é explicado.
      Como o local abre às 09:00, creio que possa ser necessário trocar o voucher pelo ingresso antes de abrir, ou seja, às 08:30. Pode ser que seja isso, mas não tenho certeza. Certamente virão instruções nesse voucher, e só comprando pra saber…
      Por via das dúvidas, eu agendaria essa visita para o começo do dia.
      Abs

  25. Maria Aparecida

    Parabéns pelo seu trabalho espetacular!
    Irei a Pompeia em 09de setembro em direção a Sorrento e partindo de Roma. Como nossas bagagens ficarão no carro durante a visita, você acha que o estacionamento é seguro?
    Quanto tempo você gastou para fazer todo esse roteiro ? Voce acha que dará tempo para visitar Herculano, uma vez que teremos que chegar no hotel ate 19:00?

    • Fernanda Rangel

      Oi, Maria Aparecida!
      Obrigada pelo elogio! 😀
      Olha, não passei pelo estacionamento de lá, então não saberia te dizer isso com certeza. Mas baseado na minha experiência pela Europa nos últimos anos, dificilmente se vê furtos desse tipo por lá. Mas nunca se sabe, né? Por via das dúvidas, eu deixaria tudo bem trancado na mala do carro.
      Esse roteiro durou uma manhã inteira e mais um pouquinho. Algo entre 4 ou 5 horas. Pra quem é sucinto e dinâmico, dá pra conhecer bastante coisa, mas quem gosta de história e é fascinado por essa temática de “Roma Antiga”, eu reservaria um dia inteiro.
      Não fui a herculano, mas acredito que dê pra fazer os 2 sítios num mesmo dia sim. Mas no esquema “sucinto e dinâmico”.
      O melhor a fazer é sair bem cedinho de Roma pra vc aproveitar bem o dia e conseguir chegar às 19:00 em Sorrento.
      Abs

  26. ANA CRISTINA RODRIGUES DE JESUS

    Parabéns Fernanda!!! Seu blog é sensacional!!!

    Estou montando um roteiro para visitar Pompéia em Junho/2019 e as suas dicas estão me ajudando muiiiito.

    Não precisaremos de guia!!!

    Obrigada por reservar o seu tempo valioso para compartilhar suas experiências com tantos detalhes e tanto carinho.

  27. João A. da S. Sé

    Fernanda, parabéns pelo seu blog!!!
    É confiável deixar bagagens na portaria do parque?
    Obrigado!

    • Fernanda Rangel

      Oi, João!
      Eu que agradeço o elogio!
      Não tive essa experiência para te dizer com certeza como seria.
      Se for um depósito de bagagem oficial da organização do sítio arqueológico, eu acho que deixaria a minha mala sim. Mas se fosse um depósito de fora ou presente nas redondezas, eu teria receio…
      Abs

  28. Ana Lattanzi

    Boa noite, Fernanda! Uauu! Você parece uma jornalista especializada! Viajo com os meus sobrinhos em julho e estou pensando em me hospedar em Nápoles e fazer esse passeio à Pompeia de lá e retornar. Fiquei com duas dúvidas: a) dá para fazer Pompeia e o Vesuvio no mesmo dia; podemos comprar os ingressos com antecedência, aqui do Brasil?; e, b) Como compramos as passagens de trem; quer dizer, podemos fazer a compra via site? Se for possível, você poderia me enviar o link?
    Mega obrigada! Pelos relatos, já vi que nem preciso contratar um guia!!! Parabéns pelo texto! Beijokas,
    Ana

    • Fernanda Rangel

      Oi, Ana!
      Eu que agradeço o elogio! 😀
      Fico muito contente pelo post lhe servir de guia. Esse passeio é incrível!
      Vamos lá…
      ► Não visitei o Vesúvio, mas quem vai, geralmente faz uma “dobradinha” com a visita a Pompeia. Tirando o dia todo para os 2, acho que dá tranquilo sim.
      ► Pode comprar com antecedência. Vantagem: garante a entrada e não precisa encarar a fila da bilheteria. Desvantagem: tem que arcar com o IOF do cartão de crédito (maior que o IOF do câmbio da compra da moeda).
      ► Pode também comprar a passagem de trem pela internet, mas sinceramente… Acho desnecessário. Não são trens com assento marcado, eles são tipo um metrô: vai gente sentada, vai gente em pé… Enquanto couber, pode entrar. E tem vários horários. Se não deu pra entrar em uma composição (algo que acho muito pouco provável), só esperar pelo próximo. Igualzinho metrô.
      Vc não me pediu, mas vou te dar uma dica: em vez de ficar hospedada em Nápoles, fique em Sorrento. É infinitamente mais agradável! A menos que vc tenha pouco tempo na região, pois Nápoles vale a pena ser visitada sim. Mas se puder escolher…
      Se precisar saber sobre Sorrento, temos post sobre a cidade (com fotos no final): Roteiro de 1 dia em Sorrento na Itália.
      Bjs

  29. Marylia

    Ola.. td bem?? Acabo de visitar Pompeia, apenas seguindo suas dicas, nos ajudou muito!!! Muito muito legal os conhecimentos e dicas que nos passa! Nao precisei de guia para fazer o tour. Obrigada pela ajuda! Beijos!

    • Fernanda Rangel

      Oi, Marylia!
      Eu que agradeço o elogio e o seu feedback!
      Fiquei muit contente pelo post ter lhe servido de auxílio pra essa visita… Que é incrível, não é mesmo? Eu adorei!
      Abs

Totos os direitos reservados